Montfort Associação Cultural

8 de outubro de 2004

Download PDF

“Você é realmente cristão?”

  • Consulente: Marília e Janete
  • Idade: 20
  • Localizaçao: São José dos Campos – SP – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Religião: Outras – escreva abaixo

Vc é realmente cristão ???

Achei que o cristianismo trazia outra mensagem….a mensagem do amor e do respeito, mas me enganei…

Somos wiccans….e ficamos chateadas qndo pessoas como vc, deturpam nossa religião tão querida e amada por nós…

Felismente muitas pessoas mudaram suas opiniões sobre a Bruxaria…e pessoas como vc não passam de 1% ….

A nossa religião traz a mensagem do amor ás pessoas e a natureza…. Não adoramos o Diabo…muitos menos fazemos sacrificios ou coisa parecida…

Não adianta vc consultar uma satanista p/ ajuda-lo nas respostas….ela nem é a pessoa ideal….

Vc tem que pedir p/ um verdadeiro wiccan, ele sim…lhe dirá sobre nossas crenças….e te garanto….se vc a conhecesse…iria adorar a nossa religião…vc ficaria encantado…

Entre nos nossos sites….veja se algum perde o precioso tempo falando de cristãos….nós não o fazemos…pois respeitamos vcs….e gostaria que vcs fizessem o mesmo…

Não seria melhor em vez de vc dirigir a páginar p/ criticar á Wicca…usa-la p/ ecologia….trabalhos voluntários….e outras coisas beneficas ao Brasil ????

Caras Marília e Janete, salve Maria!

Fui batizado bem pequeno, e crismado mais tarde, quando era um rapazote, na Santa Igreja Católica, e procuro seguir o que ensinou Nosso Senhor Jesus Cristo tanto pela Sagrada Escritura quanto pela Tradição Apostólica.

Portanto, sou cristão sim.

Ser cristão e católico é antes mais nada aceitar e praticar o que Cristo e sua Santa Igreja ensinou e ensina.

É aceitar a Verdade revelada por Deus e respeitar a lei natural a nós dada por Ele, a mesma que foi explicitada nos dez mandamentos.

Ser cristão é amar a Verdade e detestar a Mentira.

É verdade, sou mesmo católico, sou cristão.

Vocês se enganam a respeito do próprio cristianismo. Distorcem o conceito de amor e confundem respeito com tolerância ao erro.

Jesus disse “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”.

Caminho porque Ele é quem nos conduz ao céu, e que nos ensina como devemos viver segundo Sua Divina vontade.

Verdade, porque Deus não pode se contradizer. Se Deus se contradissesse cometeria um erro, e se cometesse um erro, não seria Deus.

Vida, porque Ele é Deus e Deus é a Vida, porque só através dele temos a vida eterna. Como São Pedro Lhe disse “Tu tens palavras da vida eterna” (Jo VI, 68).

Quem ama, odeia. Quem ama o doce, odeia o amargo. Quem ama a paz, odeia a guerra. Quem ama as virtudes, odeia os vícios. Quem ama a verdade, odeia a mentira. Quem ama a verdadeira religião, a católica, odeia as falsas.

E a wicca é uma religião cheia de mentiras, a começar com a mentira de suas origens. Segundo Gerald Gardner, o “pai” da wicca, esta seria um renascer das antigas crenças pagãs da Europa pré-cristã, e que foi mantida através de “covens” familiares, escondidas. Tal fato hoje é amplamente negado pelos estudiosos do assunto, entre eles o historiador Inglês Ronald Hutton.

A própria Enciclopédia de Mágica e Bruxaria declara que:

“Agora está bem estabelecido que a bruxaria moderna foi formulada no início da década de 50. Uma minoria significativa, contudo, alega que eles pertencem a uma herança tradicional ininterrupta, que veio a eles através de sua própria família do que de qualquer herança social. Estudos desta matéria tem entretanto falhado em prover qualquer prova que sustente tais alegações”
(The Encyclopedia of Magic & Witchcraft, p. 206 – os negritos são nossos).

