Movimento pela Vida

Carta ao Gabinete da Presidência sobre a aprovação da Lei de Biossegurança
Marcelo Fedeli


Mensagem enviada ao Gabinente da Presidência sobre a aprovação do Projeto de Biossegurança, no tocante ao artigo que permite a matança de embriões humanos para pesquisas.

De: Marcelo Fedeli
Enviada em: quarta-feira, 16 de março de 2005 13:58
Para: Gilberto de Carvalho -- Gabinete da Presidência da República
Assunto: Pesquisa Células Embrinárias : surpreendentes declarações da Drª Lygia da Veiga Pereira sobre a aprovação do Projeto "Biosegurança"

Prezado Sr. Gilberto de Carvalho
Gabinete da Presidência da República

Como cidadão brasileiro, tomo a liberdade de lhe enviar, em anexo, artigo publicado pelo "O Jornal da Ciência 547 (11 de março de 2005 ), que comenta surpreendentes declarações da Drª Lygia da Veiga Pereira (favorável à pesquisa com Células Embrionárias), feitas logo após a aprovação daquele Projeto.

Agora, como o Sr. poderá notar, aquela cientista coloca sérias advertências à Pesquisa com Células Embrionárias.... e comenta a expectativa sentimental e enganadora utilizada tanto na ’campanha’ como na votação e aprovação daquele projeto de lei.

Ainda há tempo para o Presidente Luís Inácio Lula da Silva impedir não só a aprovação final daquele Projeto, mas retirar também a "nova normatização para o aborto", recentemente lançada, e, assim, não passar para a História como o Presidente que permitiu a "interrupção de gravidez" (eufemismo para o termo ABORTO - interrupção da vida..., como o Sr. sabe) de milhões de brasileirinhos e brasileirinhas ainda no ventre materno, que muito poderão fazer para o Brasil, inclusive, quem sabe, até como futuros Presidentes do Brasil.

Quereria estar certo de que, pessoalmente, o Presidente não é favorável àqueles projetos tão contrários aos direitos humanos. Espero, como brasileiro, que o Presidente Lula seja coerente e defenda a vida daqueles que, esses sim, não tem mesmo nem voz e nem vez.

Agradeço a sua consideração

Atenciosamente

Marcelo Fedeli
S. Paulo - SP


From: GABINETE
To: Marcelo Fedeli
Sent: Thursday, March 17, 2005 2:45 PM
Subject: RES: Pesquisa Células Embrinárias : surpreendentes declarações da Drª Lygia da Veiga Pereira sobre a aprovação do Projeto "Biosegurança"


Prezado Sr., Marcelo,
agradeço sua manifestação que será levada hoje ainda ao nosso Presidente.
Fraternas saudações,
gilberto.


Anexo

JORNAL da CIÊNCIA
Publicação da SBPC - Sociedade Brasileira para o Progresso da Cência
Rio de Janeiro, 11 de março de 2005 • ANO XIX  N.o 547

Células-tronco: nem tanto otimismo que crie falsa ilusão, nem tanto pessimismo que mate a esperança

A credibilidade da ciência no Brasil pode estar se defrontando com uma situação crítica, neste momento. Durante a campanha pela aprovação do projeto de Lei de Biossegurança, sobretudo
na fase final, na Câmara dos Deputados, a defesa das pesquisas com células-tronco no país exagerou tanto que criou expectativa infundada, segundo muitos pesquisadores. Isso pode minar a boa imagem da ciência entre nós. No Reino Unido, no início da epidemia da vaca louca, os cientistas omitiram sua verdadeira gravidade. Resultado: a opinião pública perdeu a confiança neles. A ciência não pode faltar com a verdade.

Lygia da Veiga Pereira, chefe do Laboratório de Genética Molecular do Depto. de Biologia e do Centro de Estudos do Genoma Humano, observou, em artigo publicado em O Estado de SP (6/3): "Talvez um certo sensacionalismo faça parte do jogo e tenha sido importante para mobilizar a sociedade e os parlamentares e levar à aprovação do projeto de Lei de Biossegurança."

De fato, esse "certo sensacionalismo" não só fez parte do jogo, como pôs em movimento o barco das ilusões. Foi um jogo perigoso. Mexeu com a emoção e o sentimento das pessoas. Quantos se detiveram a pensar sobre as implicações humanas e éticas de tais manobras? Isso é inadmissível em qualquer hipótese.

Os fins jamais justificarão os meios. Em ciência, isso sempre acabou mal. Ainda bem que a própria Lygia tratou de colocar as perspectivas das pesquisas com células-tronco em termos realistas e verdadeiros, a começar pelo título de seu texto: "Por enquanto, apenas um fio de esperança".

E também revelou que numa entrevista ao vivo sobre a aprovação do projeto, perguntaramlhe quantos pacientes sairiam agora da fila dos transplantes, ou seja, quantos passariam a ser tratados diretamente.

"Respirei fundo", contou Lygia, "e respondi: 'Nenhum'". E explicou no artigo: "Nenhum hoje, nenhum até mesmo nos próximos anos. Mas, quem sabe, muitos, no longo prazo, agora que podemos trabalhar com células-tronco embrionárias humanas no Brasil".

Em suma, todo cuidado é pouco para preservar a dignidade e confiabilidade da ciência, e a esperança que ela representa para o futuro da espécie humana.

A verdade e a transparência são valores inegociáveis. E os cientistas, pela responsabilidade do saber, devem estar sempre na dianteira desta luta. (JMF)


    Para citar este texto:
"Carta ao Gabinete da Presidência sobre a aprovação da Lei de Biossegurança"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/vida/cartacontrabiosseguranca/
Online, 27/06/2017 às 19:23:25h