O Papa

«La voce del Padrone....» ou «quem manda na Igreja?»
Orlando Fedeli

Na Constituição dogmática Lumen Gentium – documento do Concílio Vaticano II -- se disse que o supremo poder na Igreja foi dado por Cristo ao Colégio dos Apóstolos. Esse foi o princípio que deu base à tese da colegialidade, introdutora da democratização na Igreja. Ora, sempre se soube que isso era um erro protestante, pois Cristo deu o poder a São Pedro. Além de Lutero, foi o herege Febronius-- Bispo Auxiliar de Trier, no século XVIII—quem defendeu esse erro contra a Fé, que mina o poder monárquico do Papa, mas que foi adotado pelo Vaticano II.

O Cardeal Ratzinger, em seu livro, “Lembranças de minha Vida”, mostrou como, desde os tempos do Vaticano II, havia notado que os Bispos no Concílio se haviam arvorado o direito de mudar a Fé, de mudar o Credo que a resume. O Cardeal Ratzinger escreveu ainda nesse seu livro, que, se os Bispos podiam mudar a fé, muito mais podiam fazer isso os teólogos que ensinavam aos Bispos o que escrever, e o que aprovar nos ambíguos textos do Vaticano II. Mas, então, notou o Cardeal Ratzinger, por que não era o chamado Povo de Deus que poderia mudar a Fé?

Daí nasceu na Áustria o Movimento “Nós somos a Igreja” (Wir sind die Kirche).

O que o Cardeal Ratzinger não notou, e que agora Bento XVI está vivendo, é que quem decide o que o povo pensa crer, e quem pretende ter o poder de excomungar e de retirar excomunhões, de nomear Bispos ou demiti-los, é a mídia. Todo o poder foi dado à mídia. A mídia, graças à Colegilaidade, é quem exerce, hoje, o poder, e a mídia é que poderia dizer : Nós somos quem decide na Igreja. Wir sind die Kirche.
 
Pelo menos esse parece ser o primeiro artigo do credo dos Bispos austríacos: o Papa não mais decide. Nós somos a Igreja.
 
É o que se constata, hoje, no caso da nomeação do Padre Gerhard Wagner para Bispo Auxiliar de Linz, na Áustria.
 
A imprensa e o clero modernista não concordaram com essa nomeação. Os Bispos austríacos atentos à mídia — que sabem ser ela “La Voce del Padrone” = A Voz do Patrão — logo atacaram o Papa.
 
Um Bispo austríaco, dos mais atrevidos, Alois Kothgasserm, Bispo de Salzburgo, redondamente declarou  que, com Papa Ratzinger a Igreja «está se reduzindo a uma seita».
 
Ele, Alois Kothgassem, é que lidera uma seita colegilaista.
 
E por que os Bispos da Áustria e a mídia recusarm a nomeação do Padre Wagner como Bispo contra a expressa vontade do Papa?
 
Por duas razões:  a primeira porque Padre Wagner se atreveu a dizer que o furacão katrina que destruiu prostíbulos e clínicas de aborto em Nova Orleans foi um castigo de Deus para essa cidade, exatamente por tolerar tais pecados.
 
Em segundo lugar, porque esse padre condenou a leitura dos livros de Harry Potter, porque levam a juventude ao satanismo.
 
Os profetas da mídia rasgaram as vestes,  eles que dizem não crer em bruxas e nem em Satã, mas que sempre ouvem La voce del Padrone. Eles, para impedir a sagração do padre Wagner, aceitaram considerar que ser satanista seria pejorativo. “Renegam”il Padrone para atingir os objetivos del Padrone: destruir o Papado.
 
Imaginem, Padre Wagner condena Harry Potter porque levaria a cultuar... Il Padrone.
 
Padre Wagner ad leones! clamou a mídia, obedecendo al Padrone.
 
E os leones são os jornalistas e os Bispos democratizantes.
 
E La Voce del Padrone  provocou um hallali contra a sagração do Padre Wagner. A CNB da Áustria, irmã da CNBB brasileira, se reuniu, e em peso -- em consciência --, se manifestou contra a sagração do Padre Wagner. Sem que o Cardeal de Viena, que  a mídia — La Voce del Padrone – aponta como um ratzingeriano, defendesse o Papa. Pelo contrário, ficou contra a decisão do Papa. Bem democraticamente caladinho.
 
Padre Gerhard Wagner, assustado, pediu demissão do Bispado antes de ser sagrado Bispo.
 
E agora?
 
No Vaticano, há uma tremenda indecisão.
 
Aceitar, ou não, o pedido de demissão do Bispo designado Gerhard Wagner ?
 
That is the question!
 
Como se não bastasse a confusão com o caso Williamson, agora vem o caso Wagner.
Se Bento XVI, se dobrar à imposição da midía – que externa La Voce del Padrone -- e aceitar a demissão do Bispo, isso equivaleria simbolicamente a renunciar ao poder papal de escolher e de nomear os Bispos. A Igreja passaria a ser uma instituição democrática, na qual quem faz mais barulho manda. Veja-se quem manda no Brasil e na Venezuela democráticos, para perceber quem manda. Se Bento XVI se dobrar ao clamor da mídia e dos Bispos revoltados, quem passará a decidir as nomeações de Bispos será .. La Voce del Padrone.
 
E isso seria uma tragédia inédita na história da Igreja.
 
Se o Papa Bento XVI — que Deus o proteja — resistir, os Bispos austríacos ameçam passar do protesto berrado ao cisma declarado. Sob a regência do porta voz del Padrone, o herege Hans Küng, que já lançou a plataforma de um Papa tipo Obama, com um programa de um anti-papa ou de um anticristo.Para fazer a paz no mundo...
 
Vivemos horas terríveis, nas quais os defensores do Vaticano II mostram qual é a sua “fé”.
 
Mais do que crer no que a Igreja canta no Credo, se deveria crer no que diz a Mídia patrocinadora do aborto, da eutanásia , do casamento gay, de Harry Potter...e .. grande defensora do democratizante Vaticano II.
 
Deus proteja o Papa Bento XVI e lhe conceda a força necessária para resistir a esse tsunami midiático, a esse apedrejamento moral que está sofrendo exatamente como a pequena Jacinta anunciou em 1917: um Papa rezando e chorando, sozinho, num palácio, enquanto a multidão lhe atirava pedradas.
 
E a pequena vidente de Fátima dizia: “Lúcia, rezemos muito pelo Papa”.
 
Nessa hora, em que tantos atacam o Papa Bento XVI, porque vêem como ele está fazendo a Igreja retornar à situação anterior ao Vaticano II, ajudemos o Papa a fazer esse retorno, do qual a eliminação da excomunhão dos Bispos de Dom Lefebvre foi um sinal bem claro. Por isso os lobos modernistas uivam, obedecendo... ’’alla Voce del Padrone”...
 
Nesta hora das trevas, nesta hora apocalíptica, sigamos o Papa.
 
Soframos com o Papa
 
Rezemos pelo Papa Bento XVI.
 
São Paulo, 17 deFevereiro de 2009.
Orlando Fedeli

    Para citar este texto:
"«La voce del Padrone....» ou «quem manda na Igreja?»"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/papa/quem-manda-igreja/
Online, 27/04/2017 às 06:12:12h