Montfort Associação Cultural

2 de dezembro de 2008

Download PDF

RCC erra sim… mas você é perfeito Sr. Orlando Fedeli?

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Dtpf
  • Localizaçao: São Paulo – SP – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação concluída
  • Profissão: Publicitário
  • Religião: Católica

Sem sombra de dúvidas sr. Fede li,penso que trabalhas em prol da divisão, daquele que divide, em devolos, daquele que destrói, que critica, que persegue, que entra em contendas, que levanta falso testemunho, sim, pois publica cartas destrutivas que nem ao menos sabe a real procedência.
Trabalhas com afinco em reverter os processos evolutivos da Santa Igreja, processos esses lentos, estudados e inspirados pelo Espírito Santo. Julga-se mais capacitado que todos os conselheiros do Papa, e a este inveja e desobedece.
Critica vigorosamente os movimentos populares da Igreja, e não se recorda da passagem daqueles desconhecidos que exorcisavam em nome de Jesus. Se esquece que a igreja não é nem nunca estará contida nos tijolos de sua confortável sala, no carbono de sua mesa de lei.
Devemos sim praticar a comunidade, já sabia disso Salomão, aquele que construiu o templo… e quantas coisas mudaram desde então.
Será o Sr. com todo respeito, alguém capacitado ao dom da oratória, da conversão, da paciência com os erros da renovação e de outros movimentos, mas mais do que isso, da INSTRUÇÂO mansa e serena?
Possuirá o Sr. um coração manso e humilde digno do Reino?

Tenho 27 anos, sou graduado em Ciência da Computação, graduado em Publicidade, pós-graduado em Marketing, nasci em berço católico praticante e me julgo um infeliz analfabeto nas coisas do Senhor, porque O ouvi falar na boca dos humildes, O ouvi clamar na boca dos irmãos de rua do Padre Roberto Lettieri, O ouvi doutrinar na boca do Monsenhor Jonas da Canção Nova, O ouvi consolar na psicologia de fé do Padre Fábio de Melo.

Lamento profundamente a posição em que o sr. tomou, o oposição devastadora que se abateu sobre teus conceitos. O julgo que praticas e que sem sobra de dúvidas servirá de régua para o teu próprio julgamento e lá não poderá se fazer de vítima.

No demais, fico feliz porque me prometeu Jesus (como igreja que sou) que as portas do inferno jamais prevalecerão sobre nós. Lamento desapontá-lo.

Pergunto se terás coragem para publicar esta carta, se terás masidão para respondê-la…
Informo que a publicarei também em meus meios de comunicação. Assim como sua resposta, seja qual for. Então peço a gentileza dee me responder também no email que tive de colocar.

Na paz do Senhor, e com a servidão de Nossa Senhora, me coloco a disposição.

DTPF

E-mail: renascer.poa@…

Muito prezado DTPF,
Salve Maria.

 
Com grande prazer publico sua carta. E no Quadro de Honra da Montfort. Que é um quadro das cartas anônimas e das cartas injuriosas. Deus lhe pague por sua contribuição, que me honra e que me ajuda a pagar meus pecados e erros, sofrendo injúrias.
           
Mas que significa DTPF?
Nada.

Elas são quatro letras para o senhor se esconder, para esconder sue nome, e não assumir publica e pessoalmente o que escreveu contra mim.

Esse medo não lhe permitiu, porém, sofrear seu desejo de apresentar seus títulos. Por sua carta sei que DTPF é pós-graduado, publicitário, que tem 27 anos, “ graduado em Ciência da Computação, graduado em Publicidade, pós-graduado em Marketing”.
Meus parabéns!  
Só que você não aprendeu que o anonimato é anti-publicitário.
           
De minha parte, lhe agradeço as qualidades que me atribui.
Com efeito, o senhor me atribui qualidades, pois me diz: “penso que trabalhas em prol da divisão”.
 
Ora, Nosso Senhor Jesus Cristo disse de Si mesmo: “Julgais que eu vim trazer a paz à terra? Não, vos digo eu, mas separação”(Luc. XII,51).
“Não julgueis que eu vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas a espada. Porque vim separar o filho de seu pai, e a filha de sua mãe, e a nora de sua sogra”( MT. X, 34-35). Portanto, se divido e separo, imito a Nosso Senhor.

E também no Antigo Testamento, Deus Nosso Senhor nos disse: “Se separares o precioso do vil, então serás como minha boca” (Jer. XV, 19).E para o profeta, Jeremias, Deus disse que o constituiu “para arrancar e destruir, para arruinar e dissipar, para edificar e plantar” (Jer, I, 10). Porque é impossível curar, sem antes combater a doença, e só é  possível ensinar o certo, combatendo o erro.

E assim, o senhor mesmo dá prova disso, combatendo a mim, por me julgar em erro.
 