Para mais detalhes, ver a correspondência trocada com outro wiccano em “Adepto da Wicca revela seus dogmas“.

Existe também a lei das três vezes, mais conhecida pelos wiccanos americanos como “Wiccan Rede” que alegadamente diz que “tudo que fazemos, bem ou mal, volta 3 vezes”

Doreen Valiente, uma das figuras mais influentes e respeitadas na bruxaria moderna, que foi iniciada diretamente por Gerald Gardner, comentou enfaticamente em seu discurso na Conferência Nacional da Federação Pagã em Novembro de 1997:

“Outro ensinamento de Gerald (Gardner) que gostaria de questionar é a popularmente conhecida “Regra das Três vezes”. Ela nos diz que qualquer coisa que você faça na bruxaria retorna com intensidade três vezes maior, para o bem ou para o mal”

“Bem, eu não acredito nisto! Porque deveríamos acreditar numa lei cármica especial que se aplica somente às bruxas… Eu nunca vi isto em qualquer livro de magia antigo, e acho que Gerald (Gardner) a inventou”
(http://www.waningmoon.com/ethics/3fl-1.shtml).

Infelizmente, parece que muitas pessoas de boa índole estão caindo nesta rede de mentiras e de erros, caindo na idolatria, pois poucos são os cristãos que defendem a verdade e atacam o erro (os quais vocês pensam não passar de 1%…). Sendo cristão devo mostrar o que o paganismo realmente é: um conjunto de erros e mentiras, cujo fim último é afastar as almas de Deus e da salvação eterna.

Muitos católicos chochos hoje em dia seguem o refrão da tolerância “Viva e deixe viver”, mas na verdade, em seus corações vão com o refrão de uma música do péssimo Paul McCartney “Live and let die”. Viva e deixe morrer, que as almas vivam no pecado e morram eternamente no fogo infernal. É o refrão dos frouxos e fracos, embalados nos pensamento bailescos de mentes vazias de entendimento e cheias de frases prontas…

Vejam bem, o meu objetivo não é desrespeitar vocês pessoalmente, mas criticar a falsa religião à qual vocês pertencem. Deus me livre de faltar com o respeito a alguém, ou de corrigir sem justiça. Mas, como cristão não posso ter consideração pelo erro e pela mentira, principalmente quando envolve a economia da salvação.

Com toda a propaganda que a TV e o cinema tem feito da bruxaria, e pela decadência da Fé, não é de estranhar que as pessoas acabem por simpatizar com a mesma… A influência da mídia televisiva é tão grande hoje em dia que muitas pessoas passariam a gostar até de refrigerante de jiló, se passasse na TV ou no cinema.

Vocês dizem que não adoram o demônio. Claro que sei que vocês não adoram o demônio como tal, não têm a foto de Satanás pregada na parede do quarto ou coisas afins, mas, por outro lado, a Bíblia nos ensina que:

“Os deuses dos pagãos são demônios” (Salmos XCV, 5).

Também tenho consciência que muitos wiccanos jamais realizaram sacrifícios rituais, porém, alguns defendem que o aborto é um sacrifício necessário para a deusa Artemis, vide o artigo Bruxaria e Aborto:”O sangue dos inocentes oferecido aos demônios” na seção Veritas do site.

Quanto a tomar lições de Wicca com um “wiccano de verdade”, no thanks… Não estou interessado em românticas aulas práticas de panteísmo e outras balelas.

Recentemente, saibam, pude sentir na pele o respeito dos adeptos da wicca, quando um certo “sacerdote” wiccano amavelmente desejou as “alvíssaras de minha passagem”, ou em português popular, que eu “batesse as botas”. Bela expressão do amor e do respeito wiccano, não acham?

Sancte Michael Archangele, Defende nos in praelio
Paulo Sérgio Pedrosa

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Qual a diferença entre concílio infalível e concílio pastoral? - Orlando Fedeli

Cartas: Retorno dos anglicanos à Igreja Católica - Orlando Fedeli

Cartas: Transgressão de documentos da Igreja - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais