Montfort Associação Cultural

10 de dezembro de 2008

Download PDF

Testemunho a favor de Orlando Fedeli

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Roberto Wagner
  • Localizaçao: BA – Brasil
  • Religião: Católica

Professor Fedeli,

Veja abaixo que belo testemunho escreveram a seu respeito.

Encontrei a carta abaixo num site que, a exemplo de outros, modernistas, procuram injuriá-lo.

Professor Fedeli, continuo rezando para que Nossa Senhora o proteja, sempre!


Clovis R. Lobo
Agosto 21, 2008 às 8:05 am

Prezado Senhor,
Pax et Bonvs!

Acessei o site Montfort poucos minutos atrás e deparei-me com a crônica do Dr. Fedeli lamentando os incidentes/acidentes ocorridos no I.B.P.

E foi rastreando esta questão que cheguei ao v. blog.
Li e reli com a merecida e devida atenção v. comentário.

Daquilo que pude depreender da v. crítica quanto à postura do Dr. Fedeli, faço seguir algumas considerações, que na minha míope visão de leigo, creio ser de bom alvitre, uma vez as circunstâncias ora apresentadas.

Pelo totem do tom de v. críticas ao Profº Fedeli, que nesta exata oportunidade, creio pouco respeitosas, principalmente por se tratar de um ancião, é que venho infra comentar os possíveis “resvalos” morais do Dr. Fedeli, que o senhor insistentemente preclara.

01. Acredite ou não, NUNCA estive com o Dr. Fedeli, nunca o vi, só por fotografia que demora no site Montfort. Nunca assisti a uma palestra sua; É que as circunstâncias sempre conspiraram contra. E mais: Só estive em São Paulo uma única vez, quando ainda cadete em 1985, sendo que nesta época o Dr. Fedeli, salvo engano, deveria pertencer ao quadro da T.F.P, ainda que “congelado”. Não sou fâmulo desta organização. Tão somente conheço suas opiniões, corajosamente dispostas no ínterim daquele bem organizado e acreditado site que invoca S. L. G. de Monfort.

02. Não é minha pretensão estabelecer juízo de valores dos demais personagens envolvidos, v.g.: os Levitas Renato Leite e Rafael Navas, uma vez, também não os conhecer.
Amparado nas assertivas explicativas supram é que fica deveras fácil fazer minhas considerações com imparcialidade.

Saio do charco e subo a planície. Eis aquilo que minha consciência brada em acudir a causa defendida pelo Dr. Orlando Fedeli em sua crônica sobre o I.B.P.
E que dizer sobre ele senão relembrar as virtudes que cultiva e que ficam registradas nos seus inúmeros escritos?

Creio ser o Dr. Fedeli um homem humilde, entretanto possuidor dum temperamento forte que doma com vontade férrea, um obstinado pelas causas da Igreja Católica. Um apaixonado.
Humildade visível, visível no perdão sincero a quem o agrava. Todavia, sempre exigindo daquele um só requisito: Sinceridade.. Humildade que não admite vingança, porque sendo o Dr. Fedeli um indivíduo forrado de avantajada erudição, educador dos mais eméritos, bem como profundo conhecedor do Evangelho de N.S.J.C. a quem ele tanto prega, por certo, não lhe faltaria a lembrança que “…a Deus pertence a vingança” (S. Paulo Apóstolo aos Romanos, XXII, IXX). Humildade que o faz sofrer com paciência as injúrias e outras agressões de um ódio, ora ostensivo, ora velado, na maioria das vezes por parte dos inimigos da Fé que ele caprichosamente defende, embora sempre manifeste seu pacífico protesto.

Por outro lado, sei que muito lhe apraz publicar as diversas e fecundas realizações de sua vida, principalmente os encontros com o Mons. Perl, secretário da P.C. Ecclesia Dei e com o Mons. Ranjith, secretário da C.C.D. e dos Sacramentos. Acontecimentos de magna relevância, ou não?
Seria isto vaidade humana, oposta aquela mesma virtude da humildade? Ou este estadeamento de suas obras estaria em parte justificado, ou explicado pela recomendação deste mesmo Evangelho de que “Não se ascende uma candeia para se colocar debaixo de um alqueire, mas sim sobre o candelabro, e assim alumia a quantos estão em casa. Brilhe do mesmo modo a vossa luz diante dos homens, a fim de que, vendo as vossas boas obras glorifiquem vosso Pai que está nos céus” ( Evangelho de S. Mateus, V, XIV…XVI).

