Montfort Associação Cultural

13 de fevereiro de 2007

Download PDF

Sobre o artigo do site: ´Imagens, ídolo, veneração, adoração`

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Wagner Herbet Alves Costa
  • Localizaçao: Itapetinga – BA – Brasil

Viva Cristo Rei! Viva a Virgem de Guadalupe!

Prezado Prof. Orlando Fedeli

Li, num dos artigos do seu site, a acusação do protestante Saul, que inicia de modo meio confusso. Primeiramente, dizendo (ou sugerindo) que os ídolos que Deus proibiria seria a queles que têm pés e mãos; depois, no entanto, contradizendo esse parecer – ele mesmo demonstrou o contrário. Haja vista ter citado a passagem do Deuteronômio que deixa claro que o Altíssimo não proíbe imagens com pés e mãos, mas todo tipo de imagem idolátrica: de animais, aves… até de astros siderais (seres que, com certeza, não possuem pés ou mãos)… [Não é contraditório esse Saul?]

a) Prof. Fedeli: as representações simbólicas dos querubins – muito provavelmente – possuíam pés e mãos, não é mesmo? ou será que os “suals” (é assim que que se escreve o plural de “Saul”?) da vida acreditam que os “querubins da glória” (Hb 9,5) eram cotos ou aleijados? [Eu já vi ilustrações ou figuras protestantes em que, didaticamente, as estátuas querubínicas da Arca da Aliança são representadas possuindo pés e mãos.]

OBS.: Na Vulgata, inclusive, é citada que, no Templo de Jerusalém, a presença de uma imagem de homem: <<"Apresentando como que a figura de um homem de pé" (III Reis 7,36)>> [BÍBLIA SAGRADA (Traduzida da Vulgata), 15a.

edição, Edições Paulinas, SP, 1998, p. 378].– [III Reis 7,36 equivale, nas demais traduções da Bíblia, a 1 Reis 7,36]

b)Ao citar o texto do Deuteronômio, o Saul frisou: imagem de “homem e mulher “. Por que ele não frisou também a parte antecedente que diz: “Imagem esculpida em forma de ídolo” (Dt 4,16). Assim, Deus haveria especificado a proibição da Lei como sendo só sobre as estátuas (isto é, “imagem esculpida”) e não com referência a qualquer tipo de imagem. Se pudesse eu perguntaria ao sr. Saul: E aí, Saul, a proibição do Deuteronômio inclui: a pintura, o desenho, o mosaico, o vitral, os bordados, as tapeçaria, posters, etc? Se dizes que sim; então, prove! Pois, pelo texto bíblico é dito especificadamente: “imagem esculpida em forma de ídolo”(cf. Dt 4). Repito, pelo texto do deuteronômio citado, NÃO é qualquer tipo de imagem; mas “ESTÁTUA” e ainda, esta estátua, tem que ser “em forma de ídolo”.

(Sugerindo, assim, que éxistem estátuas que não possuem a forma idolátrica e estas, por conseguinte, também não seriam proibidas).

Em suma, por tal inferência,então, poder-se-ia afirmar que: “Todo ídolo – obrigatoriamente – teria que ser uma estátua; mas nem toda estátua seria um ídolo” (assim como todo dólar é dinheiro; mas nem todo dinheiro é dólar); haja vista exitirem estátuas aceitas no templo (querubins, leões, touros: 1Rs 7,29; além de escultura de guirlandas e palmas: 2 Cron 3,5),afora a estátua da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9) ou dos ratos e tumores (cf. 1Sm 6,11). Há ainda a estátua que ficou – por um bom período de tempo – na Casa de Deus em Silo: “Eles instalaram para seu uso a imagem que Micas havia esculpido, e ela permaneceu lá todo o tempo em que subsistira a casa de Deus em Silo” (Jz 18,31).

Saul e o Dicionário

“No Dicionário Aurélio 3.0 – Século XXI” também é dito que honrar é venerar. E agora Saul? Tu não honrarás mais teus pais porquanto – no Aurélio – venerar significar honrar? E como fica o santo mandamento que diz: “Honra teu pai e tua mãe” (Lc 18,20); bem como a seguinte sentença bíblica que diz: “Se alguém me serve, meu Pai o honrará” (Jo 12,26); ou ainda: “Honrai a todos” (1 Ped 2,17). Aliás, no mesmo dicionário, “venerar”
significa respeitar. Será que Saul não mais respeitará nada e ninguém, exceto Deus?… Eu creio que não! Pois, certamente, Saul continuará respeitando muitas coisas; bem como dando a honra a quem é devida a honra, não é mesmo?… Diga-me Saul: você honra os santos de Deus? Você os respeita? Sim ou não?… Você respeitaria as imagens do Templo de Jerusalém?

{Lembre-se – ó incauto Saul – segundo o Aurélio respeitar é venerar (e que, presumidamente, seria o mesmo que adorar).] Você as respeitaria ou não?… E como Adorar, segundo o citado dicionári o, é igual a idolatrar; então, não te incomodarias de ser chamado de “idolatrador” de Deus? [Eu porém não idolatro Deus, eu o adoro!]

Ah, Saul! Você, citou ainda, que, segundo o mesmo dicionário, adorar é amar extremamente. E me responda, então: “Deus amou o mundo: pouco, medianamente, ou em extremo?” Não foi em extremo, Saul? A ponto de – conforme está escrito – entregar oo seu Filho amado para salvação do mesmo: “Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único” (Jo 3,16). por conseguinte, segundo aquele que vulgarmente é denominado de “Pai dos Burros”, Deus teria cometido o pecado da idolatria; é assim Saul?

