Montfort Associação Cultural

23 de dezembro de 2010

Download PDF

Ser contra o Concílio Vaticano II é combater o Espirito Santo

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: José Pereira de Souza
  • Localizaçao: Santa Rita do Oeste – PR – Brasil

O que acontece coma Monfort e seu pessoal é o mesmo que aconteceu com a vinda de Jesus Cristo, que muitos judeus não aceitaram e, portanto ficaram sem Cristo, não sabendo que Jesus não veio para extinguir a lei antiga, mas para aperfeiçoar.

Não aceitar o Concilio Vaticano II, é e sentar nos concílios anteriores, é fazer o que fizeram os judeus que não aceitaram Jesus e seguiram seus próprios caminhos até hoje, nas trevas como diz Jesus a luz veio ao mundo, mas os homens preferiam mais as trevas que a luz, não aceitar o Concilio Vaticano II, é ficar nas trevas, pois quem não aceitam o Vaticano II, fica sem o Espírito Santo, a mesma história que está acontecendo agora já acontecera no passado, O Apostolo Paulo é o grande exemplo desse fato que foi preciso à intervenção de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas com uma grande diferença, quem peca contra o Pai, o Filho perdoa quem pecar contra o Filho o Espírito Santo perdoa, mas quem pecar contra o Espírito Santo, não haverá mais perdão, por não haverá quem possa perdoar.

É inacreditável a coragem de gente que se diz defender a Igreja Católica, fazer o que fazem como o pessoal da Monfort, sabendo ou não estão defendendo é a heresia, se Deus não agradou de seus defensores, que acusavam o Filho como pode agradar de quem combate o Espírito Santo, gente essa que não vê os sinais dos tempos, não consegue ver o momento presente, vivem de passado, não que o passado esteja perdido, mas o que temos de saber que o Deus do passado, do presente e do futuro é o mesmo, a nós cabe saber ver os sinais dos tempos.

Se não comunicam com Deus, não é culpa de Deus, se Ele é o mesmo, para sempre amém, se Ele comunicou com o passado pode comunicar com o presente, e é isso os testemunhos que nossos olhos não cansam de ver, Cego é o que não quer ver.

Não podemos exigir, exigir que o mundo veja os sinais de Deus, se o próprio Deus não abriu os olhos.

O maior atacante da Igreja Católica, do momento é a Monfort e seu pessoal, é verdade que sabem muito, o Diabo também sabe, é verdade que ensinam muito, mas não o suficiente para servir a Deus, mas de fazer o que o Diabo quer que esteja morno Jesus Cristo falou em Apocalipse, seja quente, ou seja, frio, porque o morno eu vomitarei, então o trabalho do Diabo é fazer com que as pessoas fiquem mornas, o frio Jesus vem em socorro, de frio para quente, passa pelo morno, nesta parte o Diabo agem, para que não fique quente, esta história já é Velha, começou com a tentação da serpente a Eva, ainda no paraíso.

Querer defender a Igreja Católica, é agir como Judas Iscairotes, se formo ver era o que Judas queria fazer e o que fez, quando deu conta do estrago se enforcou. A ordem de Jesus é ide e anunciai, amai. Se entrarem em uma casa e não receberem, sacuda até o pó de seus calçados, mas não é fazer isso que estão fazendo, por isso Jesus sabe fazer muito bem, se não fosse assim a Igreja não teria chegado aos dias de hoje, tamanha foram às perseguições.

Quem pode defender Jesus da Cruz, Jesus não orientou ninguém a defender, isso ou aquilo, ainda bem que procuram evitar a entrada Dele a Jerusalém, mesmo assim ele foi, Tentaram impedir.

Data: 12 Agosto 2006
 
Muito prezado José Pereira,
Salve Maria.
 
    Você faz, prezado José Pereira, um paralelo absoluto entre o Antigo Testamento e os Concílios da Igreja anteriores ao Vaticano II.  E, em consequência, identifica, completando o paralelo, o Concílio Vaticano II ao Novo Testamento, com relação ao Antigo Testamento:
    Eis a proporção que você montou:
 
   Antigo Testamento                    Trento e Concílios Anteriores                Trevas
———————————-     =      ———————————————–    =      ————-
 
     Novo Testamento                           Concílio Vaticano II                         Luz
 
    Daí, você afirma que a Montfort, defendendo os dogmas proclamdos pelos Concílios anteriores da Igreja e atacando os erros do pastoral e ambíguo Vaticano II, estaria tomando posição palas “trevas” contra a “luz”.
    E que, agindo assim, a Montfort imitaria os judeus que se agarraram ao Antigo Testamento, para repudiar a Cristo.
 