Em uma de suas inúmeras respostas dispostas em seu site, identificaremos o amor por sua família, a quem dedica afeição muito rara, mostrando sempre ser um bom marido, igualmente pai zeloso e exemplar.
Será que o Dr. Fedeli poderia ser tão artificial e demagogo a este patamar? Por que as insistentes tentativas em satanizá-lo?

Ainda se faz pertinente recordar as inúmeras respostas que concede a milhares de cartas que deve receber mensalmente através do site Monfort, empenhando seu apertado tempo para réplica inclusive das mais simplórias indagações do orbe internauta, sem exclusão de adversários ideológicos; Tudo isso revela o seu amor efetivo pelo próximo.

Sou sabedor, através das inúmeras missivas dispostas naquele site, que o Dr. Fedeli, tem uma personalidade vigorosa, algumas vezes ácida, por assim dizer, porem persegue com tenacidade os objetivos que pretende alcançar. Por isso vem deixando um rol de incontáveis realizações no que diz respeito ao combate as ideologias humanistas, verdadeira caixa de pandora aberta imediatamente após a revolução francesa, dentre outros incontáveis préstimos a causa da Igreja.

E se alguns dos seus projetos não foram avante, acredito não dever-se a seu desânimo, mas a causas alheias à sua vontade.

Estou confidente que uma das notas mais significativas do seu modo de ser é o seu acentuado e patente desapego aos bens materiais. Homem de cultura invulgar, bem poderia ter multiplicado seus recursos em projetos pessoais de enriquecimento constante, tanto na literatura, no jornalismo como na política, uma vez seu inconteste poder de argumentação. Não o fez.. Dissipa seu patrimônio nos interesses da religião.
Todo verdadeiro seguidor de Cristo, há de ser como o Mestre sinal de contradição, segundo o vaticínio de Simeão “Será alvo do ódio de alguns e da afeição de muitos”(Evangelho de S. Lucas, II, XXXIV). A esta condição não escapa o Dr. Fedeli, sendo que mesmo ainda em vida, vê-se mudar em compreensão e respeito as atitudes de alguns desafetos. Diz-se o adágio que só na posteridade se retificam o juízo sobre as pessoas. Estou certo que no seu caso, em relação a muitos, especialmente as de bom caráter e de boa fé não será preciso demorar muito, ainda em vida, muitos já mudaram de opinião, vide as cartas dispostas naquele site, reconhecendo-lhe os merecimentos.

E quanto a suposta manipulação de futuros sacerdotes oriundos do I.B.P. pelo Dr. Fedeli, vai esta ad calendas grecas. Fábula abissal, fictícia, irreal, além do que INEXEQUÍVEL. Nem o Monsenhor José Aírton GUEDES, Cura da Paróquia de N.Srª da Piedade no Bairro de Santo Amaro aqui na Cidade do Recife, em suas 102 primaveras, sendo o Padre em atividade mais velho em todo mundo, teria tal presunção.

E se o Dr. Fedeli está doente é de tanto ler as bobagens que escrevem a respeito dele!
Ta-ta
Em Recife-PE.
A.D. 21/08/2008

Muito prezado Roberto,
Salve Maria.
 
Deus lhe pague o envio desse documento escrito pelo senhor Clóvis Lobo, que faz minha caridosa e desinteressada defesa. Deus pague também a esse meu defensor que não conheço, mas a quem gostraia de enviar meu abraço. Que ele saiba que rezarei por ele como a um benfeitor. E que seria uma prazer agradecer pessoalmene a ele
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Heresias de um membro da ´Pastoral da Juventude` - Orlando Fedeli

Cartas: É possível ser católico sem aceitar o Concílio Vaticano II? - Orlando Fedeli

Cartas: Equívoco - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais