Montfort Associação Cultural

22 de maio de 2006

Download PDF

Soberba da RCC e Canção Nova

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Olegario Nazario de Lima
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Religião: Católica

Querido e estimado professor Orlando,

Deus seja Louvado e Salve Maria!

Apenas escrevo essa missiva com o intuito de expor os fatos que por mim foram vividos na tentativa(infrutífera) de fazer apologética em dois seguimentos mais comuns e propagados hoje em dia pela mídia : A RCC e a Canção Nova.

Participei – como observador – de seus propósitos, fundamentos e idéias doutrinárias… Causei polêmicas, indignação e ódio dos sectários dessas comunidades.

Relato-os agora:

A princípio tanto para a RCC e tambem a Canção Nova, não basta ser “apenas” católico. Tem que estar inserido em algum “ministério”. Seja ele (ministério) de “cura e libertação”, “oração”, “intercessão”….E o mais apreciado e concorrido de todos, é o “ministerio de música”..E isso para o senhor, jã não é dificil perceber o porque….(risos).

Todos os integrantes desses ditos “ministérios” trazem consigo a mística de possuirem uma missão. Algo quase que sobrenatural, que lhes foi dado por DEUS… São soldados valentes dos padres da Canção Nova.

Eles suportam todo e qualquer tipo de ofensa feita pelos protestantes e ateus, à Virgem Nossa Senhora e aos santos da Igreja Católica, mas não toleram em absoluto, qualquer crítica feita a nenhum padre daquela comunidade…Canção Nova e RCC. Aí de quem o fizer!!!!

São valentes e muito ecumênicos. Mas o são apenas aos opositores da Santa Igreja. Não existe ecumênismo para quem desfere críticas ao Pe Jonas, Padre Léo, Padre Fábio de Mello…e por aí vai…

Ao dizer que sou católico, em seguida se emendava uma pergunta automática: O que voce faz na Igreja? Participa da RCC?… E na resposta dada por m im, de que não participo de nenhum ministério, não faço parte de qualquer comunidade de encontros, que sou apenas Católico, Apostólico, Romano, a réplica igualmente era automática: Eu lamento! Mas Nossa Senhora há de te converter!!!

Repito professor, para os sectários dessas comunidades, não basta ser Católico…Tem que ser da Canção Nova ou RCC… E isso para mim, é lamentável.

Caso fosse um protestante, alias não se deve pronunciar esse termo, o usual seria “irmãos separados”, herege, nem pensar é uma ofensa gravíssima,… teria acolhida e respeito no meio deles….Afinal para eles, os sectários da CN e RCC, os hereges apenas “respeitam Maria”…mas não “são obrigados a Amá-la ou prestar-lhe Culto”… Eles( os irmãozinhos separados) devem ser amados e tolerados…até que Deus os converta.
Falando em conversão, não é sadio nem elegante pronunciar palavras como, diabo, inferno, perdição.. O mundo da CN e RCC é “cor de rosa”, feito de união, alegria, tolerência e música…muita música…

Professor Orlando, a minha constatação nesse breve estudo de 03 meses que fiz nesses movimentos, chega a triste conclusão que : A CN e RCC, para a maioria de seus participantes, esta ACIMA DA IGREJA CATÓLICA. Um absurdo!!!

Numa das raras amizades que fiz com uma participante daquele movimento(RCC), que atua no “ministério” de música, consegui expor essas situações abusivas e exageradas que são praticadas pela CN E RCC, e ela muito decpcionada, me confessou o sequinte: “Olegário, estou percebendo que a CN e a RCC deixam as pessoas alienadas…Acho que esses movimentos estão se tornando uma NOVA IGREJA…”

Pois é professor, isso resume tudo.

Finalizando, acrescento que terminei esse meu “estudo” que partiu de minha livre e espontânea iniciativa, que teve como o único propósito, esclarecer os fatos e pescar almas….Estou um pouco, prá não dizer muito, decepcionado…Não esclarecí absolutamente nada…e “pesquei” menos ainda…

Saio dessa atmosfera da CN e RCC certo apenas de uma convicção que eu suspeitava, e que agora ela se faz concreta e absoluta: A CN e a RCC são seitas protestantes infiltradas na Igreja Católica.

Fique com Deus professor,

No Coração de Jesus e Maria.

Olegário Nazário de Lima.

Muito prezado Olegário,
Salve Maria.
 
    Sua carta é preciosa porque dá um testemunho vivo do que acontece nessa seita protestantosa que é a RCC e particularmente a seita da Canção Nova. Concordo inteiramente com vocêe. Esses movimentos são sectários pois se colocam como Igreja. Julgam-se a verdadeira Igreja, e consideram a Igreja Católica institucional uma coisa perempta, ultrapassada.
    É característica comum a todos os chamados “novos movimentos eclesiais” colocarem-se com a verdadeira Igreja que vai substituir a Igreja de sempre.
    Neo Catecumenato, Focolares, RCC, Canção Nova, Teologia da Libertação, Arautos do Evangelho, Oficinas de Oração e Vida, TFP, Legionários de Cristo, Toca de Assis, etc. são movimentos que seguem um líder humano carismático, colocam o sentimento acima da fé e da verdade, são de princípios ou pelo menos tendências Modernistas. Todos se julgam A Igreja. Kiko, Plínio, Padre Jonas, Chiara Lubich, Padre Larrañaga, Padre Marcial, etc julgam-se profetas de uma Nova Igreja pós conciliar. Todos pretendem ter carismas extraordinários. Todos se julgam movidos pelo Espírito Santo.
    O que eles nunca aceitam é o ensinamento infalível dos Papas. Quando muito se escudam no Concílio Vaticano II que interpretam segundo o “espírito” que os move. Todos pretendem ser jovens ensinado velhas heresias.
    Suas obervações sobre os sectarismo da RCC e da Canção Nova são muito cogentes. Pegam a realidade muito concretamente. Expõem com clareza a falsidade e a hipocrisia desses sectários.
    Dou-lhe meus parabéns por seu testemunho sincero e pleno de verdade.
    Escreva-me semepre e receba meu abraço bem agradecido

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Renovação Carismática Católica - Orlando Fedeli

Cartas: Falsos dons do Espírito Santo na RCC - Orlando Fedeli

Artigos Montfort: Mensagens subliminares na música religiosa

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais