Igreja e Religião

Cardeal Seper acusa os escândalos ocorridos depois do Vaticano II
Pe. Jose Maria Iraburu

O Cardeal croata Franjo Seper, em 1972, sendo Prefeito de la Congregação da Doutrina da Fe, escrevia estas palavras ao padre Mikvlich:
«Causa-me grande alegria saber que o senhor está empenhado no bom combate da ortodoxia em matéria de educação religiosa. No há dúvida de que [...] se ultrapassaram todos os limites do tolerável. Há pouco tive em mãos um “Catecismo” holandês, que não tinha nada que ver com a religião cristã. [...]
«Sou incapaz de adivinhar quanto tempo durará entre os católicos la locura atual. por hora, é abundante a literatura sobre o ecumenismo; porém, na realidade, a crise doutrinnária católica é,  atualmente, um terrível obstáculo para o ecumenismo. No ano passado, eno dia de Sábado Santo, tinha eu, à minha mesa, um pastor protestante da Holanda, que me assegurava que seus fregueses holandeses, protestantes, não tinham idéia alguna dos interlocutores com os quais poderiam dialogar, pois não podem discernir quem representa a doutrina católica. E recentemente, si não me equivoco, um professor ortodoxo grego se expressava exatamente no mesmo sentido em um artigo publicado em um boletim do patriarcado sérvio.
«Penso que um día nossos católicos voltarão à razão. Porém, ¡ay!,  parece-me que os Bispos, que obtiveram muitos poderes para si mesmos no Concilio, são muitas veces dignos de censura, porque, nesta crise, eles não exercen seus poderes como deveríam. Roma está demasiado longe para intervir em todos os escândalos, e se obedece pouco a Roma. Se todos os obispos se ocupassem seriamente destas aberrações, no momento em que se produzem, a situação seria diferente. Nossa tarefa em Roma é difícil, se não encontra a cooperação dos Bispos»

    Para citar este texto:
"Cardeal Seper acusa os escândalos ocorridos depois do Vaticano II"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/20060410/
Online, 27/04/2017 às 19:46:16h