Igreja e Religião

Dom Cordileone elogia padres por oferecer missa "clandestinamente" durante bloqueios de COVID
Dom Cordileone
 
 

Apresentamos o sermão proferido pelo Arcebispo de São Francisco, Salvatore Cordioleone publicado pela Life Site News, durante ordenações de padres da Fraternidade São Pedro.

Neste sermão o destemido arcebispo tratou de uma questão muito cara a nós da Montfort, ou seja, a celebração da Missa durante as restrições da pandemia do COVID, e foi muito claro ao expressar seu pensamento: fizeram muito bem os padres da Fraternidade São Pedro que celebraram para os seus fieis mesmo que de forma clandestina.

Também no Brasil, diversos padres de forma corajosa e heroica procederam de forma semelhante e a eles aproveitamos para manifestar nossa gratidão. Infelizmente essa atitude não foi bem compreendida por muitos...

Muita decepção causou aqueles que se apresentam como os grandes defensores da liturgia tradicional e que por isto se orgulham de não se colocarem sob a obediência ao Papa, mas que julgaram prudente, naquela ocasião, obedecer às autoridades civis, como por exemplo, os padres da FSSPX, suspendendo de forma radical a celebração da Missa e se fechando em suas capelas como se estivessem na caixa forte do “Tio Patinhas”.

Na sequência a transcrição traduzida do artigo

 


Dom Cordileone elogia padres por oferecer

missa 'clandestinamente' durante bloqueios de COVID

https://www.lifesitenews.com/news/abp-cordileone-praises-priests-for-clandestinely-offering-mass-during-covid-lockdowns/

Quarta-feira, 31 de maio de 2023 - 21h30 EDT

LINCOLN, Nebraska (LifeSiteNews).

O arcebispo de São Francisco, Salvatore Cordileone, expressou na sexta-feira sua gratidão e apreço pelos padres que encontraram maneiras criativas de contornar as ordens de bloqueio do COVID-19 para oferecer missa e fornecer a Santa Eucaristia aos católicos durante o auge da pandemia.

Cordileone, que publicamente e vigorosamente se opôs a imposição do fechamento de igrejas durante o COVID em 2020 como uma violação do direito de adoração, fez as observações durante uma cerimônia de ordenação de sacerdotes em 26 de maio na Igreja dos Mártires da América do Norte em Lincoln, Nebraska. Durante a cerimônia, três diáconos do Seminário Nossa Senhora de Guadalupe, um seminário da Fraternidade Sacerdotal de São Pedro (FSSP) em Denton, Nebraska, foram ordenados ao sacerdócio.

A FSSP é uma comunidade sacerdotal dedicada à Missa Tradicional Latina e aos sacramentos.

Em seus comentários, o Arcebispo Cordileone observou que “é a Eucaristia que nos une na comunhão do amor e da graça de Deus, que nos permite levar adiante a missão de Nosso Senhor, que Ele confiou à Sua Igreja”.

“Sem a Eucaristia não somos nada”, disse ele. “Consequentemente, sem o sacerdócio, não somos nada.”

“Agora, felizmente, deixamos para trás a pandemia de COVID”, continuou ele. “Mas ainda está fresco na mente de nosso povo a tristeza que muitos deles experimentaram por serem privados da Eucaristia”.

Observando ironicamente que a luta para “libertar a missa” em São Francisco em meio às draconianas regras de bloqueio do COVID da Califórnia “levaria uma palestra separada de duas horas”, Cordileone saudou os padres do FSSP que resistiram aos mandatos.

“Sei que muitos de vocês, que são sacerdotes da Fraternidade Sacerdotal, encontraram maneiras de celebrar a missa para o seu povo, mesmo clandestinamente”, disse ele. “Sou grato a vocês por isso e orgulhoso de vocês por terem feito isso.”Parte inferior do formulário

“Comum a todos nós, porém, é a poderosa lição que a pandemia ensinou sobre como é a vida sem a Eucaristia”, acrescentou Cordileone.

Ele disse que a separação das pessoas da missa e da eucaristia durante o COVID pode ser vista como um paralelo mais brando com os sofrimentos do padre missionário católico polonês-americano Walter Ciszek, que foi preso sob o regime comunista na União Soviética. Cordileone disse que Ciszek se alegrou quando foi transferido para um campo de trabalho na Sibéria porque lá ele poderia mais uma vez oferecer a missa.

Cordileone ganhou repetidamente atenção e apoio de fiéis católicos por suas declarações e ações ortodoxas em relação a questões de fé e moral.

No ano passado, o arcebispo de São Francisco emitiu uma diretriz pastoral proibindo publicamente a então presidente da Câmara democrata, Nancy Pelosi, uma católica autoproclamada e ainda uma defensora vociferante do aborto legal, de receber a Santa Comunhão.

Ele também se junto ao bispo Joseph Strickland de Tyler, Texas, instando o Congresso a não aprovar o projeto radical de lei que regulariza o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo na legislação federal.

Durante uma conferência sobre “guerra espiritual” no início deste ano, Cordileone criticou o aborto como parte da “adoração satânica” e argumentou que o esforço para obliterar as diferenças entre homens e mulheres por meio da ideologia transgênero é “demoníaco”.

“Então, veja, isso está apagando a imagem de Deus da face da Terra. Portanto, não é uma espécie de exagero retórico ou poético chamá-lo de demoníaco; literalmente é ”, disse ele. “Então temos que nos engajar. Temos que nos engajar também de outras formas: ativismo político e educacional… Tudo isso, mas acima de tudo através de nossos braços espirituais”.


    Para citar este texto:
"Dom Cordileone elogia padres por oferecer missa "clandestinamente" durante bloqueios de COVID"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/dom-cordileone-covid/
Online, 21/07/2024 às 07:11:33h