Montfort Associação Cultural

5 de janeiro de 2005

Download PDF

Teologia da Libertação e RCC

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Heloisa
  • Idade: 30
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação incompleta
  • Religião: Católica

Sr. Fideli, Salve Maria.

Há algo que não entendo, e acompanhando sua página de internet, talvez o sr. possa me ajudar :

Se o marxismo é tão ruim, contrário à liberdade de expressão, a propriedade privada e a religião, como podem tantos padres e religiosos dizerem-se marxistas ou coisa parecida ?

O sr. considera a teologia da libertação (dita marxista) pior do que a RCC (que apresenta fortes influências protestantes)?

Não sigo nenhuma destas duas correntes, porém, no meu ver, creio que a TL é mais devastadora à fé católica do que a RCC, devido ao seu caráter materialista e ateu (comunista!)

Uma outra coisa : Recentemente, em visita a Basilica de Aparecida, encontrei um livrinho chamado TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM de São Luís Maria Grignion de Montfort. O nome de sua associação tem alguma coisa a ver com este santo ? O sr. poderia me fornecer, ou então sugerir algum livro ou página na internet, com informações sobre este santo ?

Grata pela atenção.

Prezada Heloísa, salve Maria!

Tanto a Teologia da Libertação — uma heresia de fundo marxista e modernista — quanto a RCC são erradas.

Você tem razão, pelo menos em parte, quando diz que a Teologia da Libertação parece pior, porque ela nega verdades fundamentais da Fé, e de modo escandaloso. A chamada RCC não faz negativas da Fé católica de modo tão escancarado. Mas ela também contém erros doutrinários muito graves.

A RCC tem origem protestante, e como todo o protestantismo, se ela aceita a existência de Deus transcendente e criador, e se aceita Cristo, ela, como todas as seitas protestantes, recusa a Igreja hierárquica como Deus a fez.

Na RCC, essa recusa da Igreja hierárquica é muito sutil. Na RCC, não se faz uma recusa explícita da Igreja Hierárquica. Mas, se as pessoas possuem os dons do Espírito Santo, e se elas fundamentam sua religião numa “experiência interior com Deus“, é evidente que a Igreja visível e hierárquica deixa de ter importância. Para que precisa da Igreja, aquele que possui um contato direto, pessoal, experimental e interior com o Espírito Santo?

Nesse caso, a Igreja passa a ser desnecessária. Daí, o individualismo e a divisão dos grupos carismáticos que tendem a se constituírem em pequenas igrejolas dentro da Igreja institucional, reunindo-se mais em casa do que na Igreja.

Decorre daí, o fluxo contínuo, agora, de carismáticos para as seitas protestantes. Porque não se vê diferença entre o que acontece na RCC, e o que acontece nas seitas pentecostais protestantes, que pretendem ter carismas de línguas, de curas, etc. E até a doutrina dessas seitas heréticas e da RCC é a mesma. Os hereges pentecostais expõem a sua posição religiosa com as mesmas palavras que os carismáticos católicos usam: todos alegam ter os carismas de língua, de profecia, e de cura. Todos alegam ter tido a mesma “experiência com Jesus“. Todos alegam a mesma “religião do coração“.

Se a Teologia da Libertação é mais brutalmente e mais claramente herética, a RCC é mais perigosa, exatamente porque mascara seus erros doutrinários, falando de Jesus, rezando etc.

Conclusão: a Teologia da Libertação racionalista e a RCC irracionalista, ambas são as duas pontas de uma mesma pinça com que se pegam e arrastam os católicos para a heresia.

*****

O Nome da Associação Cultural Montfort foi adotado, exatamente, em homenagem, e inspirado, na obra de São Luis Grignion de Montfort, grande santo mariano, autor do Tratado da Verdadeira Devoção a Nossa Senhora, livro que lhe recomendo ler com muita atenção, e vária vezes, para bem assimilá-lo.

São Luis de Montfort viveu nos séculos XVII e XVIII, pregando o amor à Cruz e a devoção a Nossa Senhora. Esse santo combateu muito o Jansenismo, heresia que dominava o clero francês daquele tempo. Por isso, ele foi muito perseguido pelos padres e Bispos Jansenistas e Galicanos.

Você me perguntou como padres e Bispos podem apoiar a Teologia da Libertação. Respondo-lhe que os inimigos de Deus e da Fé católica sempre procuram infiltrar-se na Igreja para melhor destruí-la. E foi sempre assim. Por isso Cristo nos preveniu contra os maus pastores que vem disfarçados de ovelhas e, por dentro, são lobos ferozes…

No século XVIII, eram os padres e Bispos jansenistas e galicanos que perseguiam São Luis de Montfort. Hoje, são os teólogos, Bispos e padres, da Teologia da Libertação, e os clérigos carismáticos, são os Cardeais, Bispos e Padres modernistas que tentam destruir a Igreja, atuando dentro dela. Por isso, São Pio X declarou na encíclica Pascendi, que os piores inimigos da Igreja são os que estão dentro dela.

Cuidado, pois, com os lobos travestidos em doces cordeiros…

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Veemência na defesa da Fé - Orlando Fedeli

Cartas: Defesa ´neutra` do Pe. Leo e Canção Nova - Orlando Fedeli

Cartas: Hoje não sou mais carismático. Sou mais católico - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais