Crônicas

Quilômetros de vantagem da tradição
Alberto Zucchi

     Mesmo antes da promulgação do Motu Proprio Summorum Pontificum do Papa Bento XVI, o Professor Orlando trabalhou para que a Missa Antiga fosse celebrada. Eram anos difíceis pois não havia qualquer apoio por parte das autoridades do Vaticano e a Arquidiocese de São Paulo, que tinha uma área geografia muito maior do que a atual, estava sob os cuidados de Dom Arns. Este só tinha olhos e o coração para a Teologia da Libertação. O nosso Cardeal Vermelho, diziam.
     Se, do ponto de vista legal, a Missa Antiga não havia sido proibida, a realidade na Arquidiocese de São Paulo era bem outra. Vários padres com um pequeno resquício de conservadorismo sentiam na “pele” o tratamento caridoso dispensado pelo grande fundador e protetor do PT. Anistia só para os terroristas da esquerda.
     
Mas, apesar de toda a perseguição, o Professor não desanimava, rezando e agindo sempre em favor da Missa. E seu esforço foi recompensado. Durante os anos de 1988 a 1993 tivemos a Missa Tridentina na Igreja Nossa Senhora da Glória, próxima ao largo do Cambuci, celebrada por Monsenhor Silvio de Moraes Mattos. Mais tarde, na cidade de São Caetano, na paróquia da Candelária, nos anos de 1999 a 2001, celebrada pelo padre Gino Sorgon.
     
Vale dizer que jamais o Professor fez qualquer concessão ou mesmo silenciou diante do erro. Neste ponto haveria muito para contar, mas seria alongar este pequeno artigo e desviar do assunto principal.
     
Graças a Deus, e à ação do Papa Bento XVI, o trabalho que o Professor iniciara em São Paulo frutificou.
     
Assim, uma das ações da Montfort tem sido apoiar aos padres que desejam celebrar a Missa Tradicional.
     Neste final de semana tivemos a graça de poder ajudar, das mais variadas formas, em várias dioceses, a celebração da Missa. O mapa a seguir permite de uma forma fácil de visualizar onde este trabalho foi realizado, apenas neste final de semana.

     Partindo de nossa sede no bairro do Ipiranga em São Paulo, houve cinco Missas em que nos foi concedida a graça de colaborar: uma no Embú na Paroquia de Todos os Santos, celebrada pelo Padre Gian Ruzzi; outra no Jardim Alvorada em São Paulo, na Igreja São Francisco, celebrada pelo Pároco Padre Edmilson Bhering; mais uma na cidade de Mauá, na Paróquia São Vicente de Paulo, celebrada pelo Padre Jefferson Pimenta; uma quarta Missa na Igreja São João Paulo II, no bairro e diocese de São Miguel Paulista na cidade de São Paulo, celebrada pelo Frei Marcelo Aquino e, por fim, em Ribeirão Preto, na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré celebrada pelo Padre Tomás Maria de Jesus. Contando todos os deslocamentos necessários para a locomoção dos padres, foram mais de 1.000 quilômetros percorridos.
     
Esses poderiam ser chamados, se os nossos leitores me permitirem a pequena brincadeira, de quilômetros de vantagem da tradição. Vantagem porque, graças à liberação da Missa por Bento XVI e ao impulso dado pelo Professor Orlando para nosso apostolado, colaboramos em levar para os mais diversos locais do Brasil a gigantesca vantagem para a salvação das almas que representa a Missa Antiga.
     
É bom deixar claro, entretanto, que apesar das grandes distâncias para apenas um final de semana, o fato é que a quilometragem percorrida significa pouco. O importante é ter amor pela Missa antiga - evidentemente por amor a Deus - o qual não pode ser medido pelo número de quilômetros percorridos nem pela quantidade de vezes que se faz obras de caridade, como jejum, sacrifício ou esmola. O verdadeiro tesouro espiritual é o amor a Deus.
     
Devemos rezar então para que este nosso trabalho produza algum fruto, ainda que sejamos indignos de realizá-lo... E o objetivo deste pequeno comentário é incentivar a todos os católicos a procurarem obter em suas paróquias a celebração da Missa Antiga, como desejou o Papa Emérito Bento XVI. Para isto podem contar com o apoio da Montfort. Não pela Montfort mas pela Missa.
     
E pela Missa a Montfort irá se deslocar novamente na próxima semana. Não serão 1.000 quilômetros, mas 2.000, mas esta é uma história que ainda não aconteceu. Aguardemos. Que Deus nos abençoe e Nossa Senhora nos proteja.

13/03/2018


    Para citar este texto:
"Quilômetros de vantagem da tradição"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/veritas/cronicas/km_tradicao/
Online, 20/10/2018 às 17:04:10h