Em que cipoal tu te meteste, em Saul? (E com dicionário embaixo do braço!… Melhor seria fechá-lo, e rapidamente! Antes que, “com pés e mãos”
sejas, tu, laçado nos fogo do inferno – conforme asseverou Nosso Senhor Jesus Cristo.)

Saul no Zoológico?!

Meio confuso, ele disse que se quisesse ver animais iria ao Zoológico; dando a entender que não precisaria contemplar por meio de representações artísticas. Eu, porém, digo: têm certos lugares (“as sinagogas de Satanás”) que peço a Deus não precisar nunca ir para não ter, quiçá, que me depara com os “cães” (Mt 7,6), “víboras” (Mt 23,33) e todo tipo de “bestas” – que por lá possa haver? Por outro lado, eu teria – se possível fosse – um enorme prazer em visitar o Templo de Deus, que Salomão mandou edificar; e no qual a glória de Deus pousou. Lugar Sacro em que abundavam inúmeras imagens de animais (touros e leões) – imagens que participavam do Verdadeiro Culto a Deus. Aliás, imagens sagradas e abençoadas e que, portanto, conjuntamente com todo o Templo do Altíssimo, eram reverenciadas. Está escrito: “Reverenciareis meu santuário” (Lv 19,30).

E ainda:”Me prostro voltado para o teu sagrado templo” (Sl 138(137),2). [O Santuário, como é bem sabido, estava cheio de imagens.

]…E lá (no teu santuário), ó Senhor, possamos cantar com o Salmista: “Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
(Sl 65(64),5).

[OBS.: O Templo e tudo que havia nele eram sagrados! Portanto, cada objeto de lá, inclusive, as imagens, não podiam ser tidos com simples enfeites - eram ornamentos sacros com significados simbólicos-religiosos preciosos.]

Para os que ignoram a Escritura é preciso deixar claro: o que é proibido é a prostração “adorativa” perante criaturas (sejam imagens ou não); e não a prostração SEM adoração. Vejamos, alugns exemplos, lícitos, de prostrações sem a adoração:

– “Betsabéia se ajoelhou e se prostrou diante do rei” (1 Rs 1,16).

– “Quando chegou o profeta Natã… Ele veio perante o rei e se prostrou diante dele” (1 Rs 1,22s.) – “Esse terceiro chefe subiu, dobrou os joelhoes diante de Eliseu e suplicou-lhe assim: “Ó homem de Deus…” ” (2 Rs 1,13).

– “Prostrai-vos perante o seu monte sagrado” (Sl 99(98),9).

– “Josué então rasgou suas vestes, prostrou-se com a face em terra diante da Arca de Iahweh até à tarde, tanto ele como os anciãos de Israel” (Jos 7,6).

Mais uma acusação infundade do Saul

E, dentre a infundadas acusações, ele diz que Deus não dependeria de Madre Tereza de Calcutá ou dum Santo Apóstolo; portanto, estaria errado qualquer pedido de intercessão. Não tem nada haver tal assertiva feita pelo tal Saul. Ademais, pedir a intercessão de alguém – seja do céu ou da terra – é algo que pode ser dispensado; porquanto, poder-se-ia pedir diretamente ao Senhor. Pedir o auxílio das orações dos santos é, apenas, reconhecer que Deus Altíssimo – autor e sustentador da Comunhão dos Santos – alegra-se com a solidariedade que pode haver entre os seus filhos.

De fato, a acusação de que é com se Deus estivesse dependendo da intercessão do santo não cabe. Essa acusação do Saul é muito furada! Ora, e quando um herege (como são os protestantes) pede ao pastor de sua comunidade para rogar por ele: isto significa que Deus estaria dependendo da intercessão do pastor? Claro que não! Tão-somente, ele está pedindo a um irmão (em Cristo)que ore por si; e, isso, de modo algum, significa que Deus dependeria do pastor. Aliás, a regra é a mesma: se a pessoa quisesse podir diretamente a Deus, sem precisar dos rogos do pastor, poderia fazê-lo [como acontece com relação as santos de Deus].

Portanto, é mais do que claro que meus pedidos podem chegar a Deus por meio de intermediários (estejam estes na terra ou não); muito embora, possam chegar até Deus, sem precisar de intermediários. [O pedido de intercessão - seja a um santo do céu, ou a um irmão da terra - apenas é o reconhecimento que Deus também pode ser compelido a agir de forma indireta; além, da forma direta - que sempre subsiste e que dispensa qualquer intermediário.]

Bibliografia

– BIBLIA SAGRADA, 15a. edição, Edições Paulinas, SP, 1988.

– BÍBLIA DE JERUSALÉM, Editora Paulus, SP, 1996.

P.S.: Se puder e quiser colocar este texto como um adendo a sua preciosa resposta a Saul; creio, que será de grande contribuição para os leitores de seu site.

É sempre bom refutar essas heresias “sem pé e sem cabeça”!

Muito prezado Wagner, salve Maria!

Muito obrigado por sua excelente cooperação, refutando os sofismas do herege Saul.

Achei muito bons os seus argumentos, e pedirei que publiquem sua carta com destaque no site Montfort.

Que Deus recompense seu zelo em defender a verdade e em defendê-la de modo tão claro, sábio e interessante, mesmo, com tanta graça.

Escreva-nos sempre. E se quiser refutar outros protestantes que se metam a sofismar contra a fé, tenha a bondade de usar a palavra de Deus como espada de dois gumes. Palavra que o senhor sabe usar tão sabiamente.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais