Igreja

Cardeal Cottier: Se o Maligno agita as águas, é que há vitalidade na Igreja

 Paolo Rodari em Pallazzo Apostolico

tradução Montfort

Vatileaks. Cardeal Cottier: "Eu tive um certo pensamento ..."    

 "Estive refletindo ... e justamente durante os dias do Consistório, conversando com outros confrades, eu constatei que eu não era o único a ter um determinado pensamento. Que é o seguinte: em toda agitação em torno da Igreja se pode ver a obra do maligno ao trabalho. No sentido de que se a Igreja estivesse dormindo na mediocridade, ou ocupada apenas com intrigas e rivalidades,  o diabo não teria muito a fazer. Mas se ele agita muito as águas, então isso significa que há vitalidade na Igreja que o Maligno quer atacar. E essa vitalidade é a força da fé, é a vida cristã que está se manifestando em todo o mundo. " Quem disse estas palavras hoje mesmo ao jornal Avvenire [da Conferência Episcopal Italiana] é Cardeal Georges Cottier, 90 anos em abril, por quase vinte anos teólogo da Casa Pontifícia (leia-se: "Cottier: Bento XVI é a coluna que permanece de pé"). Suas palavras de fogo, elas falam da existência, mesmo dentro dos Muros Leoninos, de uma força obscura que leva a Igreja à auto-destruição.

O Padre Gabriele Amorth, o mais antigo exorcista da diocese de Roma, em seu último livro "O Último Exorcista", fala amplamente do Vaticano e de Satanás. E da batalha que os Papas em particular são chamados a travar. Ele escreve: "Não há provas para dizer que, no Vaticano, esteja Satanás,  no sentido de que não há provas para dizer que há pessoas que no Vaticano realizem rituais satânicos. Pessoas que são voluntariamente escravas de Satanás e que trabalham para estabelecer o seu reino de morte, escuridão e destruição neste mundo. Eu, pelo menos, não tenho provas... Lembro-me entretanto, das palavras de Paulo VI, em 3 de fevereiro de 1977, durante a Audiência Geral: "Não é de admirar se a Escritura duramente nos adverte de que o mundo inteiro jaz sob o poder do Maligno". Paulo VI fala muitas vezes do diabo. E muitas vezes liga sua figura  à Igreja. Por quê? Talvez porque queira simplesmente advertir a Igreja, pedir-lhe que seja prudente, que fuja às tentações de Satanás. Mas, na minha opinião, há mais coisas. Paulo VI de alguma forma percebe que Satanás está dentro da Igreja, talvez mesmo no Vaticano. E soa o alarme. "

Publicado em terça-feira, 21 de fevereiro de 2012 em Palazzo Apostolico.


    Para citar este texto:
"Cardeal Cottier: Se o Maligno agita as águas, é que há vitalidade na Igreja"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/cardeal-cottier-se-o-maligno-agita-as-aguas-e-que-ha-vitalidade-na-igreja/
Online, 21/09/2017 às 20:09:34h