Montfort Associação Cultural

20 de dezembro de 2004

Download PDF

Torquemada, Bernardo Gui e Savonarola

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Bruno Luís de Lima Santana
  • Localizaçao: Salvador – BA – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Profissão: Professor/operador Telemarket
  • Religião: Católica

Caro prof. Orlando Fedeli e colaboradores do site,
Christus vincit, Christus regnat, Christus imperat!

Venho mais uma vez pedir a ajuda de vocês sobre estes homens que passaram à História.
Tratam-se dos inquisidores Torquemada e Bernardo Gui e de Girolamo Savonarola.
O que sei sobre eles é muito exíguo (sobre Torquemada, em algum lugar certa vez que ele foi o grande inquisidor do seu tempo, e perseguia cristãos-novos acusados de práticas judaizantes, mas que ele próprio era de origem judáica. Bernardo Gui escreveu o Manual do Inquisidor, mas sua imagem no filme O Nome da Rosa parece ser oposta ao que ele aparentava ser, se levarmos em conta o seu próprio Manual do Inquisidor. E finalmente Savonarola pretendia moralizar Florença, mas acabou na fogueira por ordem de Alexandre VI – conforme a história convencional nos ensina).
Gostaria de saber o essencial sobre estas pessoas. Até quando Torquemada e Bernardo Gui podem ser considerados culpados – se houve algo de criminoso em seus atos?
E Savonarola? Foi um “mártir” dos excessos do papa Alexandre VI? O que este homem pregava?
Essas pessoas trouxeram benefício ou prejuízo à Igreja?
Desde já, agradeço a atenção.

In Iesu et Mariae, semper,
Bruno.

Muito prezado Bruno,
Salve Maria!
 
    Os livros mentem muito sobre os personagens históricos que defenderam a Igreja. Desses três que você menciona, eles só defendem Savonarola, porque ele se rebelou contra o Papa. Além disso, Savonarola defendia algumas teses bem suspeitas. Ele foi um grande orador e arrastava o povo a seus sermões. Todos os que o ouviam choravam, e por isso, ficaram com o apelido de ” Os chorões” ( I Piangioni).
    
    Michelangelo foi um deles. Ora, Michelangelo era gnóstico, Savonarola  se opunha  ao Renascimento materialista e panteísta, mas há indícios de que ele era de tendência gnóstica. Infelizmente não tenho dados sobre isso, porque não li seus escritos.
 
    Torquemada era de origem judia, sim, mas combatia os judaizantes. Também Santa Teresa era de origem judia, e foi uma grande santa. O principal auxiliar de Torquemada foi São Pedro Arbués, que foi também grande Inquisidor. Bernard Guy evidentemente não foi a figura que Eco apresenta dele no livro O nome da Rosa, do qual foi extraído o filme. (leia, no site Montfort, meu trabalho sobre o nome da Rosa, intitulado Nos Labirintos de Eco, que lá trato do caso de Bernard Guy e de seu livro o Manual do Inquisidor.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Bibliografia para estudo da Inquisição - Ronaldo Mota

Vídeos: Paidéia – Parte 2 - Marcelo Andrade

Cartas: Independência Dos Estados Unidos Da América - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais