Montfort Associação Cultural

31 de maio de 2005

Download PDF

Teoria evolucionista foi observada pela primeira vez no vírus da Aids

Autor: Fábio Vanini

  • Consulente: Eduardo Vieira Tavares
  • Localizaçao: Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Senhores,
A teoria da evolução não pôde ser observada, nem comprovada porque se leva milhares de anos para as adaptações ocorrerem nas espécies.

No entanto, cientistas puderam comprovar a teoria da evolução nos vírus da Aids.

Em anexo, envio um entre milhares de links na internet em que vc podem verificar essa informação. Não sei se isso valida toda a teoria de darwin, mas com certeza, não a invalida totalmente.

PS. A reportagem não fala especificamente sobre isso, mas com um pouco de boa vontade será o suficiente para você encontrar mais informações sobre isso.

[ ]s
Eduardo

http://cienciahoje.uol.com.br/controlPanel/materia/view/2952

“…O austríaco é um dos formuladores de um dos mais bem aceitos modelos matemáticos para a progressão do HIV dentro do corpo humano.

Também esse modelo se baseia na teoria da evolução de Darwin. A alta taxa de mutação do HIV (que armazena sua informação genética em moléculas de RNA, e não de DNA) é fundamental para explicar seu ciclo no organismo. O modelo de Nowak prevê com exatidão o padrão de evolução da carga viral do HIV no sangue de um paciente soropositivo: a grande taxa inicial nos primeiros meses, seguida por uma queda acentuada e alguns anos de latência, quando o vírus é combatido de forma eficaz pelo sistema imune, até o período de colapso, cerca de dez anos após a infecção, quando as mutações do vírus enganam definitivamente as defesas do corpo, a Aids se instala e leva o paciente à morte.”

Prezado Eduardo Vieira,
salve Maria!

< ?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /> 

            A notícia em questão mostra que a mutabilidade dos vírus pode ser mensurável e, até mesmo, previsível. Pode-se construir um modelo matemático que prevê a dinâmica de um vírus no organismo e esse modelo pode se aplicar a outras coisas que mudam.

            Contudo, sinto lhe informar, mas tal situação não comprova nem evidencia em nada a teoria evolucionista.

            Em primeiro lugar, a teoria da Evolução não está errada por que não pode ser observada. Ela contém erros de princípios, erros fundamentais.

            O ferramental matemático, de dinâmica populacional e genética de populações é bastante eficiente e preciso, mas não mede evolução. Mede mudanças acidentais, genéticas, mas não há como medir o grau de especiação, por exemplo.

            Tenho insistido nesse ponto, pois vejo que ainda é um erro fundamental que persiste: Evolução não é mudança de freqüência gênica, nem descendência com modificação. Evolução é mudança de espécies. Equivaler evolução a uma mudança qualquer é um sofisma. E me parece que esse sofisma é como um “chiclete”: é barato e perde o gosto rápido, mas quando gruda é difícil de soltar.

            Um vírus como o da AIDS pode até ter a mudança genética como estratégia reprodutiva e ser este um caractere que lhe confere vantagem. Mas ele será sempre vírus.

            A reportagem sugerida não traz novidade nenhuma em termos de evidências da evolução.

 

No Coração de Maria Santíssima,

Fábio Vanini

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: A evolução é incontestável - Fábio Vanini

Notícias e Atualidades: Bento XVI afirma que teoria da evolução é irracional

Artigos Montfort: No princípio não era o berro - Fábio Vanini

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais