Montfort Associação Cultural

23 de novembro de 2004

Download PDF

Resposta a uma valente carta anônima neocatecumenal

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: anonimo
  • Localizaçao: – Brasil
  • Religião: Católica

Realmente devo repensar muito sobre em qual movimento devo fazer parte na Igreja.
Outro dia, li um documento de Sua Santidade Orlando Fedeli sobre alguns movoimentos e fiquei embasbacado. Quanta coisa errada um tal de João Paulo II está reconhecendo como itinerário válido para os tempos modernos.
Sim, falo do Caminho Neocatecumenal. O Caminho que o senhor, seu Orlando detesta tanto e gasta seu tempo atirando pedras. Procurando erros.
É muito fácil colocar trechos das catequeses, coloque-as inteiras! Pergunte ao seu Bispo, a respeito do que contém nas apostilas! Na sua igreja ainda se reza em latim? Senhor Fedeli, evolua. Leia o Sacrossanctum Concilium e outros documentos e não se baseie em livrinhos que só desvalorizam a Igreja. Quer um conselho? Respeite mais a sua Igreja, Kiko é Igreja, Eu sou Igreja, todos somos Igreja. Logo temos que nos respeitar como Igreja e não nos denegrirmos. Parecemos até a Igreja Universal do Reino de Deus que tem por base doutrinal o desprezo às outras igrejas.
Nem responda a esta mensagem. Só saiba que o Senhor é o único aqui que não se encontra em comunhão com a Igreja.
O senhor querendo ou não, o Caminho continua. A obra que o Senhor tem feito nas vidas dos neocateúmenos prossegue. Deus não irá interromper o Neocatecumenato porque Sua Insanidade Orlando Fedeli não gosta de ‘moderninhos’. Gosta do velho, do empoeirado. Gosta de assembléias mudas, que rezem o terço em quanto o sacerdote celebra sozinho a missa.
Gosta de missas mudas, sem vida. Os, necatecúmenos do Brasil e do mundo continuarão sua caminhada, não porque o Orlandinho não gosta deles, mas porque João Paulo II lhes pede.
Abraços, e por favor, não perca tempo me respondendo, algo que eu nem deveria ter escrito. porque perseguição faz parte de todos os movimentos.

Prezado “cristão”…anônimo.
Salve Maria !

Você me manda uma carta anônima, sem ter a coragem de colocar seu nome no final dela, mas, apesar disso, se anuncia como “cristão” no cabeçalho.

Ora, não sabia que era próprio de cristãos mandar cartas anônimas… Nosso Senhor ordenou: “Seja o vosso falar: sim, sim; não, não. Tudo o que disso passa procede do maligno” ( Mt V,17).

Uma linguagem franca, como a recomenda Nosso Senhor, não se coaduna com o anonimato.

Tanto mais que você esconde seu nome para me atirar ofensas, chamando-me de “Sua Santidade Orlando Fedeli”, “o Orlandinho”, “Sua Insanidade Orlando Fedeli”.

É isso que você aprende como sendo a caridade, no neocatecumenato ?

Seus insultos somente comprovam que onde não há fé, não pode haver caridade.

E você se engana no que detesto. O que detesto e combato são as doutrinas que contrariam o que a Igreja sempre ensinou, mas anseio ajudá-lo.

Por exemplo: a Igreja sempre ensinou que o Sacramento da Penitência exige a confissão particular, e que a absolvição coletiva só pode ser dada em circunstâncias muito claras. Sua Santidade o Papa João Paulo II, a quem faço questão de me submeter e de obedecer em tudo o que a doutrina católica exige de obediência ao Papa, acaba de publicar o Motu Próprio Misericordia Dei, condenando, como um abuso, a confissão comunitária, e restabelecendo como obrigatória a confissão particular.

Você já leu esse Motu Proprio de Sua Santidade o Papa João Paulo II ?

Recomendo que o leia. É muito importante. Ainda mais para você, que se afirma um seguidor obediente e fiel de João Paulo II. Você poderá encontrar esse Motu Próprio, no site Montfort.

Você vai aceitá-lo?

E será que Kiko, Carmem e o neocatecumenato vão então se retratar do que têm ensinado e praticado ?

Tomara que sim !

Pergunto isso porque Carmem e Kiko, nas suas Apostilas secretas — já arranjei algumas — atacam a confissão particular e defendem a confissão “comunitária”.

Porque Kiko e Carmem têm ensinado e praticado exatamente o oposto do que disse o Papa.

Está sendo publicado, no site Montfort, um artigo de minha “Insignificância”, comentando o que a “teóloga” Carmem disse – perdão, “querigmatizou”…. reservadamente — sobre o Sacramento da Penitência. Você lerá, lá, os erros atrevidos que essa catequista-mor do neocatecumenato afirmou, e recomendou aos que ouviam sua presunçosa querigmatização.

No Motu Próprio Misericordia Dei, o Papa reafirmou exatamente o oposto do que ensina Carmem e do que inculca e pratica o neocatecumenato.

Você, que é tão “fiel” a João Paulo II, certamente vai acatar o que ele decretou. Você– eu o espero — não se rebelará contra o Papa, nem cairá em cisma, como alguns já ameaçam fazer…

Ainda há pouco — no sábado passado — um Padre, em uma cidadezinha do interior, ao falar-lhe eu do Motu Proprio Misericordia Dei, dizendo-lhe que a confissão particular passou a ser obrigatória e que as confissões comunitárias estavam proibidas, se revoltou.

