Igreja e Religião

Padre leva polêmica ao altar (missa show para Oxum)

O padre José Pinto ficou famoso em Salvador dançando ritmos populares na celebração da missa do dia de reis.

Mas o que traz aplausos de alguns fiéis, causa espanto e perturba outros.

No bairro da Lapinha, a Festa de Reis ocupa as ruas. Mas, dentro da igreja, cada missa é um show.

O padre Pinto é bailarino de formação clássica. Estudou balé no teatro municipal do Rio de Janeiro. Neste ano, adotou roupas coloridas para homenagear as diferentes raças, lembrando os três reis magos. “Há 20 anos que eu não dançava, o cardiologista me liberou, voltei com gás”, conta o padre Pinto.

A irreverência do padre já é conhecida dos baianos. O religioso chama a atenção nas celebrações e até em rodas de capoeira. Durante a missa de reis, a homenagem foi a oxum, a orixá das águas doces.

A igreja sabe”, diz ele. “Dom Geraldo sabe, a CNBB sabe”, garante. “O povo é que se assusta”. Uma fiel diz que acha “um pouco estranho, porque não é de costume. Mas foi muito bonito”, ela garante.

A primeira missa desta sexta-feira começou com uma evolução que lembrava os rituais indígenas. Em seguida, o padre mudou de roupa, celebrou a missa e voltou a arriscar uns passos.

Durante o sermão, padre Pinto respondeu a uma carta de um grupo de fiéis, que pedia o afastamento dele da igreja. “Eu não quero sair daqui, eu quero morrer no altar!”, berrou o padre Pinto.

Depois de tanta polêmica, o padre José Pinto sumiu. À noite, o pároco não apareceu para celebrar a missa que encerra os festejos de reis.

As pessoas que são muito católicas e assíduas na igreja não estão acostumadas com essas coisas e estranharam. Mas para mim, está tudo bem, está tudo maravilhoso”, diz Francineide Ornellas, auxiliar de enfermagem. Já uma outra católica afirmou que pela sua “antiguidade”, não gostou.

http://jg.globo.com/JGlobo/0,19125,VTJ0-2742-20060106-142005,00.html
(destaques nossos)



Comentário:

Vejam no vídeo do link acima uma profanação do SANTO SACRIFÍCIO da MISSA, no dia da EPIFANIA, "homenagem a OXUM" e, segundo o padre bailarino, tudo aprovado pela Igreja: "o Cardeal Geraldo está sabendo... a  CNBB está sabendo"...
 
O sermão da sacrílega missa blasfêma termina com gritos esquisitos e histéricos do Padre afirmando repetidas vezes: "não quero sair daqui... não quero sair daqui...quero morrer no altar"...
 
Pergunto: como foi possível chegar-se a este sacrilégio?... E como alguns fiéis o aceitam como se fosse a "coisa" mais normal do mundo ... católico ... CATÓLICO???
 
Aguardemos um pronunciamento das autoridades citadas pelo blasfemo padre ("O Cardeal Geraldo, a CNBB"...) como diz ele....
 
Marcelo
 
PS - alguém, outro dia, me disse que um bispo brasileiro de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, ameaçou EXCOMUNGAR todos os fiéis que assistem Missa TRIDENTINA (isto é, a MISSA de sempre da Igreja, substituida pela NOVA MISSA de PAULO VI em 1969).
 
O que dirá esse bispo sobre esta "Missa" e sobre este "padre bailarino"..e blasfemo.... que certamente "preside a assembléia" in persona OXUM?...  Irá ameaçá-lo?...
 
No eventual julgamento desse bispo não incluo os fiéis que acham "que  está tudo bem", pois, realmente não sabem o que dizem, devido à espessa argamassa de ignorância religiosa aplicada há décadas por muitos daqueles que lhes deveriam ter ensinado a santa doutrina do Catecismo.

    Para citar este texto:
"Padre leva polêmica ao altar (missa show para Oxum)"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/20060106/
Online, 24/05/2017 às 16:40:14h