Movimento pela Vida

A Santa Sé se pronuncia contra a clonagem humana e contra a clonagem terapêutica através das células-tronco de embriões
Orlando Fedeli


Foi publicada no site do Vaticano, pela Secretaria de Estado, uma NOTA entregue a todos os embaixadores creditados junto à Santa Sé, para que a remetessem a seus respectivos governos, tratando do problema da utilização de células-tronco de embriões para clonagem reprodutiva ou terapêutica.

Nessa NOTA, fundamentada em farta documentação científica, a Santa Sé, depois de reconhecer que a Igreja não se opõe às pesquisas científicas, afirma que não só a clonagem reprodutiva é algo extremamente condenável – como é geralmente admitido pelos cientistas – mas que também a clonagem terapêutica, usando células-tronco de embriões, é mais condenável ainda, pois transforma seres humanos em meros fornecedores de órgãos de reposição.

Essa NOTA da Santa Sé exprime sua proposta à ONU – e que, agora, já foi apresentada na Assembléia Geral das Nações Unidas – para que seja proibida, em todos os países, a utilização de células-tronco retiradas de embriões, especialmente para fins terapêuticos.
A Santa Se argumenta que:

1) É imoral usar seres humanos – tirando-lhes a vida – para curar outros seres humanos;

2) Tem-se cientificamente comprovado que o uso de células-tronco de adultos é eficaz, e que elimina problemas de rejeição, quando se utilizam células-tronco da medula do indivíduo a ser curado;

3) Não há nenhuma prova científica de que a utilização das células-tronco de embriões seja eficaz;

4) Há grave risco de que a utilização de células-tronco embrionárias possa ser causadora de câncer, assim como de outros problemas patológicos.

Contra a proposta da Santa Sé à ONU, foi feita outra proposta pelo governo da Bélgica, defendendo exatamente a clonagem para fins terapêuticos.

No Brasil, se fez um grande estardalhaço propagandístico na Mídia e no Congresso em favor da aprovação da chamada Lei dos Transgênicos, na qual estava escondida, sob a questão da soja, como por contrabando, a aprovação da utilização de células-tronco embrionárias. No fundo, era uma forma velada de introduzir um princípio do qual decorreria o direito ao aborto na legislação nacional. Graças a Deus, e ao Manifesto divulgado pela Montfort, que já conta com quase 150.000 assinaturas (até esta data) contra o uso de células-tronco embrionárias, o projeto de lei i anda não foi aprovado.

Estranhamos que a Mídia, que anuncia até que um papagaio engoliu uma moedinha, e que noticia com alarde que as células-tronco embrionárias são, comprovadamente, uma panacéia, não tenha dito uma só palavra sobre essa NOTA da Santa Sé – NOTA PUBLICADA NO SITE DO VATICANO – portanto, algo de conhecimento público.

Esse silêncio da Mídia sobre o Documento emanado da Santa Sé foi tão perfeito que até mesmo autoridades católicas eminentes desconheciam a Nota da Santa Sé que já foi apresentada na ONU.

O site Montfort, então, colocando-se a serviço da Santa Sé, tem a honra de publicar, em primeira mão, a NOTA contra o uso de células tronco embrionárias, mesmo para fins terapêuticos.

Considerando, em primeiro lugar, a autoridade da Sé Apostólica, e, em seguida, a cabal fundamentação científica da NOTA citada, temos certeza de que ela esclarecerá o debate em torno do uso de células-tronco embrionárias, levando enfim os senhores congressistas brasileiros a não aprovarem aquilo que é contra a Lei de Deus, contra a Constituição Brasileira – a qual garante o direito à vida humana desde a sua concepção –, contra, enfim, os tão propalados direitos humanos.

São Paulo, 29 de Outubro de 2.004
Orlando Fedeli
Presidente da Associação Cultural Montfort.

Leia a Nota na íntegra: Documento da Santa Sé sobre a clonagem humana - O Vaticano


    Para citar este texto:
"A Santa Sé se pronuncia contra a clonagem humana e contra a clonagem terapêutica através das células-tronco de embriões"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/vida/vaticano_clonagem/
Online, 14/12/2017 às 05:48:29h