Montfort Associação Cultural

3 de novembro de 2014

Download PDF

Sermão do Cardeal Burke – Missa Summorum Pontificum

Cardeal Burke, mais uma vez se apresenta de forma decidida e corajosa. Transcrevemos a seguir o sermão proferido na Missa realizada por ocasião da peregrinação do Summorum Pontificum

Vós partistes de vossa casa e de vossa atividade ordinária para vir em peregrinação de um modo extraordinário até a Sé de Pedro e esperar na gratidão do Senhor pelo dom mais belo que nos dá na Igreja o qual é a sagrada liturgia. É o sucessor de S Pedro que tem a responsabilidade de salvaguardar e de promover este dom para o rebanho do Senhor disperso em todo o mundo. Agradecei ao Senhor de modo particular pela beleza perene da tradicional forma dos ritos litúrgicos da Igreja latina, pela riqueza da Liturgia Romana que o papa Bento XVI com a carta apostólica Summorum Pontificum, dada Motu próprio de 07/07/2007, tornou-a mais acessível à Igreja universal. Com a missa pontifical celebrada, segundo a forma extraordinária do rito romano, nesta magnifica basílica, erigida sobre o túmulo de São Pedro, a vossa peregrinação atinge o seu cume. Chamando à memória São Pedro e implorando a sua intercessão, honremos o particular zelo de seus sucessores, expresso no modo mais alto e completo na custódia e na promoção da sacra liturgia .

Assim Bento XVI com a Carta Apostólica Summorum Pontificum nos recordou. “Os sumos pontífices até os nossos dias tinham constantemente o cuidado de que a Igreja de Cristo oferecesse à divina majestade um culto digno ao louvor e gloria de Seu nome e para a utilidade de toda a sua Santa Igreja.”

Na mesma Carta Apostólica, Bento XVI sublinhou, de maneira particular, o excepcional cuidado com a sagrada liturgia da parte dos santos papas São Gregório Magno, S Pio V e São João Paulo II.

De nossa parte, recordamos hoje a contribuição, em continuidade com estes grandes pontífices, do Papa Bento XVI na salvaguarda e na promoção da sagrada liturgia como a expressão mais alta e perfeita da nossa vida em Cristo e na sua Santa Igreja.

Celebramos a Missa votiva de Nossa Senhora no sábado (Missa Salve Sancta Parens), para que a Mãe de Deus sempre nos acompanhe na nossa peregrinação.

Com tanto amor materno, a Senhora nos acompanhou até este templo sagrado, para mostrar-nos a natureza extraordinária da nossa vida ordinária, porque nisso resulta em Cristo pela inabitação do Espirito Santo em nossas almas.

Com amor materno quis responder a nossa devoção conduzindo-nos ao encontro de fundo extraordinário com seu Filho divino, na comunhão com Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. A Santa Comunhão é o verdadeiro e insubstituível alimento na nossa peregrinação terrena até o encontro da vida eterna na presença de Deus Filho, Pai e Divino Espirito Santo em comunhão com os anjos e todos os santos.

Em cada peregrinação sagrada descobrimos nossa profunda identidade como peregrinos e antecipamos o comprimento de nossa peregrinação ao banquete nupcial com o Cordeiro.

O Senhor concedeu que Sua Mãe, como a Divina Sabedoria louvada no Livro, tenha morado no lugar santo de Jerusalém, a cidade que o Senhor ama, para servir diante Dele, dispensando sua graça de verdade e luz aos peregrinos. Neste lugar santo, seguindo o exemplo da Mãe de Deus, e suplicando sua intercessão, descobrimos de novo que nossa verdadeira herança é o Senhor, vivo por nós na Igreja e que a nossa casa permanente está no meio de um povo santo, a casa da perfeita assembleia dos santos.

Em peregrinação para celebrar o grande dom da Sagrada Liturgia, compreendamos sempre melhor o sentido profundo da palavra do Senhor no Evangelho. Quando uma senhora que estava na multidão para ouvir o Seu ensinamento, levantou a voz para louvar Sua Mãe: “Bendito o útero que O portou e os seios que O alimentaram”, o Senhor assinalou a verdadeira fonte da santidade de Sua Mãe, isto é a sua perfeita obediência à lei de Cristo pela qual se preparara a ser Sua Mãe. O Senhor declarou: “Bem aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática”.

Nesta nossa peregrinação, a Mãe de Deus nos convida a imitar Sua obediência a fim de que Deus possa purificar nosso coração de todo afeto desordenado que nos conduziria ao pecado e à morte e, ao mesmo tempo, que inflame o nosso coração com o amor a Sua lei, que nos conduza à vida virtuosa e à vida eterna.

Peregrinos, em companhia da grande Mãe de Deus, rezemos pela Sua intercessão para obter a graça de imita-La oferecendo o nosso coração totalmente a Cristo, especialmente com a nossa fiel participação na sagrada liturgia, fonte da sabedoria e força divina, da qual temos necessidade para seguir a Cristo de todo nosso coração.

Fazendo nosso coração um só com o Coração Imaculado de Maria, no Sacratíssimo Coração de Jesus, através do nosso culto ao Pai, ofereçamos a Deus um amor puro e desinteressado, com o qual Ele nos amou primeiro. Reconheçamos nossa verdadeira herança no Coração de Jesus e permaneçamos salvos, ao longo do caminho que nos conduz à nossa Casa eterna, no meio de um povo glorioso, na perfeita assembleia dos santos ao banquete nupcial do Cordeiro.

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais