Cotidiano

O delírio nazista do “superbebê”
Jaime Maia
 Na capa da revista “Superinteressante” (http://super.abril.com.br/ciencia/como-fazer-super-bebes) a chamada para uma reportagem sobre o “superbebê”. Nas letras pequenas, informa-se que o “bebê do futuro” vai ser feito sob medida, sem problemas congênitos (como miopia e outros) e que os pais poderão escolher várias características dos filhos. Mais, diz que isto já está acontecendo.
 
Claro, muito lógico! O superhomem antes tem que ser um superbebê. Por coincidência, com uns belos olhos azuis. É o bebê nazista, que fracassou sessenta anos atrás, quando Hitler organizava fazendas de criação de bebês, para mães e pais “reprodutores” (com o perdão da baixeza), racialmente puros e fisicamente perfeitos. E agora “fabricado”, graças à eugênica engenharia genética, pelos próprios pais, com o sacrifício dos “espécimes” menos perfeitos.

    Para citar este texto:
"O delírio nazista do “superbebê”"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/cotidiano/delirio_superbebe/
Online, 14/12/2017 às 06:00:05h