Mundo

Cardeal de Toledo denuncia a destruição da identidade espanhola
Antonio Cañizares, Cardeal de Toledo - Espanha

 http://www.minutodigital.com/actualidad2/2008/07/31/el-cardenal-arzobispo-de-toledo-denuncia-la-destruccion-de-la-identidad-de-espana/
Bilbao, 31 de Julho de 2008

Redação MD 
 
            O arcebispo de Toledo, Antonio Cañizares, denunciou a existência de um "projeto social e cultural" na Espanha que busca transformar sua identidade "erradicando suas raízes cristãs" e que tem, ademais, a pretensão de "estender-se aos povos de fala espanhola".
            Este projeto, segundo o arcebispo Cañizares, transcende o  exclusivamente legislativo para abarcar a área social, política e cultural, dispõe de "uma rede de organizações e de apoio midiático extraordinário" e encontra na Igreja Católica e na família os seus principais obstáculos, pelo que não é de estranhar, afirmou, que ambas estas instituições estejam em sua mira.
            Nesse contexto inscreve-se a tendência ao "esfacelamento da unidade dos povos da Espanha" que, em sua opinião, vivemos na atualidade e que "não é um acaso", porque leva à ruptura das raízes que sustentam esta unidade.
           O Cardeal Arcebispo de Toledo assinalou que o projeto social e cultural que está em andamento não se iniciou agora, mas vem de longe e possui origem além das fronteiras do solo espanhol, embora na Espanha possua "uma intensidade especial" onde radicalizou-se nos últimos anos. "Trata-se de um projeto universal mas que utiliza a Espanha como um cenário chave e com a pretensão de estender-se sobre os povos de fala espanhola", sublinhou. Estas palavras nos levam a recordar as intenções da KOMINTERN, que em 1936 havia  escolhido a Espanha como o primeiro país ocidental que seguiria os passos da URSS.  
          O relativismo moral, apresentado como uma extensão de novos direitos, o laicismo e a ideologia de gênero, que se apresenta como igualdade e que é "uma manipulação da grandeza e da dignidade da mulher" são, em seu julgamento, os pilares sobre os quais se assenta.
          Além disso, acrescentou, está apoiado "por forças poderosas, às vezes ocultas, que tratam de impregnar todas as esferas da vida com esta mentalidade, desde os meios de comunicação até à escola, desde a política até a família".
          Segundo o arcebispo de Toledo, os que o promovem apresentam a Igreja "como inimiga da modernidade e da democracia", o que resulta em um "aprisionamento da religião" à esfera do íntimo e particular.
         "A propaganda mostra a Igreja como reacionária à ciência e ao progresso, adversa à liberdade, inimiga do prazer e do bem estar a qualquer custo, misógena, homófoba e repressora do sexo, ditadora das consciências e avarenta de poder, não solidária diante de
 doenças como a AIDS", afirmou.

         O ABORTO COMO PONTO FUNDAMENTAL DA REVOLUÇÃO LAICISTA
 
          Como exemplo deste projeto, referiu-se à legislação "permissiva" sobre o aborto, que, ao seu modo de ver, não é apenas uma questão moral mas também algo que define "o que está acontecendo na Espanha e na Europa e como isto nos coloca em um beco sem saída que não apresenta nenhum futuro".
         Para Cañizares a legalização do aborto é a coisa "mais grave que já aconteceu na história da humanidade", O Cardeal prognosticou que não tardará muito para que chegue o momento em que a "humanidade se envergonhe disto como se envergonhou da escravidão e de outros genocídios da história recente".
          A nova matéria escolar "Educação para a Cidadania" não pode separar-se, segundo o Cardeal, desta "obra de engenharia social" que, no terreno educativo, estende-se a outras matérias curriculares como a História, com "ausências significativas" como o período da  Reconquista.

    Para citar este texto:
"Cardeal de Toledo denuncia a destruição da identidade espanhola"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/mundo/maconaria_espanha/
Online, 23/06/2017 às 19:14:32h