Ele clamava: ” Isso vai ser um retrocesso ! A Igreja vai voltar para trás !”

E anunciava um possível cisma, dizendo que era preciso antes ver o que a CNBB ia decidir sobre isso. Porque– dizia esse padre– “na Igreja, há uma colegialidade. O papa não pode decidir sozinho”.

E como o Marechal Deodoro proclamou a República neste país, ele proclamava a república na igreja, não admitindo que a Igreja seja uma monarquia.

Temo que haja muitos dantons e deodoros no clero atual…

Ele clamava seu apelo à CNBB como se a CNBB pudesse recusar um Motu Próprio do Papa !

E você me pede para evoluir….

Suponho, então, que você já evoluiu.

Que será que você é agora, hoje, um ET ?

Será você o Super Zé, esperado por Nietzsche e por Adolfinho Hitler ?

Daí seu anonimato, humildemente escondendo a sua superioridade evoluída ?

Você continua a ser humano ?

Sei, sei.

Você quer dizer que você evoluiu religiosamente, apenas.

Você é um “cristão” moderno…

Sei bem disso.

E qual é a sua religião, hoje ?

Qual é a sua religião agora ?

Não. Não adianta você me responder qual é a sua religião agora, porque quando chegar a sua resposta, mesmo vinda por email, você certamente já terá evoluído para outra religião ainda mais evoluída. Super nova.

Meu caro “cristão… anônimo” e evoluído, a minha religião é a de sempre: Católica Apostólica Romana. Porque Cristo, que a instituiu, ensinou que as palavras dEle se manteriam para sempre. Minha religião é a do Deus Imutável. Não é uma religião mastigável e deformável como um chiclete. Uma religião que “segue a moda “, como disse Carmem, e que evolui como o macaco de Darwin.

E Kiko não é a Igreja. E você, e eu, não somos a Igreja. Somos parte dela. Eu, com toda minha insignificância. Você, com toda a sua humílima virtude, que se esconde no anonimato, para não brilhar vaidosamente ante o público.

Você ironicamente me chama de “Sua Santidade Orlando Fedeli”. Mas eu não excomunguei pessoalmente, nem pretendi excomungar ninguém. Só repeti e repito, na defesa da doutrina católica, o que os Papas ensinaram. E repeti a doutrina deles, e não minha opinião, que é tão insignificante quanto minha insignificância.

Mas foi você que me “excomungou” ao declarar solenemente:

“Só saiba que o Senhor é o único aqui que não se encontra em comunhão com a Igreja”

.

E note o tom solene do seu “Saiba”!

Impressionante.

Impressionante e definitivo!

Você me pôs fora da Igreja !

Você me declarou excomungado.

Vai ver que você “evoluiu” para Papa, com poderes de excomungar a minha insignificância.

Você prossegue me dizendo que minha insignificância…:

Gosta do velho, do empoeirado. Gosta de assembléias mudas,
que rezem o terço em quanto o sacerdote celebra sozinho a missa.
Gosta de missas mudas, sem vida”.

De velho e empoeirado gosto mesmo é em vinhos e livros.

Um garrafa empoeirada de vinho anuncia uma delícia. “Con vinos viejos, trajes nuevos y males lejos”…

E um livro velho e empoeirado… quanto é delicioso !

Não gosto de livros novos e lustrosos por fora , coloridos como revista em quadrinhos…

Você supõe que rezo em latim.

Desta vez você acertou. Rezo em latim . E nisto sigo a recomendação da Igreja e do próprio Concílio Vaticano II.

Permite-me você que eu siga o Concílio Vaticano II, nesse ponto ?

Rezo em latim, sim. Mas rezo o Kyrie em grego, e digo Hosanah em hebraico. Porque na Missa, como no quirógrafo da cruz , há palavras em latim , grego e hebraico.

Porque também no quirógrafo da cruz estava escrito em latim, grego e hebraico: “Jesus Nazareno, Rei dos judeus”.

Rezo em latim, sim, que foi sempre a língua da Igreja.

E o que é uma “Missa muda” ?

Uma “missa muda” certamente não pode ser tida como a missa da torre de Babel, onde se falavam todas as línguas e ninguém se entendia…

Uma “missa muda”… Que entende você por essa qualificação ?

Você leu o Novo Missal Romano que acaba de ser publicado por sua Santidade o Papa João Paulo II ?

Nele o Papa determina que, durante o cânon, haja silêncio na igreja. Só o sacerdote vai falar.

Será isso o que você chama de “missa muda”?

“Missa muda” hein ?

Pois João Paulo II acaba de defender que haja mudez do povo durante a recitação do cânon dito exclusivamente pelo sacerdote ! E em voz baixa !

E agora?

Aguardando novos insultos, e rogando a Deus que lhe dê força para voltar atrás, me despeço, em toda a minha insignificância — e você não imagina como acredito que sou, de fato, insignificante — insignificante, sim, mas

in Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Kiko repete a doutrina Modernista de Fé que destrói a Caridade - Orlando Fedeli

Cartas: Experimentar para conhecer?

Cartas: Confissões de jornalista - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais