Montfort

Espaço do Leitor

Perguntas & Respostas | Enviar dúvidas | Livro de Visitas | Assinar Boletim

Pergunta

** Salvação dos protestantes

De: Ricardo Fernandes Short
Enviada em: Terça-feira, 16 de Dezembro de 2003
Localidade: Rio de Janeiro, RJ
Religião: Católico
Idade: 22
Escolaridade: cursando nível superior

Prezado Professor,

Primeiramente, não poderia deixar de começar este e-mail sem parabenizá-lo por este site, e pela conduta e paz que o conduz. Não sou nenhum professor ou mesmo doutor no assunto teologia, mas por compartilharmos da mesma fé e doutrina, espero somente que este e-mail seja respondido a mim, e não ao site.

Pelo título do mesmo, poderá ver que a pergunta se alongará um pouco, mas acredito que a resposta virá repleta de inteligência e objetividade, que observei durante a visita que fiz aos diversos questionamentos e até afrontas que recebestes.

O Senhor mesmo já respondera anteriormente que os que repudiam Maria, se tratam dos filhos do demônio, "em virtude do ódio que fora colocado entre os descendentes da mulher e da serpente", mas não deixou claro que se tratava dos protestantes, que verdadeiramante nos tratam com ódio. A paz que percebi em suas respostas, afirmo com toda certeza que é divina. Não espero uma resposta positiva com relação a esta dúvida, e sim a este questionamento, que eu mesmo tenho em meu coração, mas que não tive coragem até então de discutir com alguém.

Pode ser tratada até mesmo como ignorância o fato dos protestantes "radicais" tratarem a igreja católica como a da besta apocalíptica, já que vemos provas da ação de Deus nela, até mesmo antes da sequer existência da igreja protestante em si. Mas ignorar a ação de Deus nas deles, também pode ser um equívoco nosso. Aí vái a minha dúvida:

"Somos todos filhos de Deus. Na hora do arrebatamento, o Filho de Deus não virá de igreja em igreja, e sim de fiel em fiel. Sabes que Deus por sua infinita Misericórdia, através de Seu Filho, age tanto na igreja católica, quanto nas outras igrejas de sua fé, e nos fiéis que não deixam de pregar sua Boa Nova e suas verdades e paz (isso é inegável). Seria então a igreja cristã ainda una, com seus diversos ministérios, católicos, da assembléia, da Cristo Vive, da Internacional da Graça de Deus, etc...(exemplos)? Ou será da igreja protestante a confusão que virá no final dos tempos, em que muitos afirmarão: Deus está aqui, Deus está ali; e seus falsos profetas?

Resposta

Prezado Ricardo,
salve Maria, "Mãe de meu Senhor" (S. Lucas, I, 43)

Agradecemos seus largos elogios, e pedimos desde já suas orações para que nosso pequeno apostolado possa prosseguir e dar frutos.

Se entendemos bem, sua dúvida é sobre a salvação dos protestantes, fora da Igreja Católica.

Pois você questiona em primeiro lugar a atribuição de "filhos do demônio, "em virtude do ódio que fora colocado entre os descendentes da mulher e da serpente"" a esses rebeldes. Os filhos do demônio são aqueles que praticam a vontade do pai da mentira, e os protestantes, enquanto negam a única Igreja verdadeira, fazem de fato a vontade do demônio, cabendo-lhes perfeitamente o título.

Você ainda pergunta se há atuação do Espírito Santo nessas falsas religiões, ao dizer:

"Somos todos filhos de Deus. Na hora do arrebatamento, o Filho de Deus não virá de igreja em igreja, e sim de fiel em fiel. Sabes que Deus por sua infinita Misericórdia, através de Seu Filho, age tanto na igreja católica, quanto nas outras igrejas de sua fé, e nos fiéis que não deixam de pregar sua Boa Nova e suas verdades e paz (isso é inegável)"

Ora, meu caro Ricardo, é preciso considerar em primeiro lugar que todo aquele que não está com Cristo está contra Cristo. Assim, todo protestante que nega a verdadeira Igreja instituída por Cristo está de fato contra Cristo, e é por extensão descendente da serpente, filho do demônio. Pois Cristo fundou uma Igreja, e confiou-a a Pedro e aos Apóstolos. Veja o Primado de Pedro e a instituição da Igreja.

Mas como saber a culpa de cada um, que varia de acordo com seu grau de compreensão e adesão ao erro? Isso pertence só a Deus, nós não podemos saber. O que nós podemos fazer é refutar as falsas doutrinas protestantes, e combater todo protestante que nos agride, para a defesa da Igreja e se possível, para sua conversão. Pois fora da Igreja não é possível se salvar.

Quanto à atuação do Espírito Santo em outras religiões, isso é completamente falso. Embora o Espírito Santo dê as graças suficientes para a conversão das pessoas em particular, não atua de forma alguma nas falsas religiões, pois isso seria autorizar o erro. Seria como se Deus, no Antigo Testamento, tivesse se manifestado nos templos pagãos, assim como se manifestava no templo judaico. Pois sabemos que os deuses dos pagãos eram demônios. (Salmo 95, 5) Por isso, repetimos, embora as pessoas com ignorância invencível da verdade possam se salvar fora dos limites visíveis da Igreja (batismo de desejo), é difícil - senão impossível - que isso ocorra com os protestantes, sempre cheios de orgulho e de bíblia em punho, pois eles têm toda possibilidade de conhecer a doutrina verdadeira e se recusam. Por isso, a salvação se dá dentro da Igreja, conforme as palavras de Pio XII:

"Os que não pertencem ao organismo visível da Igreja católica, (...) espontaneamente e de boa vontade cedam às íntimas inspirações da graça divina e procurem sair de um estado em que não podem estar seguros de sua eterna salvação, (...) Entrem, pois, na unidade católica e unidos conosco no corpo de Jesus Cristo, conosco venham a fazer parte, sob uma só cabeça, da sociedade da gloriosíssima caridade. Nós, jamais cessaremos as nossas súplicas ao Espírito de amor e verdade, e esperamo-los de braços abertos não como a estranhos, mas como a filhos que vêm para a sua casa paterna." (Encíclica Mystici Corporis, Papa Pio XII, 1943)

O protestantismo, com suas divisões e erros não pode possuir a verdade, pois a verdade é una.

Daí ter dito profeticamente São Cipriano de Cartago:

"Possidere non potest indumentum Christi qui scindit et dividit Ecclesiam Christi" (Não pode possuir a Cristo quem dilacera e divide a Igreja de Cristo) (Migne, J.P. Patrologiae cursus completus, Series Latina, Parisiis 1844, IV, 504; citado por Pe. Leonel Franca, Catolicismo e Protestantismo, Ed. Agir, 2a. Ed., pág. 29)

Esperando ter esclarecido suas dúvidas, despedimo-nos, recomendando-nos às suas orações,

In corde Iesu et Mariae
Marcos Libório

 


Home | Veritas | Cadernos Montfort | Documentos da Igreja
Destaques da Imprensa | OraçõesEspaço do leitor

© Associação Cultural Montfort
Dúvidas relacionadas aos artigos: preencha o formulário