Montfort Associação Cultural

23 de agosto de 2005

Download PDF

Rock: Dois lados da mesma moeda

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Matheus
  • Idade: 18
  • Localizaçao: Ponta Grossa – PR – Brasil
  • Escolaridade: Superior incompleto
  • Profissão: Universitário
  • Religião: Católica

Caros irmãos da associação Monfort A paz de Cristo!

Meu nome é Matheus, eu tenho 18 anos e sou Católico. Tenho 3 anos de caminhada na Pastoral da Juventude da minha Paróquia. Também já frequentei as reuniões da Sociedade de São Vicente de Paulo [vicentinos] e da Legião de Maria, as quais tive que abandonar por questão de horários que a universidade agora exige de mim. Ultimamente comecei a participar da Renovação Carismática Católica.

O ponto que eu gostaria de tocar é o seguinte: O rock é usado por bandas satanistas? Sem dúvida. Aquela história das vacas que escutraram rock? Creio também que seja verdadeira. Não por ser o rock em si demoníaco, mas por ser agitado. Eu gosto muito de heavy metal e de música clássica, mas gostaria de explicar melhor a minha situação.

A algum tempo atrás eu participei do Hallel de Maringá, no qual a banda The Flanders se apresentou. O estilo que eles adotam é o punk/hardcore, mas com as letras voltadas para Deus. Assim como existem vários outros grupos, como Eterna, Rosa de Saron, Cálice Sagrado, Iahweh, e muitos outros, todos católicos, tocando rock a serviço do Senhor.

Para nós [tanto bandas como ouvintes] o rock não passa de uma ferramenta para Deus. Conheço vários testemunhos de pessoas que, expostas ao heavy metal católico, aceitaram Jesus Cristo em suas vidas. Portanto, a minha crítica é em relação à maneira com que o rock foi tratado na sua reportagem.

Gostaria de pedir para não generalizar esse assunto, pois o rock [mais precisamente: o White Metal] , como já citei, é uma excelente “isca” para mostrar aos jovens os caminhos do Senhor.

Também gostaria de colocar que minha opinião é bastante diferente daquele Arthur, pois repudio bandas como Iron Maiden, que fazem apologia às coisas do mal. Uma sugestão é que visitem o site www.sacramusic.com.br/rockincristo/ , para uma melhor compreensão do que eu quis dizer.

Cordialmente,

em Cristo Jesus

Matheus

Ponta Grossa – PR

PS.: Gostaria de citar alguns trechos de rock católico:

[Euthanasia - Eterna] – www.eterna.art.br

Euthanasia comes around, Crucified man I need some help!!

Son of the God, you are To me the Chosen One!

Sometimes to learn how to live with you, It”s needed to fall!!

Son of the God, you are To me the only chance!

Sometimes to know how to meet you, It”s needed to fall!!

I know this world is always new to me.

It”s not enough to the teens.

Remind cocaine doens”t set them free (Euthanasia)!

They”ll be betrayed by their own heart!!

—- Eutanásia se aproxima Homem crucificado, eu preciso de ajuda!

Filho de Deus, você é para mim o escolhido!

às vezes, para aprender a viver com você é preciso cair Filho de Deus, voce é para mim a única chance às vezes, para aprender a te conhecer é preciso cair

eu sei que esse mundo é sempre novo para mim não é suficiente para os adolescentes lembre-se que a cocaína não os liberta (Eutanásia!) eles serão traídos por seus próprios corações

***************************

[Carregue os Feridos - Rosa de Saron] – www.rosadesaron.com.br

Não há como negar um Deus a nos mostrar suas palavras carregaram nossa dor Deserto interior onde há somente dor Ele ouve o teu clamor Da cruz veio o perdão do espinho a compaixão O Cordeiros que os feridos carregou

****************************

[Hardcore da Formiga - The Flanders] – www.theflanders.com.br

Racismo é coisa pra babaca racismo é coisa pra irracionais por fora as cores são diferentes mas por dentro é tudo “iguais”!

Prezado Matheus, Salve Maria

Você me diz: “O rock [mais precisamente: o White Metal] , como já citei, é uma excelente “isca” para mostrar aos jovens os caminhos do Senhor”.