 
    Meu caro José Pereira, você colocou por escrito, e assinou, a heresia que muitos Padres ensinam, sussurrando, nas sacristias, ou em reuniões mais ou menos discretas (ou secretas?): que o Concílio vaticano II fundou uma nova Igreja, anulando a Igreja instituída por Cristo sobre Pedro.
 
    Você escolheu a “luz” da Nova Igreja Conciliar, e nos acusa de termos permanecido imóveis — “sentados“– sobre os dogmas, cânones dos Concílios anteriores, bradando seus anátemas, hoje superados pelo pasroral Vaticano II e sau Nova Igreja do Amor, do Espírito Santo..
    Sua carta para nós é preciosa, pois coloca, preto no branco, a heresia sussurrada em muitas sacristias…
    …Ou na PUC de São Paulo.
   
    E você diz que a oposição da Montfort aos erros do Concílio Vaticano II equivale a um pecado contra o Espírito Santo. Pode-se, então, concluir que, segundo seu raciocínio, a época do antigo testamento, ou da Lei, foi a de Deus Pai. A do Novo Testamento, foi a da Igreja fundada pelo Filho, que realizou Concílios infalíveis, hoje superados pela Nova Igreja nascida do Vaticano II, a da Luz, fundada pelo Espírito Santo.
    É o que se deduz de suas frases.
    E isso é exatamente a tese do messianismo joaquimita.
    Graças a Deus, você não cai nesse erro explícita e rotundamente, porque, por felicidade, me diz uma coisa que salva sua alma da heresia explícita, mostrando que você apenas repete o que ouviu, sem compreender bem o que lhe foi dito — numa sacristia – e que você repete sem ter compreensão plena. E a frase que lhe traz uma certa desculpa é esta:
 
não que o passado esteja perdido, mas o que temos de saber que o Deus do passado, do presente e do futuro é o mesmo, a nós cabe saber ver os sinais dos tempos“.
 
    Que bom que você tenha escrito isso! Você não é tão culpado quanto aquele que lhe soprou as teses joaquimitas anteriores que você escreveu e assinou.
    O que me dá alguma esperança de ajudá-lo.
  
    Você acusa a Montfort de ser inimiga da Igreja Católica, e nos compara ao diabo, ao escrever;
 
O maior atacante da Igreja Católica, do momento é a Monfort e seu pessoal, é verdade que sabem muito, o Diabo também sabe, é verdade que ensinam muito, mas não o suficiente para servir a Deus, mas de fazer o que o Diabo quer que esteja morno”.
   
    Seria diabólico de minha parte protestar contra essa acusação como injusta e caluniosa?
    E voce caridosamente compara a Montfort a Judas, dizendo de nós:
 
Querer defender a Igreja Católica, é agir como Judas Iscairotes, se formos ver era o que Judas queria fazer e o que fez, quando deu conta do estrago se enforcou”.
 
 
    E me escreve ainda:
 
“Quem pode defender Jesus da Cruz, Jesus não orientou ninguém a defender, isso ou aquilo”
   
    Que Padre herege lhe ensinou que “Querer defender a Igreja Católica, é agir como Judas Iscairotes” ?
    Você não leu no Eavangelho que Jesus disse a seus discipulos:
 
Agora, quem não tem uma espada, venda o manto e compre uma” (São Luc. XXII, 36) ?
 
    E você não leu que Cristo nos deu exemplo de luta na defesa da honra de Deus, quando expulsou a chicotadas os que profanavam o templo, casa do Pai?
 
    E você não leu que Nosso Senhor nos ensinou que  devemos confessá-lo diante dos homens, para que Ele nos confesse diante de Deus Pai?
 
    E meu caro José Pereira, você, escrevendo-me essa sua carta em defesa do Vaticano II e da Nova Igreja do Espírito Santo, Nova Igreja da “luz”, — segundo você –, você quis defender o que você supõe ser a verdade de Cristo.
    E, então, como condena você quem quer defender a aIgreja Católica dizendo que quem faz isso age como Judas?
    Você está em contradição, porque condena defender a Igreja, e me escreve defendendo o que lhe parece ser a Igreja.
    E quem está em contradição, não está com a verdade.
    Escreva-me, de novo, para que possa ajudá-lo a bem defeder a Deus e sua Santa Igreja.
    A de sempre. Una, Santa católica e Apóstolica.
    Imutavelmente.
    Porque, em sua defesa, quero viver e morrer.
    Assim, por misericórdia, Deus me ajude.
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais