Movimento pela Vida

Dom Geraldo Majella ataca aborto, eutanásia e pesquisa com célula-tronco


Salvador - Diante de uma platéia de mais de 40 mil pessoas na Praça Castro Alves, centro de Salvador, depois da Procissão do Domingos de Ramos, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal-arcebispo de Salvador dom Geraldo Majella Agnelo, fez uma veemente defesa da vida e condenou os defensores do aborto, da eutanásia e das pesquisas com células-tronco embrionárias.

Na opinião dele, o governo brasileiro está mais preocupado em fazer "remédios que matam", numa referência ao apoio ao projeto de pesquisa com embriões. "Rezem por todos os que estão sendo sacrificados e para que os políticos não aprovem leis contra a vida", disse sob aplauso dos fiéis.

Dom Geraldo usou a Paixão de Cristo na homilia para defender os dogmas da Igreja. "Nós recordamos o sacrifício de Jesus, o inocente que foi crucificado e nos dias atuais ainda há muitos inocentes que são mortos", disse, citando os bebês vitimas de abortos e os embriões que podem ser usados em experiências terapêuticas. "O embrião é gente, é vida, não pode ser usado para ser feito remédio para outros, não pode ser usado para alimentar a ambição e o egoísmo das pessoas", disse.

Ao se referir à eutanásia, o cardeal disse que se a prática for legalizada vão acabar exterminando todos os considerados "inúteis e que não produzem". "O velho que já está tão cheio de dores e sofrimento. Para que sofrer? Vamos acabar com ele", afirmou. Para ele, da forma como as coisas estão se encaminhado, "os nossos deputados e senadores vão chegar lá".

A Procissão de Ramos começou por volta das 8 horas da Praça do Campo Grande e seguiu em direção à Praça Castro Alves com carros de som da Arquidiocese, animando os fiéis. Após a missa, a banda Tribo de Ouro animou os fiéis com músicas sacras.

Por Biaggio Talento


Eminentíssimo Senhor Cardeal-Arcebispo de Salvador,
Dom Geraldo Majella Agnelo
Salve Maria!

Foi com imensa alegria que tomamos conhecimento de seu enérgico, corajoso e fiel pronunciamento contra as leis iníquas e criminosas que se estão promovendo no Brasil e no mundo, pelo uso de embriões, pelo aborto e pela eutanásia.

No silêncio de muitos que deveriam clamar, em meio ao vozerio da Mídia a soldo de campanhas contrárias à lei de Deus e à doutrina católica, a voz de Vossa Eminência se ergueu como um eco fiel do que o Santo Padre João Paulo II tem pregado heroicamente. Que Deus abençoe Vossa Eminência por esse pronunciamento feito em Salvador, e que repercutirá no mundo católico. Possa esse seu clamor de Justiça ser ouvido por aqueles que detém o poder, e que lhes toque a consciência para evitar tantos crimes contrários aos direitos humanos, de que tanto se fala hoje, e tão pouco são realmente respeitados pela Ideologia da Mal, como a qualificou nosso Papa.

A Associação Cultural Montfort, que presido, teve a honra e a graça de dedicar ao Santo Padre o Papa o Abaixo Assinado de 150.000 assinaturas contra essa iníqua lei, ora desgraçadamente aprovada pelo Congresso Nacional.

Nessa hora de luta e de tristeza, nós da Montfort temos a alegria de manifestar a Vossa Eminência Reverendíssima nossa gratidão e todo nosso apoio pelo pronunciamento feito por Vossa Eminência, saudando em sua pessoa um verdadeiro pastor que não se intimidou diante da ferocidade dos lobos.

Colocando-nos à disposição de Vossa Eminência neste combate, rogamos a Deus que bem recompense Vossa Eminência na terra, e infinitamente mais, no Céu.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli
Presidente da Associação Cultural Montfort


    Para citar este texto:
"Dom Geraldo Majella ataca aborto, eutanásia e pesquisa com célula-tronco"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/vida/dom_geraldo/
Online, 21/08/2017 às 05:35:37h