Montfort Associação Cultural

23 de fevereiro de 2013

Download PDF

Sábado das Têmporas da Quaresma

SÁBADO DAS TÊMPORAS DA QUARESMA

Féria de 2ª Classe – Paramentos Roxos

1ª Leitura: Livro do Deuteronômio 26, 12-19.
Naqueles dias: Falou Moisés ao povo nestes termos: “Quando tiverdes dado os dízimos de todas as vossas colheitas, direis na presença do Senhor, vosso Deus: ‘Tirei da minha casa tudo quanto era sagrado, e dei-o ao levita e ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, como me ordenastes. Não me quis furtar às vossas ordens, nem esqueci os vossos preceitos. Obedeci à voz do Senhor, meu Deus, e fiz tudo o que Ele me prescreveu: olhai desde o vosso santuário, e do alto dos Céus, onde habitais, e abençoai Israel, vosso povo, assim como a terra que nos destes, segundo jurastes a nossos pais – esta terra onde corre leite e mel.’ Hoje, o Senhor vosso Deus, ordena-vos que executeis os presentes mandamentos e preceitos, e que os guardeis e cumprais de todo o coração e com toda a alma. Hoje escolhestes o Senhor para ser o vosso Deus, a fim de andardes nos seus caminhos, e observardes as suas determinações rituais, ordens e preceitos, obedecendo à sua voz. E o Senhor também vos escolheu hoje para serdes o seu povo, como Ele disse, e para guardardes todos os seus preceitos; em troca, far-vos-á superiores a todas as nações, que Ele criou, para O louvar, e ao seu santo nome, e glorificá-Lo, de modo a serdes um povo consagrado ao Senhor, vosso Deus, segundo o que Ele disse.”
(Caso o padre celebrante opte por abreviar a Missa, omitir as Leituras de 2ª a 5ª, indo diretamente à Epístola logo abaixo delas.)
2ª Leitura: Livro do Deuteronômio 11, 22-25.
Naqueles dias: Disse Moisés aos filhos de Israel: “Se guardardes os mandamentos que vos impus, e os puserdes em prática, de forma que ameis o Senhor vosso Deus, andando sempre nos seus caminhos, sempre dependentes da sua vontade, o Senhor perderá todos estes povos na vossa presença, ficando vós a dominá-los, ainda que sejam maiores e mais fortes do que vós. Todos os lugares, que pisardes com vossos pés, vos pertencerão. As vossas fronteiras, estender-se-ão desde o deserto até ao Líbano, e desde o grande rio Eufrates até ao mar ocidental. Ninguém vos poderá resistir: como vos prometeu o Senhor, vosso Deus, Ele espalhará o terror e o medo de vós em todas as terras por onde haveis de passar.”
3ª Leitura: Livro 2º dos Macabeus 1, 23-27.
Naqueles dias: Todos os sacerdotes faziam oração, enquanto se acabava o sacrifício. Começava Jônatas, e os outros respondiam. E Neemias orava nestes termos: “Senhor Deus, criador de todas as coisas, que sois terrível e forte, justo e misericordioso; que sois o único rei, cheio de bondade; que sois o único excelente, o único Justo, onipotente e eterno; que livrais Israel de todo o mal; que escolhestes a nossos pais e os santificastes: recebei este sacrifício por todo o vosso povo de Israel; conservai e santificai os que tomastes por vossos, para que as nações saibam que Vós sois o nosso Deus.”
4ª Leitura: Livro do Eclesiástico 36, 1-10.
Tende piedade de nós, ó Deus de todas as coisas, e volvei para nós os vossos olhos, fazendo-nos ver a luz das vossas misericórdias. Espalhai o vosso temor sobre as nações, que Vos não buscaram, para que reconheçam que não há outro Deus além de Vós, e para que proclamem as vossas maravilhas. Erguei a vossa mão contra as nações estrangeiras, para que reconheçam o vosso poder. Porque, assim como diante delas manifestastes, em nós, a vossa santidade, assim também mostrai nelas, à nossa vista, a vossa magnificência, para que reconheçam, como também nós reconhecemos, que, à exceção de Vós, Senhor, não há outro Deus. Renovai os vossos prodígios, e fazei novas maravilhas. Glorificai a vossa mão, e o poder da vossa destra: Acendei o vosso furor, e espalhai a vossa ira; destruí o adversário, e exterminai o inimigo; apressai o tempo, e tende presente o fim, para que exaltem as vossas maravilhas, ó Senhor, que sois o nosso Deus.
5ª Leitura: Livro de Daniel 3, 47-51.
Naqueles dias: o Anjo do Senhor desceu, com Azarias e seus companheiros, à fornalha, e desviou da fornalha a chama do fogo, fazendo que soprasse, no meio da fornalha, uma viração fresca como orvalho. Ora a chama, que se elevava quarenta e nove côvados acima da fornalha, irrompeu, e queimou os servos do rei, que deparou junto da fornalha, entre os Caldeus, e que a atiçavam; aos [três] jovens, porém, não lhes tocou; não os incomodou nada, nem lhes fez mal algum. Então, todos três se puseram, a uma só voz, a louvar a Deus, a glorificá-Lo e a bendizê-Lo no meio da fornalha, dizendo:
Hino dos Três Jovens na Fornalha: Livro de Daniel 3, 52-56.
Benedíctus es, Dómine Deus patrum nostrórum. Et laudábílis, et gloriósus in sæcula.
Et benedíctum nomen glóriæ tuæ, quod est sanctum. Et laudábile, et gloriósum in sæcula.
Benedíctus es in templo sancto glóriæ tuæ. Et laudábílis, et gloriósus in sæcula.
Benedíctus es super thronum sanctum regni tui. Et laudábílis, et gloriósus in sæcula.
Benedíctus es super sceptrum divinitátis tuæ. Et laudábilis, et gloriósus in sæcula.
Benedíctus es, qui sedes super Chérubim, íntuens abýssos. Et laudábilis, et gloriósus in sæcula.
Benedictus es, qui ambulas super pennas ventórurn, et super undas maris. Et laudábilis, et gloriósus in sæcula.
Benedícant te omnes Angeli, et Sancti tui. Et laudent te, et gloríficent in sæcula.
Benedicant te cæli, terra, mare, et ómnia quæ in eis sunt. Et laudent te, et gloríficent in sæcula.
Glória Patri, et Fílio, et Spirítui Sancto. Et laudábili, et glorióso in sæcula.
Sicut erat in princípio, et nunc, et semper: et in sæcula sæculórum.Amen. Et laudábili, et glorióso in sæcula.
Benedíctus es, Dómine Deus patrum nostrórum. Et laudábílis, et gloriósus in sæcula.
Bendito sois, Senhor, Deus dos nossos pais: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
E bendito o santo nome da vossa glória: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois no Templo santo da vossa glória: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois pelo santo Trono do vosso Reino: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois pelo Cetro da vossa Divindade: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois Vós, que estais sentado sobre os Querubins, perscrutando os abismos: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois Vós, que andais sobre as asas dos ventos, e sobre as ondas do mar: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendigam-Vos todos os Anjos e Santos: E que Vos louvem e glorifiquem por todos os séculos.
Bendigam-Vos os Céus, a Terra, o Mar e tudo o que neles existe: E que Vos louvem e glorifiquem por todos os séculos.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo: E ao que é digno de louvor e glória por todos os séculos.
Assim como era no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos dos séculos. Amém: E ao que é digno de louvor e glória por todos os séculos.
Bendito sois, Senhor, Deus dos nossos pais: E digno de louvor e glória por todos os séculos.
Epístola 1ª de São Paulo aos Tessalonicenses 5, 14-23.
Irmãos: Pedimos-vos que repreendais os indisciplinados, encorajeis os pusilânimes, suporteis os fracos, sejais pacientes com todos. Esforçai-vos por que ninguém pague o mal com o mal, mas procurai sempre fazer o bem uns aos outros, e a todos. Estai sempre alegres. Orai sem cessar. Por tudo dai graças: porque é esta a vontade de Deus, em Jesus Cristo, com relação a todos vós. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Ao contrário, examinai tudo, ficando com o que for bom. Guardai-vos de toda a espécie de mal. E que o Deus da paz vos santifique em tudo, a fim de que todo o vosso espírito, alma e corpo, se conservem sem mancha, para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 17, 1-9.
Naquele tempo: Tomou Jesus consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e levou-os à parte a um alto monte e transfigurou-se diante deles: O seu rosto ficou refulgente como o sol, e as suas vestiduras tornaram-se brancas como a neve. E eis que Moisés e Elias lhes apareceram, falando com Ele. Então Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: “Senhor, bom é nós estarmos aqui; se quereis, façamos aqui três tendas – uma para Vós, outra para Moisés, e outra para Elias.” Estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem resplandecente os envolveu, e uma voz dizia, da nuvem: “Este é o meu Filho dileto, em quem pus toda a minha complacência: ouvi-O.” Ao ouvirem isto, os discípulos caíram de bruços, e tiveram grande medo. Jesus, porém, aproximou-se deles, e tocou-os, dizendo-lhes: “Levantai-vos, e não temais.” Eles, então, levantando os olhos, não viram ninguém mais, senão Jesus. E, quando desciam do monte, Jesus ordenou-lhes, dizendo: “Não digais a ninguém o que vistes, até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos.”
Traduções das leituras extraídas do Missal Quotidiano por Pe. Gaspar Lefebvre OSB (beneditino da Abadia de Santo André) – Bruges, Bélgica: Biblica, 1963 (com adaptações a/c blog).
Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Efrém (c. 306-373), diácono na Síria, Doutor da Igreja
Opera Omnia, p. 41 – a partir da tradução de Brésard, 2000 ans C, p. 292 (extraído dos sites da Diocese de Blumenau/SC e Per Ipsum)
“Este é o Meu Filho muito amado”
Simão Pedro diz: “Senhor, é bom estarmos aqui.” Que dizes, Pedro? Se ficarmos aqui, quem realizará então o que predisseram os profetas? Quem confirmará as palavras dos arautos? Quem levará a bom termo os mistérios dos justos? Se ficarmos aqui, a quem se referirão as palavras: “Trespassaram as Minhas mãos e os Meus pés”? A quem se aplicarão as afirmações: “Repartiram entre si as Minhas vestes e deitaram sortes sobre a Minha túnica”? (Sl 21, 17; 19 – Jo 19, 24). Quem realizará o anúncio do salmo: “Deram-Me fel, em vez de comida, e vinagre, quando tive sede”? (Sl 68,22; Mt 27, 34; Jo 19, 29) Quem dará vida à expressão: “Estou abandonado entre os mortos”? (Sl 87, 6) Como se consumarão as Minhas promessas, como construiremos a Igreja?
E Pedro diz mais: “Façamos aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias”. Enviado para erigir a Igreja no mundo, Pedro quer levantar três tendas na montanha. Ainda não vê a Cristo senão como homem e classifica-O juntamente com Moisés e com Elias. Mas Jesus em breve lhe mostra que não precisa de tenda. Fora Ele que, durante quarenta anos, erguera para os Patriarcas uma tenda de nuvem, enquanto eles permaneciam no deserto (Ex 40, 34).
“Ainda ele estava a falar, quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra”. Vês, Simão, esta tenda montada sem esforço? Ela afasta o calor sem comportar as trevas, é uma tenda brilhante e resplandecente! Enquanto os discípulos estão surpresos, uma voz vinda do Pai faz-Se ouvir da nuvem: “Este é o Meu Filho muito amado, no qual pus todo o Meu agrado. Escutai-o.” [...] O Pai ensinava aos discípulos que a missão de Moisés estava concluída: de então em diante é ao Filho que deverão escutar. O Pai, na montanha, revelava aos apóstolos aquilo que ainda lhes estava oculto: “Aquele que é” revelava “Aquele que é” (Ex 3, 14), o Pai dava a conhecer o Seu Filho.
Fonte: Missa Tridentina na Paróquia São Sebastião, Campo Grande

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais