Movimento pela Vida

A Montfort apóia o Arcebispo de Olinda e Recife Dom José Cardoso Sobrinho
Orlando Fedeli

 
 
O Arcebispo de Olinda e Recife acaba de, muito justamente, excomungar os fautores de um duplo assassinato de nascituros.
O aborto é crime hediondo que executa inocentes indefesos. É homícidio que a lei da Igreja, seguindo a lei natural, pune com a pena de excomunhão automática, denominada de excommunicatio latae setentiae. Isto significa que os executantes e promotores diretos do aborto estão ipso fato excomungados, no próprio ato de seu crime.
O Arcebispo de Olinda e Recife somente confirmou o fato de que a lei da Igreja havia sido aplicada automaticamente aos executores e mandatários desse aborto, confirmando por seu decreto a excomunhão já ocorrida.
A imprensa escrita, falada e televisada – sempre obediente à “la Voce del Padrone” – à voz de quem a comanda internacionalmente, apressou-se a estigmatizar o ato do corajoso Arcebispo. Essa mesma mídia que é sempre tão leniente em favor de todos os crimes que assolam o mundo.
O que está sendo cometido e aprovado no Brasil pelo Governo petista e pela mídia é a pena de morte de inocentes que ainda não nasceram. Mas, o criminoso — o gerador por estupro de sua própria filha -- esse só está preso, à espera de um futuro bem possível habeas corpus, ou de uma declaração de inocência por motivo de doença mental, quando ele sim merecia a pena de morte. O criminoso mundo atual tem dificuldade em condenar crimes que facilmente e frequentemente classifica como resultado de distúrbios psíquicos.
Enquanto isso, imprensa, Lula, Dr. Temporão e jornalistas bem obedientes e subservientes a LA VOCE DEL PADRONE da mídia atacam o mui digno e justo Arcebispo de Olinda e Recife, em nome da lei brasileira e da defesa da vida da mãe das crianças mortas. Como os membros do PT são ciosos pela defesa da vida, eles que não titubeiam em financiar as invasões do MST das quais resultam roubos, extorsões e mesmo mortes.
Colocar a lei positiva do estado acima da lei natural expressa pela lei de Deus é o que fizeram Hitler e os nazistas ao aprovarem a genocida lei da Shoá.
Lula e o ministro Temporão defendem o aborto sob pretexto de que a lei brasileira o permitiria. A lei brasileira não está acima da lei de Deus. Quem defendia que a lei do país estava acima da lei de Deus foi Hitler.
Bem excomungados foram os que permitiram e fizeram o aborto. Resta perguntar se os que o defendem ficaram livres da excomunhão ipso fato.
Graças a Deus, a Santa Sé deu apoio a Dom José Cardoso Sobrinho, que Deus recompense por sua fidelidade à lei de Deus e da Igreja. Sem medo da tirania da Mídia, sem medo do PT, sem medo de Temporão e de Lula, eles que são os principais responsáveis diante de Deus por esse aborto.
 
  
UMA SHOÁH ABORTISTA AMEAÇA O BRASIL
 
 
 
Não há quem aprove a Shoáh nazista contra os judeus. Ela foi bem designada pelos judeus como sendo um holocausto — uma shoáh --, e qualquer pessoa de bom senso veementemente condena o criminoso genocídio dos judeus ordenado por Hitler.
Todos os que aprovaram o genocídio da Shoáh são condenáveis, inclusive a Mídia nazista que o defendia com o argumento que a maioria do povo alemão elegera Hitler, como a maioria elegeu Lula.
Que a maioria do povo alemão aprovava o nazismo e sua lei genocida é verdade histórica. Hitler subiu democraticamente ao poder. E democraticamente obteve o poder total com a suspensão da Constituição pela qual se elegera. Assim foi a Democracia majoritária, que julga que o poder vem do povo, foi ela que gerou Hitler e depois o genocídio da Shoáh.
Agora, o ministro Temporão e Lula alegam que têm a maioria consigo – o que no caso do aborto é uma deslavada mentira – e que a lei brasileira permite o aborto em certos casos. Alegam a lei positiva para defender o assassinato cruel de dois nascituros. Usam a lei positiva para aprovar que sejam assassinados dois seres humanos inocentes. Lula, Temporão e o PT se colocam acima da lei de Deus.
Julgam-se donos de todo poder. Hoje, a lei positiva permite o aborto em certos casos. Ora a violação do direito natural em nome da maioria poderá permitir, amanhã, que se aprove a matança de outros seres humanos. Só depende de um gordo mensalão para ter a maioria que aprove como legal um novo tipo de crime.
A maioria -- o “povo” -- não tem direito de aprovar o crime. A maioria não é dona da lei de Deus. O povo não é Deus. E um governo que afirma que governa em nome do POVO não tem direito de ordenar a violação da lei natural expressão da lei eterna, a Vontade imutável de Deus.
Todos os que ordenaram, planejaram, aprovaram e executaram a Shoáh foram culpados do genocídio dos judeus. Se se condenassem apenas os executantes da Shoáh, e não se condenasse Hitler e os membros do Partido Nazista estar-se-ia cometendo a maior injustiça. Porque pior que o crime é a defesa do crime. Pior que o crime é mandar cometer o crime. Pior que o crime é justificá-lo em nome de uma ideologia.
O Nazismo foi o grande criminoso. Hitler e todos os líderes do nazismo foram os mandantes dos campos de concentração, e foram mais culpados que os carrascos que executavam materialmente a Shoáh.
Também não estavam isentos da culpa de genocídio os jornalistas, os políticos, e até os padres, que defendiam o Nazismo racista e assassino.
Todos concordam que todos os que, de qualquer modo participaram do crime de genocídio, foram culpados desse crime.
Aplique-se então isso tudo ao PT hoje.
E o PT? E o Lula? E o Temporão? Por que estariam todos esses isentos de culpa da morte desses dois nascituros abortados?
Herodes foi mais culpado pelo massacre dos inocentes de Belém do que os soldados que materialmente perpetraram o massacre.
Pior que o genocídio foi o patrocínio do genocídio. Pior que os que executam um aborto, são os que o defendem, legitimam e o promovem legalmente.
Contra Deus.
Pior que o crime é a defesa do crime.
 
São Paulo, 8 de Março de 2009
Orlando Fedeli
 

    Para citar este texto:
"A Montfort apóia o Arcebispo de Olinda e Recife Dom José Cardoso Sobrinho"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/vida/aborto_excomunhao/
Online, 27/05/2017 às 20:08:53h