Montfort Associação Cultural

29 de janeiro de 2008

Download PDF

Religiosos profanam as coisas santas

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Adriana Maria
  • Localizaçao: Fortaleza – CE – Brasil
  • Religião: Católica

oi Deus os abençõe!! 

professor Orlando Fedeli eu sou catequista de crisma e participei de um retiro para catequistas coordenado e organizado por uma irmã josefina e um religioso salvatoriano. esse religioso aplicou uma suposta dinâmica em que ele colocou um ostensório( sem o sagrado corpo de cristo) no chão, imagens bentas tambem no chão juntamente com um crucifixo com uma garrafa vazia de vinho na boca do cristo e junto ele colocou revistas com imagens obcenas ( uma revista veja com um tema sobre sexo) e outros objetos. eu e meus irmãos ao ver isso ficamos revoltados e reclamamos fomos taxados. enfim o religioso explicou que a dinãmica era para explicar o que é profano e o que é sagrado um dos catequistas disse que o ostensório poderia ser profano e a irmã eo religioso concordaram . 
estou muito consternada pq eu sou uma simples catequista e não posso fazer quase nada.

Muito prezada Adriana,
Salve Maria.

     O que você me conta é uma tragédia nunca vista na Igreja: os próprios sacerdotes e as almas consagradas profanam as coisas santas. Vem à mente a frase: quando virdes a abominção da desolação no lugar santo
Pois o que esse pdare salvatoriano fez é uma abominação. Esses hereges modernistas só pensam em destruir a fé escandalizando as almas simples. 
     Denuncie ao Arcebispo de Fortaleza o que fizeram esse Padre e essa freira (dê os nomes deles). Denuncie ao Núncio Apostólico. Denuncie isso ao Vaticano. 
     Você vê que a Igreja Católica está ocupada por invasores heréticos que só visam destrui-la. 
     Reze ao Imaculado Coração de Maria que apresse o seu triunfo sobre o Dragão vermelho e os padres modernistas, seus sequazes.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais