Montfort Associação Cultural

5 de setembro de 2006

Download PDF

Rock na missa

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Gustavo Henrique
  • Localizaçao: Timoteo – MG – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Religião: Católica

Caro professor, boa tarde!

Como disse em outras cartas ao senhor, pretendo conhecer a Verdade, odeio ser enganado. Sei que Deus não pode nos enganar e nem Se enganar… E pra conhecer cada vez mais a Verdade preciso também esclarecer muitas confusões em minha cabeça e os mal entedidos. E, é claro, não pretendo de forma alguma ofender o senhor. Já nos “conhecemos” e o senhor quase veio aqui em Timóteo, o que pra mim seria uma honra.

Em algumas cartas o senhor critica um instrumento musical, a GUITARRA. Eu sou músico. Toco nas missas e em eventos católicos. E apesar de estar cada vez mais convencido que a RCC é prejudicial a mim, ainda toco com a minha banda de música em eventos da RCC. Confesso ao senhor que muitas vezes faço isso porque além de gostar de tocar eu fico com um certo receio de dizer não aos meus colegas. Me ajude!!!

Lembro que respondendo a uma leitora sobre a banda Anjos de Resgate, dizia o senhor, não exatamente nestas palavras, que a BELEZA de Cristo “estava em jogo” quando se tocava este tipo de música e fazia esses shows. O QUE QUER DIZER ISSO EXATAMENTE?

Quanto a GUITARRA (fugi um pouco dela) eu sou “guitarrista”. Na bíblia, em diversas passagens, diz para tocarmos, louvarmos ao senhor com todos os tipos de instrumentos… acredito que a Guitarra enquanto instrumentos não tem problema algum, o problema estaria no tipo de música que ela representa… o rock. Certo? E qual seria o verdadeiro louvor que agrada a Deus?

Dizia Sta.Terezinha: “…o que agrada a Deus é minha pequena alma, é que eu ame a minha pequenes e minha pobreza. É a esperança, cega, que tenho em sua misericórdia…”(ahh… só lembrando. Um pastor protestante ao ouvir uma música baseada nestas palavras de Sta. Terezinha, tocada por um católico, quiz aprender a música e levá-la para sua “igreja”. Passando alguns dias ele disse para o católico, com quem aprendeu a música, que Deus tinha feito maravilhas quando a tocaram, mas ao ficar sabendo que a mesma era de autoria de Sta. Terezinha, ele (o pastor) fez uma descontaminação na “igreja”. AGORA ME LEMBRO DAS PALAVRAS DE CRISTO PRA NÃO ATIRAR PÉROLAS AOS PORCOS…)

Cresci dentro da RCC. Lá se toca Rock!!! Pois para eles é uma forma de louvar a Deus.
Mas esse espírito combativo, esse espírito MONTFORT é o que faz mais feliz. É o que me empolga mais (que Deus não permita que essa empolgação seja igual a “fogo de palha”, e não será, não é). E enquanto tiver argumentos, tiver preparado e tiver FÉ vou combater contra os inimigos da Igreja…

O que percebo é que para muitos e pra mim também, a dificuldade de se libertar totalmente dos fundamentos e do espírito da RCC. Nem sempre é tão fácil!!! Assim aprendi que tocar Rock não tem nada a ver. Pois o que fazemos é pra Deus (segundo a RCC).
Mas não seria, o rock, uma arte que muitos a deturparam? Sendo assim poderia o rock perder sua Beleza, se realmente existe…. ???.Posso fazer satanico qualquer estilo musical.

Muito Obrigado, Da Pacem Domine!
Gustavo

Muito prezado Gustavo,
Salve Maria!
 
    Recomendo que você procure ler os decretos de São Pio X sobre música sacra na Igreja.
 
    O Cardeal Ratzinger — agora Papa Bento XVI — escreveu em seu livro “Introdução ao Espírito da Liturgia“:
 
    “A música ”rock” é expressão de  paixões elementares, que nas grandes reuniões de música rock assumiram características cultuais, isto é, de um contra culto que se opõe ao culto cristão. Esse [contra culto] quer libertar o homem de si mesmo no evento de massa e na perturbação mediante o ritmo, o rumor e os efeitos luminosos, fazendo precipitar os que dele participam no poder primitivo do Todo, mediante o êxtase da dilaceração dos próprios limites” (Cardeal Joseph Ratzinger, Introduzione allo Spirito della Liturgia,  San Paolo, Milano 2001, p. 144. O destaque é meu).
 
    Portanto, se “o rock é um contra culto que se opõe ao culto cristão utilizá-lo na Missa é um absurdo e uma profanação. O rock nada tem de beleza.
 
    Reze pois a Nossa Senhora que lhe dê força para deixar esse mau gosto e de participar dessas profanações. Quanto à guitarra veja se aprenda a tocar nela obras clássicas (Barrocas).
 
    Não entendi a frase que você atribui a mim. Copie direito o texto e me pergunte depois sobre beleza e Cristo.
 
    Coragem.
 
    Um abraço.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Vídeos: Roupas e moda: o que a Igreja tem a ver com isso? - Ivone Fedeli

Cartas: Objetividade da Arte - Orlando Fedeli

Documentos da Igreja: Tra le sollicitudine – sobre a Música Sacra

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais