Montfort Associação Cultural

12 de janeiro de 2005

Download PDF

Tentações

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Kilmer
  • Localizaçao: – Brasil

Caro Prof. Orlando Fedeli, Que a Paz do Senhor esteja convosco.

Venho mais uma vez lhe pedir uma ajuda sobre um assunto que me deixou meio confuso. Se Deus permite que o demônio amaldiçoe o homem para prová-lo, como podemos discernir entre provação e tentação demoníaca? A tentação seria uma ação do demônio sem a permissão de Deus?

Além disso, gostaria de uma sugestão bibliográfica para quem sabe futuramente coordenar uma turma de catecismo para a primeira Comunhão. Meu objetivo é passar para as crianças e/ou adolescentes a verdadeira doutrina católica, para que eles não venham a ser vítimas das ideologias do tempo moderno, por sinal, abomináveis.

Mais uma vez grato pela atenção.

Kilmer

Muito prezado Kilmer, salve Maia.

Toda tentação, como toda cruz que tenhamos na vida, são provas a que Deus nos submete para que vençamos nossas más tendências. Alguém que nunca fosse tentado, acabaria se considerando santíssimo, e cairia num orgulho incontrolável. O próprio Cristo quis ser tentado, para que compreendêssemos a necessidade da tentação para que conheçamos quão fracos e maldosos somos.

A tentação pode vir do demônio ou de outras pessoas que nos convidam para praticar o mal, diretamente ou por seu maus exemplos, ou de nós mesmos. Daí a Igreja dizer que a tentação nos vem do demônio, do mundo (os outros) e da carne, (do nosso ser mesmo).

Certa vez, Deus Nosso Senhor permitiu que os demônios atacassem fisicamente Santo Antão, no deserto do Egito, e lhe dessem uma surra a pauladas. Santo Antão desmaiou, e quando voltou a si, ele viu Nosso Senhor, e lhe perguntou como queixando-se: “Senhor, Tu estavas aí?”.

E Jesus lhe respondeu: “Sim, estava aqui, mas queria ver primeiro a tua vitória”. Desde esse dia, nunca mais os demônios puderam tocar em Santo Antão. Assim também conosco, Deus permite que sejamos tentados, mas nos dá sempre a graça suficiente para resistirmos à tentação e vencê-la. Vencer sem combate, é triunfar sem glória.

Para preparar crianças para a primeira comunhão, aconselho que você siga o Catecismo da Primeira Comunhão de São Pio X , ou o Primeiro Catecismo da Doutrina Cristã. Você deve ensinar as crianças a saber quem está realmente presente na hóstia e prepará-las para que façam uma confissão sincera e correta dos pecados que tiverem cometido. Procure incutir nas crianças uma Fé bem viva na presença Real de Jesus na Hóstia consagrada, e faça com que a recebam com Fé e devoção.

Que Deus abençoe seu apostolado com as crianças, porque, levando as crianças a Jesus, você está mais do que atendendo ao que Ele mandou: “Deixai vir a Mim as criancinhas”. Você não só deixa as crianças irem a Jesus, mas as conduz até Ele.

Será que é muito cedo para lhe desejar Bom Natal?

Ainda que seja muito cedo. Bom Natal para aquele que leva as crianças ao presépio do tabernáculo. Bom Natal, Kilmer.

In Corde Jesu semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: Domingo na Oitava de Natal

Cartas: Possessões e Exorcismo - Douglas Quitale

Oração e Vida Espiritual: O que é a fé?

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais