Mundo

Cientistas saúdam desejo de holocausto

Academia do Texas honra um professor que quer que 90% da raça humana seja exterminada pelo Ebola

O que aconteceria se um renomado cientista ecologista evolucionista dissesse a centenas de seus colegas que 90 por cento da raça humana precisava ser exterminada pela exposição ao Ebola ou algum outro vírus mortal?

 Esta é a história sendo contada por Forrest Mims III, um membro da Academia de Ciências do Texas, diretor de sua seção de ciência ambiental e editor da Citizen Scientist.

A palestra que Mims escutou foi proferida por Eric R. Pianka, uma especialista em lagartos da Universidade do Texas. Ela é contada em detalhes na última edição da Citizen Scientist.

Não somos melhores do que bactérias,” Mims citando o que disse Pianka em sua condenação à raça humana, que, segundo ele, esta superpopulando a Terra.

A única forma de salvar o planeta para o resto das espécies é reduzir a população humana a 10 por cento de seu número atual.

“Ele então mostrou as soluções para reduzir a população mundial na forma de um slide reproduzindo os Quatro Cavaleiros do Apocalipse,” escreve Mims. “Guerra e Fome não funcionarão, ele explicou. Ao invés disso, a Peste oferece a maneira mais eficiente e rápida de matar os bilhões que logo devem morrer para resolver a crise de população. Pianka então mostrou um slide que apresentava fileiras de crânios humano, um dos quis tinham luzes vermelhas piscando na cavidade ocular. AIDS não é um matador eficiente, ele explicou, porque é muito lento. Seu candidato favorito para eliminar 90 por cento da população mundial é uma versão do Ebola com contágio pelo ar (Ebola reston), porque ele é altamente letal e mata em dias, ao invés de anos. Contudo, o professor Pianka não mencionou que as vítimas do Ebola morrem de forma lenta e torturante, pois o vírus inicia uma cascata de calamidades biológicas dentro da vítima que terminam por liquefazer os órgãos internos.

 Pianka anota no syllabus online de sua classe de Diversidade e Ecologia que a forma letal do Ebola – Ebola Zaire – que matou nove em cada dez pessoas infectadas atualmente, só se espalha pelo contato direto com sangue infectado, enquanto o Ebola reston, seu parente próximo, mata apenas macacos, e é um vírus aéreo. A evolução, diz ele, irá produzir com o tempo uma forma de vírus aéreo fatal para os humanos.

Mims conta que quando Pianka terminou seus comentários a platéia formada de colegas cientistas e estudantes explodiu em um aplauso prolongado.

Durante a sessão de perguntas e respostas, a audiência deu risadas de aprovação quando Pianka ofereceu a gripe aviária como outro veículo para conseguir sua meta. Ela também sorriu quando ele sugeriu que era hora de esterilizar todo mundo na Terra.

“Que tipo de recepção você receberia se tivesse apresentado essas idéias para outro público que não nos representasse?” Perguntou um dos membros da platéia.

Eu falo para convertidos!” Respondeu Pianka.

Mims disse que ele elogiou o estado policial na China que executa uma política de uma criança.

Pessoas mais espertas têm menos crianças” Mims cita o que disse Pianka.

Prosseguindo a seção de perguntas e resposta, diz Mims “quase todos cientistas, professores e colegas estudantes colocaram-se a seus pés e aplaudiram vigorosamente o homem que efusivamente endossou a eliminação de 90 por cento da população humana. Alguns até o saudaram. Dúzias cercaram o professor ao final para dar-lhe parabéns e fazer perguntas”.

Mims relata que cinco horas depois, a Academia de Ciências do Texas presenteou Pianka com uma placa em reconhecimento por ter sido nomeado o Cientista Destacado do Texas de 2006.

“Quando o salão de banquete encheu com mais de 400 pessoas respondendo com aplausos entusiasmados, eu sai em protesto”, escreveu.

Mims, um autor de eletrônica, escreveu cerca de 60 livros que venderão mais de 7,5 milhões de cópias.

[destaques nossos]


 

Comentário:

A eugenia, essa pseudo-ciência que sigilosamente reside no coração de muitos cientistas e políticos modernos defende idéias extremadas e contrárias à moral e ao bom censo, contra Deus, enfim, defendendo o controle da população através da esterilização, do aborto e da eutanásia. Nestas palavras deste “cientista”, incensado pela academia, defende-se algo nefasto, beirando ao satânico. Quer-se não só acabar com Deus (como se fosse possível), mas também com o homem.


    Para citar este texto:
"Cientistas saúdam desejo de holocausto"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/mundo/20060802/
Online, 20/09/2017 às 18:53:26h