Brasil

Fiéis querem missa em latim em S. José dos Campos
Ana Cláudia Mattos

     Em decreto divulgado no último dia 7, o Papa Bento XVI liberou a celebração de missas em latim. A novidade agradou um grupo de jovens católicos de São José dos Campos, que há tempos solicitam sem sucesso tal celebração na cidade.
     Por meio do 'motu proprio', chamado Supremo Pontificum, 1,1 bilhão de católicos em todo o mundo terão a partir de agora a benção do papa para pedir que os padres celebrem missas em latim. A medida também serve para batismos e casamentos.
     No decreto, Bento 16 diz que se o padre se recusar a celebrar em latim, o fiel poderá recorrer ao bispo que, segundo o pontífice, "é veementemente recomendado a satisfazer tais pedidos". Caso não tenha sucesso poderá apelar diretamente ao Vaticano.
     Durante a visita de Bento 16 ao Brasil, em 10 de maio, ele celebrou uma missa em latim e italiano no Mosteiro de São Bento, na região central de São Paulo, que foi exclusiva aos monges.
     Na região, de acordo com a Diocese de Guaratinguetá, somente o Mosteiro Belém, em Guará, ainda preservaria missas em latim. Em outras cidades do Vale do Paraíba não se tem notícia que uma igreja mantenha a prática desse antigo rito litúrgico.
     A liberação das missas em latim pelo papa foi comemorada pelo contabilista Fábio Duarte, 22 anos, que faz parte do Grupo São Pio 5º -- formado por cerca de 50 pessoas em São José.
     "Há anos estamos tentando junto à Diocese de São José dos Campos que tenhamos missas em latim na cidade ou que possamos trazer um padre de fora para a celebração", disse Duarte.
     Segundo ele, o grupo se reúne duas vezes por semana para rezar no Sanatório Maria Imaculada, na região central da cidade. "Mas agora não precisamos mais da autorização do bispo para que seja celebrada a missa em latim na cidade", disse.
 
ABAIXO ASSINADO - Fábio afirmou que o Grupo São Pio 5º, que existe desde 2003, entregou no ano passado um abaixo-assinado ao bispo de São José pedindo a celebração semanal da missa em latim.
"Outras quatro audiências foram feitas com o bispo, sem nenhum retorno", afirmou. Segundo ele, a última audiência aconteceu no dia 1º de junho passado, quando o grupo fez um pedido formal em nome do Instituto do Bom Pastor, fundado em 8 de novembro de 2006.
"Nosso grupo costuma frequentar as missas em latim no Instituto do Bom Pastor em São Paulo", disse.
 
OUTRO LADO - O bispo da Diocese de São José dos Campos, Dom Moacir, disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre o assunto.
Durante o Concílio Vaticano Segundo, no período de 1962 a 1965, foram introduzidas reformas que incluíram a substituição do latim pelos idiomas locais na liturgia. Muitos católicos tradicionalistas se opuseram à tal reforma. Os fiéis interessados pelo antigo rito tinham até então que pedir a autorização do bispo, que por sua vez pedia ao Vaticano para que pudesse ser celebrada a missa em latim.
 
"Seria um retrocesso que as missas dominicais passassem a ser em latim. Mas o resgate do latim nos seminários é bastante importante. Hoje dão apenas uma noção de latim e não mais preparam os padres" Do padre Vinícius rosa, da Diocese de Caraguatatuba.

    Para citar este texto:
"Fiéis querem missa em latim em S. José dos Campos"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/brasil/20070715a/
Online, 30/03/2017 às 09:40:12h