Montfort Associação Cultural

14 de março de 2005

Download PDF

Sobre a existência dos Dinossauros

Autor: Fábio Vanini

  • Consulente: Alessandro Moreira
  • Idade: 23
  • Localizaçao: Joinville – SC – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Profissão: Estudante
  • Religião: Católica

Não consigo encontrar, com base bíblica, uma resposta lógica à existência e extinção destes répteis, os dinossauros.
Teriam estes sido criados por Deus juntamente com todos os outros animais durante os seis dias da Criação, ou já existiam e foram extintos antes?
Se os dinossauros foram criados por Deus juntamente com todos os outros animais, a lógica é que tenham sido extintos no grande dilúvio.
Por que Deus criou e eliminou estes seres? Por que Deus permite que tomemos ciência de suas existências através de fósseis, mas que não saibamos quando e porquê foram extintos?

A lógica humana nos leva a acreditar na teoria da evolução, onde estudos científicos afirmam que os dinossauros existiram antes do surgimento do homem. Sinto minha fé abalada, porque aos meus olhos identifico uma imperfeição nos relatos bíblicos.

Seria a existência e a extinção dos dinossauros, juntamente com suas omissões nos relatos bíblicos, uma forma de Deus provar nossa fé?

Alessandro Moreira.

Prezado Alessandro Moreira, salve Maria!
 
            Um erro corrente, com fundamentação protestante, é a utilização da Bíblia como enciclopédia de ciências, como livro-texto de Biologia e química. Permita-me que eu lhe corrija essa tendência, pois esse desvio de finalidade das Sagradas Escrituras leva a duas conseqüências: a perda da fé – quando há uma aparente contradição -, ou a perda da razão nas conclusões científicas, com base na realidade.
            O livro do Gênesis certamente não fala de muitos seres vivos e tampouco fala da história geológica, paleontológica e meteorológica do Universo. Não há a menor carência de se abordar eventos de grandes catástrofes, se não tem importância teológica.
            Também não se iluda com a interpretação protestante de que o Universo foi criado em 6 dias de 24 horas e de que a terra possui somente uns 6000 anos de idade. Em se tratando da história geológica, certamente podemos passar a idade do Universo para a grandeza dos bilhões de anos. Pois: “um dia, diante do Senhor, é como mil anos e mil anos como um dia” (II Pd, III,8). Curiosamente, no mesmo capítulo em que São Pedro escreve isso, ele trata da história da Terra. Os métodos científicos não estão completamente equivocados, mas seus princípios e interpretações é que são distorcidos para conclusões atéias.
            Porém, quanto à teoria da Evolução, aí, ao contrário do que você escreve, há uma falta de lógica, uma falha proposital de raciocínio, que, com ou sem dinossauros, não explica o Universo razoavelmente. A ciência moderna e atéia é mentirosa e sofista, principalmente quando se trata de defender a teoria da evolução.
            Em relação aos dinossauros, não deixe que esses calangos gigantes abalem sua fé. Você já viu um fóssil de dinossauro? Eu mesmo tenho a felicidade de ter um membro superior de um mesossaurídeo em casa. É um bom animal de estimação, pois não dá o menor trabalho, não morde e não morre mais.
            Contudo, imagine um desses de 30 metros de comprimento, de várias toneladas, se arrastando e devastando plantações inteiras e ainda sendo protegidos por uma ONG ecologista. Ou um tiranossauro destruindo o teto de um galinheiro para apanhar e devorar numa só tacada todas as galinhas e seus ovos, junto com o dono da granja.
            Apesar dos romances encherem as cabeça vazias dos homens deste século, é certo que se os dinossauros foram extintos é por que sua existência não é proporcionada ao centro da criação, que é o homem. Enquanto animal, sua forma era necessária para  preencher lacunas na escala biológica dos seres vivos. E assim Deus fez para que o homem compreendesse a hierarquia e ordem do Universo, reflexo da sabedoria de Deus.
            Porém, coexistir com o homem não seria bom, pois talvez o homem tivesse um predador natural ou uma praga de proporções desastrosas. Se assim quis Deus, foi para preservar o homem de algum mal maior.
            Além disso, a investigação científica é natural e proporcionada ao intelecto humano. Encontrar um fóssil, um átomo, uma estrela ou uma proteína que complete uma seqüência ou uma ordem lógica é um estímulo à inteligência humana, feita por Deus. Conhecer é o primeiro passo para Amar e é natural que Deus tenha nos dado prazer em descobrir leis e ordens universais, que refletem sua Inteligência. E, pode ter certeza, há muitas coisas que o homem ainda não conhece e nem por isso a fé deve ser abalada. Toda a natureza é escalar e obedece a padrões e leis. Basta encontrá-las, ainda que leve séculos.
            A ciência mostra, pelas camadas geológicas, que homem e os dinossauros nunca coexistiram. Portanto, não foram os grandes répteis extintos pelo dilúvio.
            Também há milhares de outras espécies de seres vivos, de bactérias a grandes mamíferos, que já se extinguiram, coexistindo ou não com homens, e que não há menção alguma nas Sagradas Escrituras. Repito: a Bíblia não tem finalidade de informar ao homem a fórmula química da água, mas levá-lo a conhecer símbolos contidos em tal elemento e que refletem virtudes e a sabedoria de Deus. Mas, principalmente, a Bíblia trata da fé e da Revelação, que estão acima da razão e da ciência, ainda que não a contrariem. E, mesmo assim, a Bíblia não trata de tudo, e sua leitura sem orientação pode levar a perda ou desvio da fé.
 
Espero ter podido ajudar,
No Coração de Maria Santíssima,
Fábio Vanini

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Criacionismo é ciência - Fábio Vanini

Cartas: Papa defende a Evolução - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Magia e Ciência Moderna se abraçam - André Roncolato

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais