Comentários

Stylyng 2 - Dança na missa: CNBB e Pe. Trudel "abrem o baile"... e Pe. Pinto "dança"!

STYLYNG
09 de março de 2006



Dois meses após o escândalo promovido pelo Pe. Pinto na igreja da Lapinha (Salvador – BA), Padre Jacques Trudel, SJ, Doutor em Teologia Litúrgica, publica artigo intitulado: Liturgia: Dança litúrgica - A liturgia dançada”, no site CATOLICANET, citando, como fonte, a CNBB (1).

Em seu artigo, Pe. Trudel faz uma apologia da dança litúrgica”de “celebrar também com o corpo e até com movimentos ritmados de dança”inspiração vem das danças das culturas tradicionais, e dojeito de dançar na África e na Ásia, dos grupos indígenas, das danças folclóricas etc”É dançar A liturgia; e não dançar NA liturgia!”  [negrito e maiúsculas minhas].
, podendo “exigir uma formação mais profissional de bailarino (a) e sapatilhas”. Aconselha, ainda, o uso de “uma veste própria”, pois, esta,“distingue e acrescenta um 'toque' especial à beleza da celebração”. E conclui:
, cuja
como forma
Pergunto ao Pe. Trudel e à CNBB:

- Em que, tal concepção, difere da apresentação do Pe. Pinto?...

- Por que o Presidente da CNBB e Arcebispode Salvador afastou Pe. Pinto das suas funções paroquiais, se este aplicou a teoria do Pe. Trudel, difundida pela própria CNBB?...

- Qual é o parecer do Pe. Trudel sobre a performance do Pe. Pinto apresentada na Festa de Reis?..

Talvez Pe. Trudel dirá que a falha de Pe. Pinto foi dançar NA liturgia” quando o correto, para ele, seria “dançar A liturgia”!... Claro!... Não?...

Mas não foi isto que o Presidente da CNBB e Arcebispo de Salvador imediatamente alegou na ocasião. Segundo NOTA da CNBB, o Cardeal Majella afirmou que "o comportamento manifestado pelo padre merece cuidados terapêuticos”, ou seja, estava doente, lhe concedendo 15 dias de folga para descansar e se recuperar do episódio, na Ilha de Itaparica.

A rigor, parece-me que Pe. Trudel e Pe. Pinto dançam a mesma música, regida pela CNBB, podendo ambos fundar, como sócios, a “Escola de Formação de Equipes para Dançar A Liturgia”, juntando teoria, prática, vestes e sapatilhas, já que Pe. Pinto se diz bailarino formado, com especialização em dança afro, dança dos orixás e contemporânea”. Que maravilhosa escola seria!... Que horrendas Missas celebrariam!...

Infelizmente, para Pe. Pinto, as recomendações e orientações do Pe. Trudel e da CNBB lhe chegaram tarde demais!...Depois de trinta e poucos anos Pe. Pinto deverá deixar a paróquia da Lapinha, em cujas tranqüilas ruelas, à noite, ouve-se um abafado e musicado refrão: CNBB e Pe. Trudel abriram o baile... mas só Pe. Pinto dançou!...


 
NOTAS:
(1)“Liturgia: Dança litúrgica - A liturgia dançada”- Artigo do Pe. Jacques Trudel, 03/03/06,  vide site:
http://www.catolicanet.com.br/noticias/noticias_integra.asp?cod=1&codigo_noticias=39983&edtoria=1
 
(2) Documento 43 da CNBB - itens citados no artigo do Pe. Trudel:
http://www.catolicanet.com.br/interatividade/documentos/doc/cnbbaz43.rtf
83. Nosso corpo, sensível e dócil ao movimento, é uma fonte inesgotável de expressão. Por isso, na liturgia têm im­portância os gestos, as posturas, as caminhadas e a dança.
207. A fidelidade à linguagem litúrgica nos dará segurança no aproveitamento desse terreno novo. Sobretudo na Missa, forma mais freqüente e mais freqüentada de Liturgia, deve transparecer prevalentemente a ação e não só longa comunica­ção verbal. Uma leitura dramatizada, uma procissão em ritmo de dança estão nessa perspectiva.
241. A introdução da dança litúrgica na procissão de entra­da, onde for conveniente e a juízo e consentimento do Bispo Diocesano, poderá ser de grande proveito para criar o clima de celebração festiva da fé.

    Para citar este texto:
"Stylyng 2 - Dança na missa: CNBB e Pe. Trudel "abrem o baile"... e Pe. Pinto "dança"!"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/styling/stylyng_002/
Online, 23/04/2017 às 18:49:36h