Igreja e Religião

Falsos historiadores: Padre Lombardi desmente Professor Meloni
Sandro Magister

 
Padre Lombardi desmente o Professor Melloni
 
Blog Sandro Magister:
 
Com um constrangido “Obrigado” Alberto Melloni assumiu no “Corriere della Sera” de 10 de Maio a irrefutável correção que lhe fez Padre Federico Lombardi, diretor da sala de imprensa da Santa Sé.
 
Com efeito, o Professor Melloni não teria merecido a correção do Padre Lombardi se no seu artigo do dia anterior no “Corriere” não tivesse de modo desenvolto atribuído a Bento XVI um gesto que o punha em má luz, mas que não correspondia à verdade, como Padre Lombardi fez questão de precisar e como os bem informados o sabiam.
 
É inútil acrescentar algo mais. Basta ler o exórdio do artigo de Melloni de 9 de Maio e a sucessiva carta do Padre Lombardi ao Diretor do “Corriere” para compreender a seriedade da questão em jogo.
 
---
 
ALBERTO MELLONI:
 
O que se consumou ontem em Viena foi um ato sem precedentes. O Cardeal von Schönborn, um entre os mais finos teólogos do Catolicismo e sem mais um dos pastores mais lúcidos em enfrentar os crimes de pedofilia, atacou frontalmente o ex Secretário de Estado Cardeal Sodano, agora decano do Colégio Cardinalício. Ele o acusou de ter definido como uma “fofoca” o pandemonio que está sacudindo a Igreja (uma expressão que Sodano havia tomado do Papa Ratzinger). E criticou pelos cuidados tidos para com um criminoso confesso e reicidente como o Cardeal Gröer (escolhido por João Paulo II (Wojtyla) e deposto sem que ninguém lhe tirasse a púrpura, como se costumava fazer nos tempos de Pio XI)”.
 
Von Schönborn sabe que Bento XVI  havia pedido a Sodano que na Páscoa fizesse uma saudação ao Papa na  Praça de São Pedro enquanto se espalhava a convicção que o Papa precisava ser “defendido”…
 
***
 
FEDERICO LOMBARDI:
 
Caro Diretor,
 
No artigo publicado no “Corriere” de ontem a propósito do “choque entre dois Cardeais”, o autor – Alberto Melloni – desenvolve diversas considerações e analises naturalmente lícitas ainda que em boa parte eu não as partilhe, mas faz também uma afirmação totalmente falsa, que tenho como meu dever retificar.
 
Melloni escreve: “Von Schönborn sabe que Bento XVI  havia pedido a Sodano que na Páscoa fizesse uma saudação ao Papa na  Praça de São Pedro enquanto se espalhava a convicção que o Papa precisav ser “defendido”…
 
Ora, por amor à verdade, Bento XVI não havia pedido absolutamente nada. A saudação do Cardeal Sodano foi uma iniciativa do Colégio cardinalício, pelo menos enquanto presente em Roma, representado por seu decano. O Papa fora disso informado pouquíssimo tempo antes, mesmo porque – presidindo a celebração – ele devia naturalmente saber o que ia acontecer. Ele acolheu a saudação com gratidão e simplicidade pelo que entendia ser, isto é, uma mensagem de proximidade, afeto e solidariedade.
 
Os discursos de Melloni permanecem substancialmente os mesmos ainda que com essa retificação. Mas é preciso constatar que a única afirmação direta que ele faz sobre o Papa altera seriamente a sua imagem.
 
Considero meu dever deixar claro que Bento XVI, mesmo em tempos difíceis, não mendiga e não organiza manifestações de defesa e apoio para sustentar a sua serenidade espiritual na Fé e a sua autoridade.
 
Acrescentaria que, de meu conhecimento, se há uma pessoa que – como justamente deseja Melloni no final do artigo – vive as atuais vicissitudes da Igreja com a consciência de seus significados, sem preocupações de perda de poder, mas em espírito evangélico de purificação, de penitência e de renovação profunda, é extamente Bento XVI.

    Para citar este texto:
"Falsos historiadores: Padre Lombardi desmente Professor Meloni"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/falsos-historiadores/
Online, 29/06/2017 às 00:54:21h