O senhor diz que trabalho “com afinco em reverter os processos evolutivos da Santa Igreja”.
Isso mesmo.
Grande verdade!
 
Sou contra os que introduziram “processos evolutivos” na Igreja, e contra os que pretendem que evolução é palavra da teologia católica, porque isso é heresia modernista

A Igreja não evolui e as palavras de Cristo permanecem eternamente. Por isso Cristo fez a Igreja sobre pedra, que não evolui. Ele não fez a Igreja nas nuvens que mudam a qualquer vento e se dissipam. A pedra permanece. As nuvens desaparecem.

São Pio X condenou essa idéia da evolução, defendida pele heresia modernista, na encíclica Pascendi e no Decreto Lamentabili.
(No Post Scriptum desta carta lhe passo essas citações).
 
E o senhor cita como modelos Padre Roberto Lettieri, Padre Jonas Abib e padre Fábio de Mello…

Pergunte ao Arcebispo de Campinas sobre Padre Roberto Lettieri…Que Deus tenha pena desse sacerdote…
E più non dicco…E più non dicco…
 
Finalmente, o senhor me pergunta: “Possuirá o Sr. um coração manso e humilde digno do Reino?

E me pergunta tal coisa, quase dizendo que o senhor, de fato, já possui esse coração.

Não creio, nem de longe, que meu coração seja manso e humilde. Por isso, todo dia peço isso ao Sagrado Coração de Jesus:  que Ele mude meu coração. Por isso, termino todas as minhas cartas, mesmo as mais polêmicas, pois quero dizer o que digo in Corde Jesu, semper.

 
E espero que o senhor cumpra sua palavra dando publicidade à sua carta e a esta minha resposta, escrita também ela in Corde Jesu, semper,

Orlando Fedeli



PS. Eis o que ensinou São Pio X na encíclica Pascendi , condenando a tese modernista da evolução da doutrina católica e a evolução dos dogmas:
 
 “[Os modernistas]” decretam que os dogmas e sua evolução se conciliem com a ciência e a história”(São Pio X, Pascendi , Denzinger, 2.104).
 
Daí que [para os modernistas] por nenhuma razão  se pode estabelecer  que [os dogmas] contenham a verdade absolutamente, porque enquanto símbolos, eles são imagem da verdade, e, portanto,  tem que se adaptar ao sentimento religioso, tal como este se refere ao homem; enquanto instrumentos , são veículos da verdade, e, portanto, devem se acomodar por sua vez ao homem tal como este se refere ao sentimento religioso. Ora, o sentimento religioso como quer esteja contido no absoluto tem infinitos aspetos., dos quias ora pode aparecer um, ora outro. De modo semelhante, o homem crente, pode achar-se em diversas situações.. Logo, também as fórmulas que chamamos dogmas tem que estar sujeitas às mesmas vicissitudes, e consequentemente sujeitas a variação. E assim, em verdade, fica aberto o caminho para a íntima evolução do dogma. Por certo, isso é um amontoamento infinito de sofismas, que arruinam e aniquilam toda religião” (São Pio X, Pascendi , Denzinger, 2079. Os sublinhados são do original).
 
Ainda em outra passagem São Pio X condena o princípio modernista da evolução da religião e dos dogmas:
O princípio geral [do Modernismo] aqui é: numa religião que vive, nada existe que não seja variável e que, por conseguinte, não deva variar. Daqui passam     [ os modernistas] ao que em suas doutrinas é quase o principal: a evolução. Conseqüentemente, o dogma, a Igreja, o culto, os livros que veneramos como santos, e até a própria fé tem que se submeter à lei da evolução se não queremos que tudo isso se conte como morto” (São Pio X, Pascendi , Denzinger, 2093. Os sublinhados são do original).
Então, é a heresia do Modernismo que defende a tese que os dogmas tem que “se submeter à lei da evolução”.
 
Também no decreto Lamentabili, São Pio X condenou  e heresia modernista da evolução do dogma, da evolução da Igreja e de sua doutrina:
 
“Erro 53: A constituição orgânica da Igreja não é imutável, mas, pelo contrário, a sociedade cristã, da mesma forma que a sociedade humana, está sujeita  a perpétua evolução”
“Erro 54: Os dogmas, os sacramentos e a hierarquia, tanto em sua noção como em sua realidade, são apenas interpretações e desenvolvimentos da inteligência cristã que, por acréscimos externos, aumentaram e aperfeiçoaram o exíguo germem oculto no Evangelho”
“Erro 59: Cristo não ensinou  um corpo determinado de doutrina aplicável a todos os tempos e a todos os homens, mas iniciou  antes um movimento religioso, adaptado ou para adaptar aos diversos tempos e lugares”
(São Pio X, Decreto Lamentabili, 3 de Julho de 1907).
OF

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais