Igreja e Religião

Igreja Universal é banida da Zâmbia por acusação de satanismo


LUSAKA (Reuters) - A Igreja Universal do Reino de Deus, fundada no Brasil, foi proibida na Zâmbia depois de alegações de que seus líderes seriam satanistas, afirmou o governo do país na quarta-feira.

"Há relatos de que dois homens dentro da igreja foram pintados e que a mesma igreja estava praticando o satanismo", disse em nota Peter Mumba, secretário de assuntos internos.

"As revelações sobre a Igreja Universal levaram o governo a suspender as operações da igreja imediatamente", disse.
Por lei, a Zâmbia é um país cristão.

A Igreja Universal não quis comentar o assunto.

Essa foi a segunda vez que a igreja foi banida da Zâmbia -- a primeira aconteceu em 1999 após acusações semelhantes de satanismo. Naquela ocasião, ela pôde voltar a atuar devido a uma apelação.

No sábado passado, dezenas de pessoas estilhaçaram vidros de um novo prédio da Universal construído em Lusaka, depois de alegações de que duas pessoas que foram rezar no local haviam sido forçadas a se despir e tiveram seus corpos pintados.

A Igreja Universal foi fundada no Brasil em 1977 e hoje opera em 90 países, incluindo os Estados Unidos e nações da Europa e Ásia.

Há alguns meses, Madagáscar proibiu uma filial da Igreja Universal, em uma medida que foi criticada por líderes religiosos e defensores dos direitos humanos.

Uma outra igreja, conhecida como Igreja Apostólica Nova Fundação, também foi proibida pelo governo da Zâmbia por acusação de satanismo e de abuso sexual contra meninas. A igreja negou essas acusações e disse que se tratava de uma campanha maldosa de ex-integrantes seus.


    Para citar este texto:
"Igreja Universal é banida da Zâmbia por acusação de satanismo"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/20051130/
Online, 24/03/2017 às 18:54:50h