Igreja e Religião

Alemanha: Associações se organizam em vista da aplicação do Motu Proprio sobre a Missa Tradicional

Resumo: A Associação de círculos de leigos e padres católicos nas regiões de língua alemã (Vereinigung der Initiativkreise katholischer Laien und Priester im deutschen Sprachraum) e a organização « Pro Sancta Ecclesia » decidiram no dia 12 de julho em Ober-Olm (Província Renana) unir suas forças para favorecer a aplicação do Motu Proprio Summorum Pontificum.
 
No Frankfurter Allgemeine, as duas organizações publicaram um anúncio no qual elas exortam os fiéis ligados ao antigo rito a se unirem para formar comunidades  influentes. De fato, o Motu Proprio pede a formação de um grupo estável para introduzir, de modo regular, a missa tridentina em uma paróquia.
 
As duas associações explicam a sua campanha com o fato que, durante as últimas décadas, « no interior da Igreja, nas paróquias e nas dioceses, havia forças influentes que impediam por todos os meios a celebração da Santa Missa nesta forma que nos foi transmitida ». Muitas reações que surgiram depois da difusão do Summorum Pontificum mostraram que «essas forças não abandonaram de modo algum sua resistência ».
 
Por outro lado, a « Liga dos Padres Católicos » estará organizando cursos do dia 27 a 29 de Agosto, em Herzogenrath, visando os padres, os cantores e assistentes de missa que desejem conhecer o antigo rito. Essa liga reune aproximadamente 400 padres. Ela luta pela proclamação « não censurada » da doutrina católica com relação às prescrições liturgicas e da execução de tarefas de direção pelos padres. A liga de padres é dirigida pelo padre Guido Rodheudt, de Herzogenrath (diocese de Aix-la-Chapelle), pelo padre Uwe Winkel, de Spahl (diocese de Fulda), e pelo padre Hendrick Jolie, de Mühltal (diocese de Mayence).
 
Para esses padres, o Motu proprio do papa não se dirige somente aos tradicionalistas, mas deve contribuir para uma reforma do novo rito da missa de Paulo VI. Eles consideram que o antigo rito deve contribuir para a redescoberta do valor e da forma do culto « tal como formou a Igreja desde a época do papa Gregório Magno ». Lembram que, contrariamente ao que muitos bispos da Alemanha deram a entender, que temem haver divisão entre os fiéis, a missa tridentina deve poder ser celebrada em toda parte. « Porque se trata de uma decisão do papa exercendo sua jurisdição sobre toda a Igreja Católica ».
 
A Liga estima que a permissão do antigo rito vai trazer um « corretivo » à « nova missa » e contribuir para um « saneamento» do novo rito. Fazendo isso, eles se aliam plenamente ao projeto de reforma da reforma de Bento XVI, expresso em sua carta que acompanhou o Motu proprio : « As duas formas do rito romano podem enriquecer-se reciprocamente.(…) Na celebração da missa segundo o missal de Paulo VI, aquela sacralidade que impulsiona numerosas pessoas em direção ao antigo rito poderá ser manifestada de maneira mais clara do que tem sido usualmente manifestada até o presente momento. ». 
(fontes : Frankfurter Allgemeine/apic) 
(tradução e destaques nossos)

    Para citar este texto:
"Alemanha: Associações se organizam em vista da aplicação do Motu Proprio sobre a Missa Tradicional"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/20070811/
Online, 20/08/2017 às 10:45:30h