Montfort Associação Cultural

4 de fevereiro de 2005

Download PDF

Sobre o artigo “A pajelança com as células-tronco”

Autor: Rogerio Pazetti

  • Consulente: Rozeli
  • Idade: 40
  • Localizaçao: São José dos Campos – SP – Brasil

Á Assessoria de Empresa da Montfort,

Fiquei muito assustada com o artigo da Prof. Alice Teixeira Ferreira, onde ela chama àss pequisas com células-tronco de
“A pajelança com as células-tronco”. A professora lança duvidas sobre assuntos que foram explicados pelos pesquisadores
Um deles é a utilização de células-tronco por portadores de doença genética, eu que sou leiga já sei que esses pacientes não poderão utilizar suas células.
Eu respeito o direito que as pessoas têm em não concordar com essas pesquisas, e não queira utilizar possíveis benefícios que esse tratamento poderá oferecer. Mas não consigo compreender como alguém se acha no direito de impedir que outras pessoas possam se beneficiar de um tratamento para continuar vivendo. Já imaginou se os ”Testemunhas de Jeová” conseguissem impedir a transfusão de sangue, só porque eles são contra. Sei que os opositores das pesquisas com célula-tronco vão dizer que são temas totalmente diferentes, mas como tudo depende do ponto de vista, os “Testemunhas de Jeová” consideram tudo a mesma coisa (os dois tratamentos ferem as Leis de Deus).
Não estou pretendendo persuadir ninguém a mudar suas convicções, só estou pedindo o direito de continuar vivendo, pois, tenho 40 anos e sou portadora de ELA “Esclerose Lateral Amiotrofica”. O pior dessa doença não é a morte e sim o sofrimento que ela causa. A pessoa morre de forma lente e cruel, só quem não sabe o que é uma doença como essa pode se achar no direito de privar alguém de uma possível cura. Como eu disse antes, se uma pessoa é contra as pesquisas com células-tronco e descobre que é portador de alguma doença como a ELA, e não deseja fazer uso desse tratamento por questões religiosas, morais ou éticas, é um direito dela. Mas eu gostaria de continuar vivendo e como estamos vivendo em uma sociedade moderna e democrática acho que o meu direito também deveria ser respeitado. Se eu estiver errada que Deus me julgue no momento que achar certo, mas não admito que nenhum ser humano tão limitado e com tantos defeito quanto eu me diga que eu devo morrer só porque a minha sobrevivência fere seus princípios. O que a professora Alice chama de Ética eu chamo de intransigência, pois paises como a Inglaterra e Suécia já estão fazendo pesquisas nessa área e se for comprovada a eficácia do tratamento o nosso pais subdesenvolvido e muito ético vai ter que importar e pagar caro para ter acesso a nova tecnologia. E mais uma vez as pessoas mais humildes vão pagar o pela ética dos nossos intelectuais, deputados, senadores e outros detentores do poder, porque quem tem dinheiro paga pra continuar vivo e quem não tem sofre porque sabe que existe cura, mas ele não tem acesso a ela. A Ética dos poderosos donos da verdade como sempre pune somente os pobres.

Obriga pela atenção

Rozeli

Prezada sra. Rozeli, salve Maria!
 
Primeiramente, gostaríamos de agradecer seu contato e dizer que nos solidarizamos com seu estado de saúde e rezaremos para que a senhora fique curada, se for da vontade de Deus.
 
Quanto ao artigo da Profa. Alice Teixeira Ferreira, acreditamos ter ficado clara a sua preocupação com a falsa expectativa que se está dando aos portadores de graves doenças, e também aos seus familiares, de que as células-tronco EMBRIONÁRIAS sejam a grande e única esperança de salvar a vida dessas pessoas.
 
O que sabemos pelas publicações científicas e notícias veiculadas pela mídia em geral é que as células-tronco ADULTAS, essas sim, é que têm demonstrado REAL poder de tratamento e cura para diversas doenças, como diabete, infarto, Doença de Chagas e, inclusive, a Esclerose Lateral Amiotrófica, da qual, infelizmente, a senhora é portadora.
 
Pelo contrário, não se conhece um caso sequer, mesmo nos países em que a pesquisa com células-tronco EMBRIONÁRIAS já foi liberada há alguns anos, como a Inglaterra e a Suécia, citadas pela senhora, em que tenha havido algum sucesso no tratamento com essas células. O que já se sabe pelos testes realizados em animais de experimentação é que, em mais da metade dos casos, as células-tronco EMBRIONÁRIAS originam teratomas, um tipo de câncer muitas vezes mais potente que os conhecidos.
 
A revista Newsweek de novembro de 2004 trouxe um artigo mostranto o fracasso de uma aplicação de células-tronco embrionárias numa clínica de estética na Rússia. O resultado foi que a pessoa que se submeteu ao tratamento com a finalidade de eliminar algumas rugas do rosto, além de não conseguir se livrar das mesmas, após algumas semanas estava com o rosto repleto de nódulos do tamanho de uma ervilha.
 
Como a senhora pode ver, os cientistas ainda estão muito longe de saber como as células-tronco embrionárias funcionam.
 
O objetivo das pessoas que tentam impedir que essas pesquisas ocorram é no sentido de evitar que muitas vidas sejam sacrificadas, pois, como a senhora deve saber, mesmo sendo leiga, é que a retirada das células-tronco EMBRIONÁRIAS ocasiona a MORTE DO EMBRIÃO. Já para o uso de células-tronco ADULTAS, assim como para a transfusão de sangue não admitida pelos Testemunhas de Jeová, não é necessário matar ninguém, só há benefícios, o único fim é salvar uma vida sem que para isso se recorra a meios ilícitos, como por exemplo tirar a vida de outra pessoa.
 
É perfeitamente compreensível que a senhora queira manter o maior bem que possui, a vida. Porém, não podemos esquecer que a sua vida, tem o mesmo valor que a de qualquer outro ser humano, independentemente da raça, cor, sexo e do estágio de desenvolvimento em que se encontre, desde a concepção até a morte natural. Como é o caso dos embriões congelados, mantidos neste estado quando estão com cinco dias de vida, aproximadamente.
 
Ou, por acaso, a senhora acredita que sua vida valha mais que a de algum outro ser humano? A senhora ficaria com a consciência tranqüila sabendo que, para que fosse curada, milhares de vidas humanas tiveram de ser sacrificadas?
 
Por fim, sugerimos que não repita o falso slogan que alguns têm usado sobre uma suposta dependência do Brasil em relação aos outros países quanto às pesquisas nessa área. Como já citamos, são inúmeros os casos de tratamento com sucesso de várias doenças em diferentes centros de pesquisa no nosso país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Sul, entre outros. Portanto, temos ótimos cientistas que, apesar da falta de incentivo do governo, conseguem desenvolver muitas técnicas novas para o tratamento e benefício da humanidade.
 
Reiteramos nosso compromisso em rogar a Deus por sua saúde, e colocamo-nos à disposição para tentar esclarecer qualquer outra dúvida.
 
Maria Santíssima, saúde dos enfermos, rogai por nós!
 
Rogério Pazetti

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais