Igreja

Comentário às tratativas do acordo entre o Vaticano e a Fraternidade São Pio X
Recebemos de um leitor, por carta, o pedido para a publicação de um comentário seu referente às tratativas do acordo entre o Vaticano e a Fraternidade São Pio X, o qual, segundo o mesmo leitor, foi recusado pelo blog onde este assunto era discutido. Atendemos o pedido por considerar a argumentação bastante coerente. Para possibilitar o entendimento do assunto objeto desse comentário, publicamos primeiramente a carta de Ms. Pozzo ao superior do IBP, Padre Philippe Laguérie, e que foi divulgada originalmente pelo Forum FECIT (Forum pour L´Eglise Catholique et l´Ideal Traditionnel) que é “frequentado” por simpatizantes da Fraternidade São Pio X. (http://www.fecit-forum.org/forum.php?id=15770) Nós da Montfort, que sempre desejamos que a situação canônica da Fraternidade São Pio X fosse regularizada sem concessões doutrinárias, pois isto certamente resultaria em um grande bem para a Igreja e para a própria FSSPX, julgamos ser importante, neste momento decisivo, em que tantas pessoas agem contra os interesses de Deus e da Igreja, aguardar o desenrolar dos acontecimentos para nos manifestarmos. Enquanto isto, pedimos a todos os nossos amigos e leitores para rezarem, especialmente à Nossa Senhora de Fátima, para que as tratativas entre o Santo Padre Bento XVI e o superior da Fraternidade São Pio X, Monsenhor Felay cheguem a um bom termo. Aproveitamos ainda para convidar a todos para dediquem especiais orações pelas vocações no Brasil que em nossos dias estão sob atenção da própria Santa Sé, como bem demonstra a carta do Monsenhor Pozzo a qual nos referimos acima.

CARTA DO MONSENHOR GUIDO POZZO AO SUPERIOR GERAL DO INSTITUTO BOM PASTOR PADRE PHILLIPPE LAGUERIE

Cidade do Vaticano, 23 de março de 2012. Caro Senhor Superior Geral, Feliz de te-lo revisto na quarta feira ultima, por ocasião da reunião presidida por Sua Eminencia o Cardeal William Levada, estou em condições de transmitir-lhe as recomendações oficiais da Pontificia Comissão Ecclesia Dei, na sequencia da visita canônica do Instituto do Bom Pastor. Como verá, levaram-se em conta as conversações que tivemos no decorrer dessa reunião. O senhor desejava saber o nome de uma obra que alimentasse sua reflexão sobre a pastoralidade de Cristo. A Exortação Apostolica Pos Sinodal Pastores Dabo Vobis responde a seu desejo. Com efeito, já há vinte anos ela resume os temas fundamentais que são a vocação sacerdotal, a natureza e a missão do sacerdócio ministerial, a formação dos candidatos ao sacerdócio, a vida espiritual do padre, a formação permanente dos padres. Pode, portanto, deixar-se conduzir por ela como um guia muito seguro. Com os melhores votos para o sucesso do próximo Capítulo Geral do Instituto, eu lhe peço que receba, caro Senhor Superior Geral, a garantia de meus sentimentos cordiais e devotados. Monsenhor Guido Pozzo Secretario   Nota sobre as conclusões da visita canônica do Instituto do Bom Pastor De uma maneira geral, é preciso aprofundar o carisma inicial do Instituto pensando mais no futuro do que no passado. Para preparar o próximo capitulo geral, convém pensar sobre Cristo Pastor. Cada um se empenhara em aprofundar as características de uma sociedade de vida apostólica, para evitar toda forma de individualismo. Por isso seria bom contatar outras sociedades de vida apostólica que possam ajudar nesta reflexão sobre a vida comunitária. A questão da prática da “forma extraordinária”, tal como é formulada nos Estatutos, deve ser esclarecida no espírito do Summorum Pontificum. Conviria definir esta forma apenas como “rito próprio” do Instituto, sem falar em “exclusividade”. Concernente ao Seminário de Courtalain, a avaliação é positiva, mas seria conveniente incluir o estudo do Magistério atual dos Papas e do Vaticano II. A formação pastoral deveria partir da Pastores dabo vobis e incluir, na formação doutrinaria, o estudo atento do Catecismo da Igreja Católica. Para resolver o problema da implantação do Seminário, exceto se houver uma ampliação mesmo Courtalain, seria possível pedir à Conferência Episcopal da França, que sugerisse nomes de dioceses onde instalá-lo. Mais do que uma crítica, mesmo “séria e construtiva”, sobre o Concílio Vaticano II, os esforços dos formadores devem dizer respeito a uma transmissão da integralidade do patrimônio da Igreja, insistindo na Hermenêutica da Renovação na Continuidade, tendo por base a integralidade da doutrina católica exposta no Catecismo da Igreja Católica. Para melhorar o funcionamento do Conselho e preparar o Capítulo Geral, seria conveniente pedir a opinião de um canonista. Sugerimos os nomes dos Revmos. Pes. Pocquet du Haut-Jussé, SJM e Le Bot, OP. Uma reunião mensal do Conselho seria oportuna. É desejável que um bom discernimento seja feito quanto às vocações provindas do Brasil, assim como uma reflexão sobre a acolhida dos padres do Instituto nas diferentes Dioceses. É importante que o Bispo acolha e valorize o carisma específico do Instituto, para o bem de toda a Diocese e ao mesmo tempo, que os padres do Instituto se insiram realmente em espírito de comunhão no conjunto da vida eclesial da Diocese. A criação de um Conselho Econômico ajudará a Paróquia Santo Elói a se tornar juridicamente mais de acordo com as outras paróquias da Arquidiocese de Bordeaux. A Escola Angelus, na Arquidiocese de Bourges, deve ser seguida mais de perto pelo Superior Geral. Encoraja-se buscar um reconhecimento diocesano.  
COMENTÁRIO ENVIADO POR NOSSO LEITOR
  • Autor: X
  • Data: abril 17, 2012 às 2:27 pm
Senhor Y, A publicação dessa carta num momento tão decisivo parece uma tentativa desesperadora de solapar as estratégias do Papa para q a FSSPX entre em plena comunhão com Roma , é uma pena que você esteja participando disso! Espero, sinceramente, q você tenha sido apenas uma vítima dessa tentativa desesperadora. Ora, é fato que existe uma parte da cúria romana que é inimiga dos acordos com a FSSPX e da exclusividade do IBP, e quem garante que as palavras escritas pelo monsenhor Pozzo é a vontade do Papa? Recentemente, soubemos de um caso em que um bispo italiano recebeu uma carta do cardeal Bertoni para que ele deixasse sua diocese, esse mesmo cardial, por uma outra via, escreveu uma outra carta ao Papa perguntando se era isso mesmo que o Santo Padre queria, e o Santo Padre respondeu que ele não sabia da existência da primeira carta. Sempre existiu na cúria romana essa oposição contra a vontade do Papa. Se o Papa fosse tão malicioso como alguns querem fazer parecer, porque ele daria esse deslize justamente num momento tão importante como agora, exprimindo um desejo tão oposto ao q a FSSPX reivindica. Das duas uma, ou existe uma parte da cúria que quer puxar o tapete da sua boa vontade, ou o Papa é um malicioso de uma imprudência colossal. A vontade do Monsenhor Pozzo não é a vontade do Papa, ele só está jogando verde para ver se colhe maduro, como outrora fez o cardial Bertoni, é jogo político da cúria, senhores, só quem viveu lá conhece como funciona. Se resolve-se recusar as exigências do Monsenhor, o que vai acontecer? Vai-se acabar com IBP, então será preciso acabar com a fraternidade ou com qualquer possibilidade de acordo, é uma armadilha um tanto quanto atrapalhada para quem outros pretendem pintar de astucioso e cheio de malícia, um tiro contra o próprio pé! Mesmo que aparentemente inimigos declarados, o IBP e a Fraternidade estão no mesmo barco, um buraco no casco faria os dois afundarem. É evidente que mudar de “exclusividade” para “rito próprio” é uma armadilha para fazer uma brecha na fortaleza e permitir a entrada da peste do birritualismo. Por analogia é como querer substituição do “a Igreja de Cristo é a Igreja Católica, fora da qual não existe salvação”, pelo “subsistit in”, para quê mudar? Esse termo já utilizado é tão claro e preciso, mudar para satisfazer alguns Institutos birritualistas que morrem de inveja da exclusividade do IBP, que morram corroídos pela sua inveja. A solução é não dar a vermelhinha que os inimigos do Papa querem e rezar para que o Coração Imaculado de Nossa Senhora triunfe, e é claro que a Santíssima Virgem está do lado do Papa! Viva o Papa! Viva Bento XVI! Deo Gratias!

    Para citar este texto:
"Comentário às tratativas do acordo entre o Vaticano e a Fraternidade São Pio X"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/comentario-tratativas-acordo-fsspx/
Online, 25/09/2017 às 12:10:23h