Meditações

Orações para antes e depois da meditação, com exame dela
Santo Antonio Maria Claret

 
 
Se começa desta maneira.
 
De joelhos se diz:
Per signun X crucis , deX inimicis nostris libera-nos Deus X noster. In nonime Patris X et Fílio X et Spitiui Sancto X. Amen[1][1].
 
Pelo sinal da santa cruz, livrai-nos, Deus nosso Senhor, dos nossos X inimigos. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
 
Veni, Creator Spíritus,
mentes tuórum visita,
imple supérna grátia,
quae tu creásti péctora.
 
Qui díceris Paráclitus,
altíssimi donum Dei,
fons vivus, ignis, cáritas,
et spiritális únctio.
 
Tu septifórmis múnere,
dígitus paternae déxterae,
tu rite promíssum Patris,
sermóne ditans gúttura.
 
Accénde lumen sénsibus;
infunde amórem córdibus,
infírma nostri córporis
virtúte firmans pérpeti.
 
Hostem repéllas lóngius,
pacémque dones prótinus;
ductóre sic te praevio
vitemus omne noxium.
 
Per te sciámus da Patrem,
noscamus atque Filium;
teque utriúsque Spíritum
credamus omni témpore.
 
Deo Patri sit glória,
et Fillio, qui a mórtuis
surréxit, ac Paráclito,
in saeculórum saecula. Amem.
 
V/ Emítte Spíritum tuum, et creabúntur.
R/ Et renovábis fáciem terrae.
 
Deus qui corda fidélium Sancti Spíritus illustratióne docuísti: da nobis in eódem Spíritu recta sápere; et de ejus semper consolatióne gaudére. Per Christum dominum nostrum. Amém.
 
Vinde, Espírito Criador,
visitai as almas dos Vossos,
enchei de graça celestial,
os corações que criastes.
 
Sois o Divino Consolador,
o dom do Deus Altíssimo,
fonte viva, o fogo, a caridade,
a unção dos espirituais.
 
Com os Vossos sete dons,
sois o dedo da direita de Deus,
Solene promessa do Pai,
Inspirando nossas palavras.
 
Acendei a luz nos sentidos;
insuflai o amor nos corações,
amparai na constante virtude
a nossa carne enfraquecida.
 
Afastai para longe o inimigo,
Trazei-nos prontamente a paz;
Assim guiados por Vós
Evitaremos todo o mal.
 
Por Vós explicar-se-á o Pai,
E conheceremos o Filho;
Dai-nos crer sempre em Vós
Espírito do Pai e do Filho.
 
Glória ao Pai, Senhor,
Ao Filho que ressuscitou
Assim como ao Consolador.
Por todos os séculos. Amém.
 
V/ Enviai, Senhor, o vosso espírito e tudo será criado.
R/ E renovareis a face da terra.
 
Ó Deus, que ilustrastes os corações dos fiéis com as luzes do Espírito Santo, concedei-nos, pelo mesmo Espírito, saber o que é reto, e nos alegrarmos sempre com a sua consolação. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.[2][2]
 
Depois se rezam três Ave-Marias à Virgem Santíssima.
 
Sub tuum praesidium confugimus, sancta Dei Genetrix; nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus nostris, sed a periculis cunctis libera nos semper, Virgo gloriosa et benedicta.
 
R. Amen.
 
À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades; mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.
R. Amen.[3][3]                           
 
Em seguida um Pai-Nosso e uma Ave-Maria aos santos Anjos, outro a S. Inácio, e a algum outro Santo de tua devoção, como patronos dos santos exercícios.
 
Nota. Assim se fará cada dia no primeiro ato. Nos demais atos se dirá:
 
Veni, Sancte Spiritus, reple turoum corda fidelium, et tui amoris in eis ignem accende.
 
V/ Emítte Spíritum tuum, et creabúntur.
R/ Et renovábis fáciem terrae.
 
Oremus
 
Deus qui corda fidélium Sancti Spíritus illustratióne docuísti: da nobis in eódem Spíritu recta sápere; et de ejus semper consolatióne gaudére. Per Christum dominum nostrum. Amém.
 
Três Ave-Marias à pureza de Maria santíssima.
 
