Religião

Resposta da Montfort a análise do Olavo de Carvalho
Alberto Zucchi

Há alguns dias um amigo me enviou os textos acima e tomei conhecimento de que tive a honra de ser citado pelo maior filósofo de nossos tempos e talvez o maior de toda a História, pelo menos na opinião dele mesmo, o “grande” Olavo de Carvalho. Poderia alguém almejar glória maior? Imaginem só que ele se pergunta se eu posso criar como o Verbo. Quanta gentileza!

Mas que decepção ao constatar que as referências que Olavo faz sobre aquilo que eu teria escrito, ou comentado, não correspondem nem de longe à realidade! Será que Olavo teria sido contagiado pelo defeito que ele mesmo referência com frequência – teria se tornado um “analfabeto funcional”? Será que, com esse novo título em seu “curriculum”, ele gostaria de se candidatar aos “altos postos da Montfort”?

Afirma ele que eu teria analisado os comentários que ele fez de Putin e criticado a sua opinião sobre a ação dos Papas em relação ao pedido que Nossa Senhora em Fátima fez sobre a consagração da Rússia.

Trata-se de ledo engano ou de pura mentira de Olavo. Nunca fiz este tipo de análise porque a opinião que Olavo tem sobre qualquer assunto para mim é totalmente irrelevante. Não tenho o menor interesse em saber o que Olavo pensa sobre qualquer coisa.

Minhas análises sempre versaram sobre as doutrinas expostas por Olavo. Doutrinas essas que penetram os meios católicos, devido à triste situação moral do clero e, pior ainda, pelos absurdos ensinamentos doutrinários contrários ao ensinamento tradicional da Igreja, difundidos por este mesmo clero.

Assim, por exemplo, tenho procurado demonstrar como o Perenialismo, doutrina defendida por Olavo, no artigo “Nas garras da esfinge: René Guénon e a Islamização do Ocidente” publicado na “falecida” revista Verbum, é contrário à doutrina da Igreja Católica. O Perenialismo tem um ecumenismo - que Olavo define como “high brow” -  que é contrário ao dogma católico de que fora da Igreja não há salvação. E o dogma não é aplicado somente aos católicos, mas a todos.

No mesmo artigo Olavo defende que os “perfeitos” se salvam já em vida através de um conhecimento “místico”, que na verdade é um conhecimento mágico que vem de uma prática esotérica. O contrário do que ensina a Igreja de que a prática da lei de Deus é uma das condições necessárias para nossa salvação.

Depois de muito insistirmos, parece que outras vozes se levantam contra as absurdas teses de Olavo. Até antigos parceiros seus não tem mais como negar que as ideias de Olavo estão em clara oposição à doutrina católica.

Enfim, o profeta boca suja de Virgínia ensina doutrinas erradas, heréticas e contrárias à doutrina católica.   Tem além disso admiração por outro profeta que morava em Higienópolis, o qual também tinha muitas doutrinas erradas, apesar de se apresentar como católico exemplar, e de ter enganado muitas pessoas.

O profetismo brasileiro anda muito mal...  


    Para citar este texto:
"Resposta da Montfort a análise do Olavo de Carvalho"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/religiao/olavoxmontfort002/
Online, 13/08/2022 às 07:08:25h