Igreja

A turba e a TL contra Cristo e contra a Igreja
Bruno Oliveira e André Roncolato
17/01/2018

     Recentemente, chegou ao nosso conhecimento um artigo intitulado “A igreja dos ‘príncipes’ contra Francisco – um vídeo espantoso”  de um desconhecido autor: Mauro Lopes. O ataque do articulista se dirige principalmente ao Cardeal Burke. Talvez o prestígio que possui o Cardeal dê alguma visibilidade a esse autor inócuo. Muitas vezes a superação da irrelevância de um mau autor é obtida através do vilipêndio do prestígio alheio. 
     Lamentamos por ter que referenciar um blog miserável materialmente e desértico intelectualmente, entretanto, é oportuno agir desta forma porque é um blog que funciona como um porta-voz do sempre disposto ódio da Teologia da Libertação, a conhecida TL.
     Ideologias a parte, talvez o desconhecido autor deseje um emprego em alguma secretaria da CNBB ou na Unisinos. Se for assim não será uma vã esperança.
     Mas vamos ao artigo.
     Mauro, o teólogo de pé quebrado, em seu artigo, do início ao fim, ridiculariza as vestes cardinalícias e o serviço pontifical, ora comparando as vestes sacras com seitas racistas, ora insinuando que o ritual da Igreja induz a desvios morais e afetações arcaicas.     
     O artigo não tem argumentos ou fatos históricos, contém apenas xingamentos e com outros tantos comentários que achincalham e escarnecem. Afirma-se ainda, categoricamente, que Cristo nunca se vestiria assim pois era humilde, e que tudo que o Pontifical prescreve é teatro etc...
     Mas, na verdade, o autor, assim como os TLs procuram esquecer que Cristo Nosso Senhor um dia também foi vestido de púrpura e não somente como príncipe, mas como Rei. E foi vestido assim de púrpura para ser escarnecido e xingado publicamente. Com Cristo também fizeram um teatro dando-Lhe bofetadas e cuspindo em Sua Sagrada Face. A Cabeça de Cristo também foi coroada. 
     E quem xingava Cristo Nosso Senhor, vestido de púrpura, de Rei? Sim, senhor Mauro: o povo, que a TL tanto endeusa e que tanto o modernismo incensa!
     Desta maneira, ao xingar e achincalhar o Cardeal Burke, na verdade esse blog aproxima sobremaneira a imagem do Cardinalato com a Imagem de Cristo que sofre! Quanto mais se vexa o ritual pontifical, mais se legitima a própria natureza do mesmo! As ofensas acabam por aproximar o símbolo (as vestes púrpuras cardinalícias) com a sua própria origem, ou seja, as vestes e o sangue de Nosso Senhor. Mas fundamentalmente o que une os dois, as vestes e sua origem, é o ódio dos inimigos de Cristo. No primeiro o vermelho sangue de Cristo é o resultado do ódio, no segundo o vermelho púrpura é a causa do ódio. 
     A Igreja soube sabiamente atribuir dignidade aos príncipes de Cristo ao conceder que se utilizem da mesma cor com a qual outrora Nosso Senhor fora humilhado, e os inimigos unidos em um ódio estranho e vergonhoso tentam subtrair a honra daqueles que perpetuam a carne e o sangue de Cristo na história. 
     Como não existe o mal absoluto, o artigo em questão tem o efeito colateral de fazer um bem enorme, pois traz novamente à tona todo peso e importância das vestes Cardinalícias. É um artigo brutal, violento contra todos os Cardeais, apesar de dirigido apenas ao Cardeal Burke, mas que cumpre a finalidade de todo Cardinalato: o martírio.
     A tentativa de aniquilar a Verdade Eterna, Nosso Senhor, resultou em colocá-lo em seu devido trono do qual ensina a todos os homens de todos os tempos o caminho da salvação: a cruz. A tentativa de agora da TL só nos confirma: somos um só em Cristo, filhos da única Igreja de Cristo, Esposa do Crucificado, que vive agora seu calvário, somos seus filhos e por isso fazemos o sinal da Cruz. 
     Deus, que é o sumo bem, sempre consegue um bem maior do mal que é feito. Este é o sinal da bondade de Deus.
     E diríamos mais, as críticas do artigo acabam tendo o efeito oposto ao que a TL almeja com seus insultos, pois é provável que mais Cardeais tenham vontade e coragem de ser perseguidos. Caso os sectários da TL publiquem mais alguns artigos deste tipo em breve teremos outros Cardeais rezando a Missa Pontifical.
     Será que estaremos sendo otimistas? Veja-se os quase vazios seminários modernos de hoje. Os poucos rapazes sérios que restam desejam um dia rezar a Missa Tridentina. É conhecido como os reitores tratam com rigor seminaristas que pretendem rezar a Missa de Sempre. 
     E os modernistas, como Mauro Lopes, onde estão na Igreja? Declinando a cada dia. Em número e em vigor. Congar, Chenu, Von Balthazar, Ranner, De Lubac não deixaram adeptos. São uns poucos septuagenários e padres com sogra que mantém essas ilusões modernistas. Ao contrário, a Tradição floresce na juventude! Ad Deum qui laetificat juventutem meam. E a Igreja é paciente.    
     A pompa das vestes vermelhas de um Cardeal é a mesma de seu Divino Mestre: 
 
bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus” (Mt V, 10-12)

Salve Maria!
 
 

    Para citar este texto:
"A turba e a TL contra Cristo e contra a Igreja"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/tl_contra_igreja/
Online, 19/02/2018 às 08:52:34h