Pretender atrair pessoas para Deus usando meios errados é querer um fim bom, usando meios maus.

No passado, procurou-se atrair católicos para a Igreja, fazendo bailes paroquiais. Formaram-se bailarinos e dançarinos, mas não católicos.

Só se pode atrair alguém para Deus por meio da graça, da oração e da penitência, nunca por meio de músicas péssimas como são as do Rock. E não tenho medo de generalizar. Todas as músicas de rock são más, pois esse ritmo é ruim por si mesmo. Não adianta colocar uma letra religiosa num rock. Isso é o mesmo que colar um santinho num vidro de veneno. Quem tomar aquele liquido morrerá, apesar de, no vidro, haver um santinho colado, como rótulo.

Você me escreve ainda: “Para nós [tanto bandas como ouvintes] o rock não passa de uma ferramenta para Deus. Conheço vários testemunhos de pessoas que, expostas ao heavy metal católico, aceitaram Jesus Cristo em suas vidas”.

Nem toda ferramenta pode ser usada para fazer verdadeiro apostolado. Não se pode usar um meio imoral, para alcançar um bem, já lhe disse.

E o que significa “aceitar Jesus”?

Meu caro, aceitar Jesus exige aceitar tudo o que Ele ensinou. E Ele disse que, quem quisesse segui-Lo, deveria negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz, e segui-Lo.

Você pretende seguir Cristo tomando, não a cruz, mas sim uma guitarra. Quer seguir a Cristo, não negando a si mesmo, mas defendendo, com sofismas baratos até, o seu mau gosto musical, e seu apego a uma coisa má.

Meu caro, você não está seguindo a Nosso Senhor, e também não aceitou a Cristo, de verdade.

Recomendo-lhe que leia o livro “A Alma de todo Apostolado” de Dom Chautard, para compreender como se faz apostolado, e o que o torna realmente eficaz.

Sobretudo recomendo-lhe que não repita slogans vazios, como esse de “aceitar a Jesus”, que muita gente repete, hoje, mesmo vivendo, muitas vezes, em pecado.

É fácil dizer que se “aceitou Jesus”. Difícil é aceitar a sua lei.

Já ouvi jovens dizerem isso, enquanto frequentam grupos católicos, nos quais vivem com amantes… “aceitando a Jesus”. Para estes, poder-se -ia dizer : “Ái de vós que chamais o doce de amargo, e o amargo de doce. Ái de vós que chamais o mal de bem, e o bem de mal”.

Como prova de seu erro, lhe dou a própria canção que você me envia, para justificar a adesão a um falso “rock cristão”. Pois nessa canção se lêem as seguintes palavras horríveis: “Filho de Deus, você é para mim o escolhido!

às vezes, para aprender a viver com você é preciso cair”.

O que está escrito aí é ambígüo, pois pode ser entendido que é preciso pecar, para encontrar a Cristo. E isso é falso.

Pelo contrário, para viver com Cristo, é preciso não cair. Viver com Cristo exige viver sem cometer pecado. Ou arrepender-se e confessar o pecado cometido.

E Cristo não é apenas “escolhido”. Jesus é Deus e homem. Ele é o Filho de Deus, a Sabedoria de Deus encarnada. E Ele é Deus, não porque eu o considero tal. É Deus porque objetivamente Ele é mesmo Deus e Homem . E ainda que toda a humanidade pensasse e dissesse o contrário, Cristo continuaria a ser o Filho de Deus feito homem.

Quando você afirma que Cristo, para você, simplesmente é o“escolhido”, você negou que Cristo seja, de fato — e não só subjetivamente para você — o Filho de Deus feito homem. Dizendo isso, você aderiu, de fato, materialmente, a uma tese anticristã.

Você está sendo “traído por seu próprio coração”.

Lamento mutitíssimo sua situação, como lamento suas palavras tão equivocadas e tão erradas.

Você é mais uma vítima da falta de ensinamento da doutrina católica, em que tantos jovens, hoje, são deixados.

Desgraçadamente.

In Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Artigos Montfort: Paraty versus Las Vegas - Marcelo Andrade

Artigos Montfort: Os frades de Garret e argumentação no texto literário - Ivone Fedeli

Cartas: Confusa defesa do rock e do subjetivismo - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais