Igreja

Os Bispos não são nomeados pelo Espírito Santo. E o Papa, o é secundum quid
Periodista Digital

 
Periodista Digital, 02/10/09:
 
Periodicamente algum nécio, que, às vezes, nem crê no Espírito Santo, aparece por aqui com a absurda pretensão de que os Bispos são nomeados pela Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Semelhante tolice costuma ter sempre uma segunda afirmação dela derivada. Não que pretendam defender um determinado Bispo, do qual muitas vezes nem sabiam de sua existência, senão tentar pegar-me num sofisma vazio. A pessoa se diz católica e critica a alguém nomeado pelo Espírito Santo. Pois digo-me católico, critico o que é criticável num Bispo, que mereça ser criticado, e não desmereço em nada ao Espírito Santo, que não nomeia aos Bispos. E nem sequer elege o Papa.
 
Parece-me recordar que, no antigo Código de Direito Canônico,  falava-se de três modos de eleger o Sumo Pontífice. Um deles, nada habitual, era quando todos os Cardeais, sem ter nada combinado entre si, dissessem unanimemente um mesmo nome. Poderíamos pensar que nesse caso o Espírito Santo havia inspirado diretamente aos Cardeais que, de tal modo, designavam o sucessor de Pedro. Pois me parece que isso tecnicamente se chamava quase inspiração. O modo habitual é que os Cardeais, e não Deus, designem a pessoa que vai  ocupar o cargo supremo da Igreja.
 
Isso não é negar a Providencia divina, que atua como lhe parece e sem que neste mundo saibamos como o faz. Porém, não inspirando a cada Cardeal o nome de um deles. É tão simples entender isso, que, se fosse de outro modo, sempre o Pontífice preferido por Deus seria conhecido na primeira votação. Ou será que o Espírito Santo se diverte fazendo brincadeiras e inspirando a uns o nome de João e a outros o nome de Henrique?
 
Pois, se nem o Papa é nomeado pelo Espírito Santo, dizer que os Bispos o sejam é de... aurora boreal. Acabamos de conhecer o caso desse Bispo canadense envolvido em pornografia infantil. Também ele teria sido escolhido pelo Espírito Santo? O Espírito Santo quereria destruir a Igreja? Não sabe Ele quem elege?
 
Um leitor meu acaba de mencionar que Javier Azagra foi o único Bispo espanhol nomeado por João Paulo I em seu brevíssimo pontificado. Alguém poderia pensar que o Patriarca de Veneza tinha a menor idéia de quem era esse Bispo? Na imensa maioria dos casos, o Papa não sabe quem ele nomeia. Dizem-lhe que fulano deve ser nomeado Bispo de Mocoa-Sibundoy, e ele assina a nomeação. Sem saber nada do Bispo, nem de onde se situa Mocoa-Sibundoy. Logo esse Bispo mostrará ser bom, mau ou regular. E se ele for mau, o Espírito Santo não tem nada que ver com isso. Nem o Papa. Em todo caso, os membros da Congregação para os Bispos e sobretudo o Núncio que o propôs, e os Bispos que o recomendaram, é que são os responsáveis por essa nomeação.
 
Pois isso é o que acontece, e o mais são sandices. Os Bispos são sucessores dos Apóstolos e eles são os encarregados por disposição do mesmo Cristo de governar a sua Igreja. Porém, como os melões, eles também podem ter gosto de pepinos. E os há que tem gosto errado. E podem ser pederastas, mulherengos, homossexuais ativos, etc., etc. Com isso há que contar. E procurar por todos os meios que aqueles que com sua conduta manchem a Esposa de Cristo deixem de fazê-lo. Quanto antes melhor.
 
Não são nomeados pelo Espírito Santo. Podem fazer maldades. Ou tolices. Que, sendo tolices graves, ninguém pode ser cúmplices delas. Sob grave responsabilidade.

    Para citar este texto:
"Os Bispos não são nomeados pelo Espírito Santo. E o Papa, o é secundum quid"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/igreja/bispos-nomeacao/
Online, 23/07/2017 às 21:52:27h