O Papa

Visita ao Papa
João Augusto Rodrigues

Terminou na semana passada, a visita ad limina dos bispos do Pará e Amapá ao Papa Bento XVI no vaticano.
 
Instituida em 1585, as chamadas “ad limina sacra apostolorum” são um compromisso que os bispos do mundo inteiro assumem em  visitar o Vaticano a cada cinco anos e se caracterizam como uma peregrinação aos túmulos dos apóstolos São Pedro e São Paulo, oportunidade em que os bispos celebram missas nas basílicas de São Pedro e São Paulo Fora dos Muros.
 
Outra parte importante da visita é a passagem dos bispos pelos vários organismos da Santa Sé, os chamados dicastérios, onde podem discutir questões relativas a sua região. Além disso, os bispos participam de visitas coletivas e particulares com o Papa onde são destacadas as particularidades de cada  diocese.
 
Na visita ao Papa este ano, ouviram de maneira clara e incisiva o desejo de Bento XVI em corrigir a concepção de liturgia de parte do clero, que além do excesso de celebrações ecumênicas promovem também as chamadas missas shows onde o padre tem mais destaque que o próprio Cristo sacrificado. Diz o Papa sobre a missa aos nossos bispos: "o culto não pode nascer de nossa fantasia" e "Como estão distantes de tudo isto quantos, em nome da inculturação, decaem no sincretismo introduzindo ritos tomados de outras religiões ou particularismos culturais na celebração da Santa Missa! O mistério eucarístico é um «dom demasiado grande – escrevia o meu venerável predecessor o Papa João Paulo II – para suportar ambigüidades e reduções», particularmente quando, «despojado do seu valor sacrificial, é vivido como se em nada ultrapassasse o sentido e o valor de um encontro fraterno ao redor da mesa»"
 
Quem acompanha as noticias sobre o Papa sabe que não é a primeira vez que Bento XVI faz um discurso tão contundente e objetivo. Aos bispos do Nordeste falou sobre a ausência da transcendência na liturgia, aos do Sul recordou sobre a condenação da Teologia da Libertação e assim sucessivamente. Contudo, o discurso do Santo Padre aos Bispos do Pará e Amapá foi de tal maneira tão incisivo que logo mereceu mais destaques na internet e nos jornais da Italia, Estados Unidos e Inglaterra  que os discursos do Papa aos bispos desses países.
Não é para menos esse destaque todo na mídia, pois a advertência de Bento XVI a onda de secularismo que assola a igreja católica em nosso país e um sintoma preocupante. São as seqüelas que o movimento marxista deixou nas sacristias de nosso Brasil, através das homilias dos padres, folhetos que deturpam a doutrina e movimentos sociais mais preocupados com a terra do que com o céu, assumindo uma posição que deve ser do Estado.
 
Peço a Deus que abençoe os bispos paraenses e amapaense que estiveram nessa importante visita, em especial Dom Alberto Taveira, arcebispo de Belém, para que possam em comunhão com o Papa fazer a Igreja da Amazônia símbolo do amor de Cristo na terra.

    Para citar este texto:
"Visita ao Papa"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/papa/visita-ao-papa-ad-liminia/
Online, 24/05/2017 às 08:38:49h