Igreja

Cumprimento de Natal 2020
Alberto Zucchi

É costume cumprimentar a todos, nestes dias de fim de dezembro, apresentando votos de santo Natal.

Neste ano, muitos daqueles que cumprimentam lamentam todos os dissabores pelos quais passamos e o tradicional e esperançoso cumprimento de Natal é substituído pela tristeza, pelo desalento e pelo desânimo.

Assim como para a grande maioria dos nossos leitores e amigos, este ano trouxe também para nós muitos sofrimentos... mas isto não é motivo de tristeza, nem de desalento e muito menos de desânimo.

Nós nos lembramos do ensinamento de São Francisco ao irmão Leão quando este lhe perguntou, voltando para o convento em Santa Maria dos Anjos, o que era a perfeita alegria.

Os dois passavam por um grande sofrimento físico e São Francisco, ao invés de queixar-se, ensinou que a verdadeira alegria estaria em não serem reconhecidos no convento e serem tratados como dois desordeiros. Ainda mais, após insistirem para entrar, terminarem sendo agredidos.

Tudo isto sofrer pacientemente e com alegria, pensando nos sofrimentos de Cristo bendito. Sofrimentos que devemos suportar por seu amor!

E concluiu São Francisco: acima de todas as graças e de todos os dons do Espírito Santo, os quais Cristo concede aos amigos, está o de vencer-se a si mesmo, voluntariamente, e por amor, suportar trabalhos, injúrias, opróbrios e desprezos.

            No Natal de 2007, lembrava o Professor Orlando que a Montfort tinha muito pouco a oferecer:

“Nesta festa de Natal, a Montfort também quer ir a Belém ver e adorar o Deus Menino.

Temos tão pouco a Lhe oferecer...

Quase nada.

Levamos ao Menino Jesus, nossas misérias. Nossos corações, nosso amor e gratidão, nossas cartas, nossos artigos. Nossos combates pela Igreja. Nosso apostolado. Nossas dores. Essas, sim, muitas. E profundas. Nossa miséria, essa, sim, imensa.

Levamos conosco os Amigos, que querem ir conosco, adorar o menino Jesus nos braços de Maria. Ver a Verdade entre os braços da Virgem Maria, nossa mãe e nossa rainha.

Ir até Belém ver o Menino Jesus, no presépio.

Nada temos a oferecer. A Jesus levamos nossa vontade desejosa de defender a Verdade. Levamos para Ele nosso espírito de combate, nossa espada velha e marcada por tantos sofridos golpes. Levamos a Montfort”.

Nesta Natal podemos ir a Belém oferecendo um pouco mais de sofrimentos. Oferecemos com grande alegria e muita disposição.

Alegria porque Deus permitiu que, ainda que de maneira muitíssimo imperfeita, nós participássemos dos sofrimentos de Nosso Senhor. E isto não é motivo de tristeza, como ensinou São Francisco. É razão de muita alegria, da perfeita alegria.

Disposição porque, pedindo o auxílio de Nossa Senhora, procuramos nos manter sempre no combate pela Igreja, ainda que os sofrimentos não passem.

“qual falcão atacar, desprezando o perigo, tendo os olhos só para Deus e para o inimigo”.

             Pois, mesmo nos sofrimentos, Nossa Senhora não deixou de sorrir para nós. Em nossas fileiras, não houve nenhuma vítima fatal da pandemia e, mais importante, o Santo Sacrifício da Missa nunca nos faltou, graças ao heroísmo de alguns padres amigos.

Desejamos a todos os nossos amigos e leitores que os sofrimentos pelos quais  tenham passado sirvam para a união com Nosso Senhor Jesus Cristo. Isto é o que realmente importa.

E que Nossa Senhora sempre nos mantenha com a mesma disposição de defender a Igreja:

 

Um santo Natal a todos.

 In Corde Jesu semper,

Alberto Luiz Zucchi
São Paulo, 23 de Dezembro de 2020

    Para citar este texto:
"Cumprimento de Natal 2020"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/natal2020/
Online, 11/04/2021 às 13:14:30h