Mundo

Ideólogo socialista ameaça à Igreja: Ou se cala ou a silenciamos


Gregorio Peces-Barba

.- Em uma feroz coluna publicada pelo jornal socialista espanhol El País, o catedrático Gregorio Peces-Barba, considerado o ideólogo do atual anticlericalismo socialista e um dos autores intelectuais da disciplina de Educação para a Cidadania (EpC), ameaçou à Igreja Católica na Espanha, chamando-a a guardar silêncio ou a "sofrer as conseqüências".

Na coluna intitulada "Em torno a Educação para a Cidadania", o ideólogo socialista assinala que a maciça oposição à disciplina EpC é ilegítima pois "não se pode contrapor a fé à lei em uma sociedade democrática como a nossa".  "Menos se podem opor as ideologias temporárias sustentadas por essas hierarquias que assumem uma cultura tradicional antimoderna e clerical que se opõe a muitas conclusões legais do Estado democrático, e que pretendem vender como a verdade que nos faz livres", prossegue.

Peces-Barba acusa os pais de família que se opuseram ao curso de conscientização socialista de "uma arrogância extrema, uma sensação de impunidade e um insofrível sentido de superioridade, derivada de que administram ‘verdades superiores’" e acusa às autoridades da Igreja de levar "anos desafiando às autoridades legítimas, à Constituição e à lei tentando impor seus critérios frente ao interesse geral e à soberania popular fixada no Parlamento".

O pai da disciplina ideológica respondida por um número crescente de pais e estudantes, acusa aos católicos espanhóis de  aceitar "a democracia com a boca pequena, e fundamentalmente para o que lhes favoreça. Por sua atitude ante muitas leis que são expressões da maioria parlamentar se vê que no fundo permanecem com os princípios anti-ilustrados, que se expressaram nos documentos pontifícios do século XIX, da Mirari Vos de 1832 à Libertas de Leão XIII".

Peces-Barba diz dos bispos espanhóis que "seu modelo é o Irã onde o islamismo, a religião, manda sobre as autoridades e sobre o próprio presidente da República e onde a pena de morte não só está vigente mas sim se aplica com abundância. Naturalmente sem aceitar o islamismo, é impossível seguir seu modelo nos conteúdos, embora gostariam de poder aplicar suas formas".

O pai do atual anticlericalismo socialista espanhol conclui com uma aberta ameaça à Igreja e os católicos: "Não podem nem devem seguir por esse caminho nem tencionar tanto a corda. São responsáveis pela agitação que impede a paz social e beligerantes contra a política do Governo e contra qualquer progresso".

"Devem ter mais respeito aos dissidentes e evitar maldizer e condenar todo o tempo. Se este novo clima não se conseguir na próxima legislatura, terá que abordar o tema da ação e da situação da Igreja e estabelecer um novo status, que lhes situe em seu lugar e que respeite a autonomia da autoridade civil", conclui.


    Para citar este texto:
"Ideólogo socialista ameaça à Igreja: Ou se cala ou a silenciamos"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/mundo/20070807/
Online, 20/09/2017 às 18:53:43h