Cotidiano

Adolescentes fanáticos por TV e videogame são mais distantes da família

 Seg, 01 Mar, 08h11


WASHINGTON (AFP) - Quanto mais tempo os adolescentes passam vendo televisão ou brincando no videogame ou computador, mais distantes ficam de suas famílias ou amigos, revela um estudo divulgado nesta segunda-feira.

E com a tecnologia permitindo que as telas façam tudo, de entretenimento a educação, a descoberta pode gerar preocupação, indicaram os autores do estudo na Archives of Pediatric and Adolescent Medicine.

O estudo analisou dois grupos de adolescentes na Nova Zelândia, com 16 anos de distância.

O primeiro grupo, de 976 adolescentes, passou um dia em uma unidade de pesquisas quando tinham 15 anos, em 1987 ou 1988, para ver quanto tempo passavam vendo televisão em um dia escolar e sua relação com seus pais e amigos.

O segundo grupo, de mais de 3 mil jovens que fizeram 14 ou 15 anos em 2004, foi estudado quando havia mais videogames ou jogos de computadores disponíveis para os jovens, ainda que não tantos como atualmente.

O grupo preencheu questionários em suas escolas para estudar quanto tempo passavam vendo televisão, DVDs ou vídeos; por quanto tempo usavam um computador para algo que não fosse deveres de casa; e quanto tempo passavam com jogos em computadores ou videogames como XBox, Playstation ou Nintendo.

Também foi perguntado ao segundo grupo quanto tempo passavam lendo ou realizando tarefas escolares e quão próximos eram seus amigos e família. As comparações foram feitas com o mesmo questionário utilizado 16 anos antes.

No primeiro grupo, que via apenas televisão, os pesquisadores descobriram que, por cada hora adicional que passavam assistindo TV, "havia 13% de aumento no risco de terem um baixo apego aos pais e um aumento de 24% de baixo apego aos amigos".

Os resultados foram semelhantes 16 anos depois, mas apenas com relação aos pais. Para cada hora extra passada vendo televisão ou jogando em computadores ou videogames, havia 5% mais probabilidade de que os adolescentes tivessem uma relação mais distante com os pais.

Os pesquisadores também descobriram que os adolescentes que passavam mais tempo lendo ou realizando deveres de casa eram mais próximos aos seus pais.

"Considerando a importância do afeto dos pais e amigos para a saúde e o desenvolvimento dos adolescentes, há a preocupação sobre os altos níveis de tempo que eles passam em frente à tela", indicaram os pesquisadores.

"Com o rápido avanço das opções de telas para o entretenimento, comunicação e educação, são necessários estudos em curso para monitorar o efeito que estas tecnologias têm no desenvolvimento social e psicológico e no bem-estar físico entre os adolescentes", acrescentou.


    Para citar este texto:
"Adolescentes fanáticos por TV e videogame são mais distantes da família"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/cotidiano/20100301/
Online, 21/09/2017 às 20:17:25h