Movimento pela Vida

A Montfort se solidariza com Dom Scheid diante da afronta da Justiça Eleitoral
Orlando Fedeli


Emmo. e Revmo. Cardeal Dom Eugenio Oscar Scheid
Digmo. Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Laudetur Jesus Christus!
 
Pedindo a sua benção episcopal, a Associação Cultural MONTFORT se solidariza com V. Emcia. Revma. diante da afronta praticada pela Justiça Eleitoral do Rio de Janeiro, tentando impedir que a Igreja defendesse a Lei de Deus e orientasse os fiéis conforme ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo, defendendo a vida desde o instante da concepção até à morte natural.
 
Se a candidata ao Senado, Jandira Feghali, do Partido Comunista do Brasil, ainda sem poder oficial, assim age contra a Igreja, violando o direito de qualquer cidadão brasileiro de se manifestar contra o seu projeto de implantar o assassinato de inocentes e indefesas vidas, podemos imaginar o que pode ocorrer no Brasil se tal Partido, ou congêneres, estejam no poder.
 
Que o exemplo de intrepidez de V. Emcia. na defesa da Lei de Deus – e vítima de tão grande afronta injustiça – seja explicitamente seguido por todos os Bispos e sacerdotes do Brasil, para que jamais, nesta Terra de Santa Cruz, a CRUZ de Cristo seja substituida pela "foice, martelo e estrela vermelha", símbolos históricos do totalitarismo de regimes socialistas e comunistas.
 
Rogando as orações de V. Emcia. pedimos mais uma vez a sua benção episcopal.
 
In corde Iesu semper
Orlando Fedeli
Presidente da Associação Cultural MONTFORT
www.montfort.org.br




Nota de solidariedade da CNBB à Arquidiocese do Rio de Janeiro
 
 28/09/2006 - 08:18  - http://www.catolicanet.com/?system=news&action=read&id=42925&eid=299

Brasília – DF, 27 de setembro de 2006

P. nº 0676/06

                                                                           N O T A

A CNBB se solidariza com a Arquidiocese do Rio de Janeiro e lamenta profundamente as pressões sofridas no âmbito da campanha eleitoral no Estado do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo, estranha e repudia o cerceamento da livre manifestação da opinião de cidadãos e a intromissão em campo próprio da competência da Igreja. Por outro lado reafirma o direito dos cidadãos e eleitores de conhecerem o pensamento e a posição dos candidatos sobre questões fundamentais, como a defesa da vida e da dignidade da pessoa humana, para  o livre e autônomo exercício do voto cidadão.

Nesse sentido, a CNBB faz sua e divulga a Nota Oficial da Arquidiocese do Rio de Janeiro, como segue em anexo.

Cardeal Geraldo Majella Agnelo
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Presidente da CNBB

Dom Antônio Celso de Queirós
Bispo de Catanduva-SP
Vice-Presidente da CNBB
 
Dom Odilo Pedro Scherer
Bispo Auxiliar de São Paulo
Secretário-Geral da CNBB

                                  

NOTA OFICIAL DA  ARQUIDIOCESE DO RIO DE JANEIRO

 Em setembro de 2005, a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, diretamente subordinada à Presidência da República, encaminhou à Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados um Projeto de Lei elaborado por uma Comissão Tripartite (integrada por representantes dos Poderes Executivo e Legislativo e de entidades da sociedade civil, em cuja participação a Igreja Católica não foi admitida), e que propunha a descriminalização do aborto no Brasil.

No dia 4 de outubro de 2005, a relatora, Deputada Jandira Feghali, apresentou parecer incorporando o relatório dessa Comissão Tripartite a um substitutivo do PL - Projeto de Lei 1135, de 1991, definindo o aborto como um direito da mulher, e propondo extinguir todos os artigos do Código Penal Brasileiro que definem o crime de aborto. Com isto, todos os tipos de aborto deixariam de ser crime e a prática se tornaria legal, por qualquer motivo, em qualquer momento da gravidez, isto é, durante todos os nove meses, desde a concepção até o momento do parto[1].

Diversos grupos da sociedade civil têm se organizado no sentido de tornar conhecida essa atividade, em si mesma pública, da Parlamentar. Na quinta-feira, dia 21 de setembro de 2006, no entanto, a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro foi surpreendida com um Mandado de Busca e Apreensão de "material de propaganda eleitoral em desfavor" da candidata Jandira Feghali ao Senado. Esse Mandado foi conseqüência de uma representação da Coligação "Um Rio Para Todos" (PT, PSB e PC do B) ao TRE - Tribunal Regional Eleitoral.

Em cumprimento ao Mandado de Busca e Apreensão, os Oficiais de Justiça e a Advogada da Coligação vistoriaram todas as dependências da Sede da Arquidiocese, não respeitando nem mesmo o Gabinete Oficial do Eminentíssimo Senhor Cardeal e os Gabinetes dos Excelentíssimos Senhores Bispos Auxiliares. O material procurado não foi encontrado, e não era de autoria nem de responsabilidade da Arquidiocese.

Ontem, dia 25 de setembro, às 15h11min, o Eminentíssimo Senhor Cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, Arcebispo do Rio de Janeiro e o Excelentíssimo Senhor Bispo Auxiliar, Dom Dimas Lara Barbosa, foram notificados do teor da seguinte liminar:  que orientem "a todos os párocos, vigários paroquiais e diáconos ou eventuais celebrantes de ofícios religiosos, no sentido de que se abstenham de qualquer tipo de comentário ou referência político-ideológica, sob pena de caracterizar-se desobediência à presente ordem judicial".

Nesse mesmo dia 25 de setembro, no entanto, o Colegiado do próprio TRE cassou essa liminar, por cinco votos a um. Afinal, a Constituição Brasileira foi respeitada e prevaleceu a democracia.

A Arquidiocese do Rio de Janeiro, na fidelidade à sua missão evangélica, reafirma sua posição com relação às eleições 2006 - expressa no documento intitulado "Voto Consciente", distribuído às Paróquias - em que incentiva a participação dos católicos na política e a escolha de candidatos comprometidos com os princípios e valores éticos e cristãos; reafirma, ainda, o ponto principal do documento: o respeito à vida e à dignidade da pessoa humana desde a concepção até a morte natural.

É direito do eleitor conhecer seus candidatos e sua atuação. Por outro lado, espera-se de todo candidato a devida transparência em todos os seus atos e propostas.

Rio de Janeiro, 26 de setembro de 2006

Dom Assis Lopes
Bispo Auxiliar do Rio e Moderador da Cúria

[1] Esse fato pode ser constatado no site oficial da Câmara dos Deputados: www.camara.gov.br/sileg/integras/361656.pdf.

Veja-se: http://www.jandirafeghali.com.br/site/index.php?option=content&task=view&id=913&Itemid=2.

 

 
Última Alteração: 08:18:00
Fonte: CNBB
Local:Brasília (DF)

    Para citar este texto:
"A Montfort se solidariza com Dom Scheid diante da afronta da Justiça Eleitoral"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/vida/carta_d_eugenio/
Online, 23/10/2017 às 05:44:31h