 
Deus e Senhor meu, eu creio firmíssimamente que estais aqui presente.
 
Adoro-vos, Deus meu, com toda a atenção e afeto de meu coração e vos peço humildemente o perdão de todos os meus pecados.
 
Ofereço-vos, meu Senhor e meu Pai, esta meditação, e espero que me concedereis as graças de que necessito para fazê-la bem.
 
Com esse fim, recorro a Vós, Virgem Santíssima, minha Mãe, anjos e santos, para que intercedais por mim e me alcanceis aquilo que necessito para fazer com fruto esta meditação.
 
Amém.
 
Nota. Aqui se faz o primeiro preâmbulo, que é a composição de lugar conforme a meditação.
 
Em seguida o segundo preâmbulo, que consiste em pedir a graça, não em geral, mas especial, conforme a matéria da meditação.
 
Depois se começará com muita pausa a leitura da meditação, tendo-a como vinda de Deus, e aplicando seu conteúdo ao estado presente da alma, mediante o qual cada um verá em que se deve emendar, reformar ou melhorar. Fará propósitos práticos, e depois súplicas e colóquios, quer à Virgem, quer ao Filho de Deus, quer ao Pai eterno, a fim de obter a graça conveniente para executar o que propõe e para o que deseja.
 
Chegada a hora de concluir se dirá o Pai-Nosso.
 
 
Ação de graças
 
Eu vos agradeço, meu Deus, pelos bons pensamentos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação.
 
 
Eu vos ofereço os propósitos que nela formei, e vos peço graça muito eficaz para pô-los em prática, e para esse fim suplico a vós, Maria, minha Mãe, anjos e santos, que intercedais por mim e me alcanceis esta graça.
 
Amém.
 
 
1) Antes de começar a meditação pensei sobre o ato que ia fazer, e com que finalidade?
 
2) Comecei a meditação com desejo eficaz de fazê-la bem e dela tirar proveito?
 
3) Preveni os propósitos que devia fazer, e as graças que devia pedir?
 
4) Avivei a fé na presença de Deus, crendo que falaria com o próprio Deus/
 
5) Ofereci-lhe a meditação, e pedi-lhe a graça para fazê-la com fruto?
 
6) Descuidei da composição de lugar?
 
7) Li com detenção os pontos, pensando que Deus meditação falava, e apliquei o que lia ao estado presente de minha alma?
 
8) Formei propósitos práticos?
 
9) Guardei a conveniente compostura do corpo?
 
10) Deixei-me vencer pelo sono ou preguiça?
 
11) Dei lugar a pensamentos inúteis?
 
12) Envaideci-me pelo fervor sensível?
 
13) Inquietei-me pelas securas ou por desolações?
 
14) Omiti os colóquios e súplicas?
 
15) Detive-me demasiadamente em discorrer, ou em outra operação do entendimento?
 
16) Detive-me pouco na moção dos afetos?
 
17) Abreviei a meditação devido a aridez, tentação ou outro pretexto?
 
18) Que propósitos formulei? Penso pô-los em prática hoje mesmo?
 
19) Pedi para esse fim a graça e tudo mais que necessito?
 
20) Deixei de rogar por aqueles a quem estou obrigado, o por toda Igreja?
 
Se houve falta, se pedirá perdão e se proporá emenda. Se não houve falta alguma, se darão graças a Deus por isso.
Por fim, aquilo que mais houver movido se recolherá como uma flor para tê-lo no coração durante todo o dia. Se houver facilidade se escreverá a fim de não esquecer, tal como adverte Santo Inácio.
 
Examinar-se depois da meditação é utilíssimo, tanto para o fruto da mesma, como para aprender o modo prático de fazê-la. Por isso, sempre que seja possível se deve fazê-lo, não só em tempo de exercícios, mas também todos os dias do ano.


[1][1] Fórmula latina conforme apresentada no missal de Dom Gaspar Lefbre. Nota do tradutor.
[2][2] No original consta apenas a versão em latim, a tradução para o vernáculo é nossa.
[3][3] A tradução para o vernáculo é nossa.

    Para citar este texto:
"Orações para antes e depois da meditação, com exame dela"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/oracoes/meditacoes/meditacao/
Online, 23/11/2017 às 18:11:16h