Igreja

Números da "primavera" Conciliar
  Nestes 50 anos de Concílio Vaticano II, pode-se dizer que a Igreja no Brasil que, apesar de país tropical, vive uma nevasca violenta de um inverno que está apenas começando.  Como refutarão esses números os Bispos e Padres progressistas ? Até quando os bons Bispos serão tolerantes com as idéias delirantes dos modernistas deixando seu rebanho ser devorado pelos lobos em pele de cordeiro? Rezemos pelo clero. Comentário: André Roncolato Siano Fonte: Folha de São Paulo

Católicos passam de 93,1% para 64,6% da população em 50 anos, aponta IBGE

PUBLICIDADE
DENISE MENCHEN FABIO BRISOLLA DO RIO
  Entre 1960 e 2010, o Brasil viu a parcela de sua população que se declara católica cair de 93,1% para 64,6%. A queda foi constatada com a divulgação, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de novas informações do Censo 2010. Em 2000, segundo dados do censo daquele ano, os católicos representavam 73,6% da população. Em seguida vinham evangélicos (15,4%), pessoas sem religião (7,4%), pessoas de outras religiosidades (1,8%), espíritas (1,3%) e umbandistas e candomblecistas (0,3%). População de baixa renda é maioria entre evangélicos Piauí é o Estado mais católico; Rondônia, o mais evangélico A pesquisa mostra que a queda na proporção de católicos foi acompanhada pelo crescimento dos evangélicos, que em 1960 eram apenas 4% da população e em 2010 alcançaram 22,2%. O número de pessoas sem religião também teve aumento expressivo, passando de 0,6% para 8% nos mesmos cinquenta anos. No caso dos evangélicos, o crescimento foi puxado pelas igrejas de origem pentecostal, como a Assembleia de Deus ou a Universal do Reino de Deus, que atingiram 13,3% do total da população. Os chamados evangélicos de missão, pertencentes a religiões mais tradicionais, como a luterana e a batista, tiveram menos oscilações. O censo incluiu uma única pergunta sobre religião (Qual a sua religião ou culto?), que estava no questionário aplicado a parte da população. Para chegar aos resultados nacionais, o IBGE utilizou métodos estatísticos. Segundo a pesquisa, os católicos somavam 123,3 milhões de pessoas no país em 2010, e os evangélicos, 42,3 milhões. Outras religiões que também foram citadas foram o espiritismo (2,8 milhões), a umbanda (407,3 mil), o candomblé (167,4 mil), o budismo (244 mil), o judaismo (107,3 mil), o islamismo (35,2 mil) e o hinduismo (5,6 mil). Do total de evangélicos, 7,7 milhões eram de religiões de missão, 25,4 milhões eram de religiões de origem pentecostal e 9,2 milhões de religiões não determinadas -- como a pergunta feita pelos recenseadores tinha resposta aberta (ou, seja, não apresentava opções dentre as quais a pessoa tinha que escolher sua resposta), alguns só responderam que a religião era evangélica, sem dar mais detalhes. Da mesma forma, 15,3 milhões de pessoas disseram não ter religião. Desses, 615,1 mil afirmaram expressamente ser ateus e 124,4 mil, agnósticos.  

    Para citar este texto:
"Números da "primavera" Conciliar"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/numeros-da-primavera-conciliar/
Online, 30/03/2017 às 07:46:27h