Montfort Associação Cultural

29 de agosto de 2006

Download PDF

Raiva e sofisma em defesa do Concilio Vaticano II

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Wellington Balmant
  • Idade: 24
  • Localizaçao: Curitiba – PR – Brasil
  • Escolaridade: Pós-graduação em andamento
  • Religião: Católica

Caro Orlando fedeli

O senhor se estivesse no tempo da contra-reforma do concilio de Trento ja estaria respondendo junto ao tribunal do santo oficio por suas graves acusações ao concilio vaticano II. Com que autoridade um leigo se acha no direito de dizer o que é certo e o que é errado e principalmente de julgar um concilio onde toda a Igreja se reune no intuito de identificar quais são as diretrizes para a construção do reino de deus????
Acaso é senhor mais inteligente e astuto que o ministros colocados por deus????
Decerto que não.
Como o senhor bem disse o concilio não tem carater infalivel mas, não cabe ao senhor julgar se ele é valido ou não mas sim o magistério da igreja instituido pelo primado de pedro, ou seja pelo própio Cristo.
Atitudes como a sua não são melhores que de Lutero, Calvino e outros cujo o maior pecado é a desobediencia a autoridade da igreja de Cristo.
Cismaticos como o senhor deviam ser excomungados devido a periculosidade para a manutenção da fé cristã e da unidade do projeto de construção do reino de deus.
Gostaria então que o senhor me dissese com toda sinceridade se é católico ou não???
Pois se for o senhor deve rever toda a sua postura pois sem obdiencia e submissão não existe Igreja.
Essa é minha pergunta.

Obrigado pela atenção

Fique com Deus.

Muito prezado Wellington,
Salve Maria.
 
     Que bom!
     Afinal encontrei um católico que desejaria que houvesse Inquisição, ou pelo menos o Santo Ofício.
     Pena, então, que os Papas do Concílio Vaticano II acabaram com o Santo Ofício!
     Esse é um segundo ponto em que estamos de acordo.
     Se existisse hoje a Inquisição ou o santo Ofício, eu aceitaria submeter-me docilmente a seu juízo.
     E que trabalho teria hoje a Inquisição!
     Já pensou?
     Mas, lamentavelmente, o Vaticano II foi contra excomunhões, e acabou com o Santo Ofício…
     O Vaticano II preferiu o diálogo com os hereges.
     Meu caro, você não está seguindo bem o Vaticano II ao desejar me excomungar.
     Você deveria dialogar comigo.
     ”Só o amor constrói“.
     Não é esse um slogan dos seguidores do Concílio Vaticano II?
     Você me dá outra razão de alegria: reconhece que o Vaticano II não é infalível.

“Como o senhor bem disse o concilio não tem caráter infalível mas, não cabe ao senhor julgar se ele é valido ou não mas sim o magistério da igreja instituído pelo primado de Pedro, ou seja pelo próprio Cristo”.

     Alleluia!! 
Hosana nas alturas!  …E paz na terra aos que têm boa vontade!
     Já que você concorda lealmente comigo em vários pontos, quero responder a um argumento manquitola que você usa contra mim.
     Você me acusa de negar a validade do Vaticano II.
     Protesto!!!
     Sempre disse que o Concílio Vaticano II é válido.
     Ele foi convocado validamente por João XXIII. Foi depois validamente reconvocado por Paulo VI, que o encerrou com as devidas fórmulas canônicas.
     Logo, o Vaticano II foi um Concílio válido.
     Mas, você e eu reconhecemos que ele não foi infalível!
     Que bom!!!
     Estamos de acordo nisso. Porque nem todo Concílio válido é infalível.
     E mesmo nos concílios ecumênicos infalíveis, só têm a nota da infalibilidade as proposições que o Papa declarar expressamente como tais.
     Dizer que um Concílio válido deve ser aceito como infalível e dogmático é um sofisma muito rasteiro, que pode alegrar um professor inteligente como o Professor Felipe de Aquino da Canção Nova.
     Ele fica alegre por tão pouco…E por pouco tempo…
     Só quem está cego de ódio pode recorrer a sofismas desse jaez.
     E não me tenho como mais inteligente que outros.
     Coitado de mim: estou ficando velho, e a memória já se me vai apagando…E o raciocínio… Vai lá se saber até quando durará.
     Mas, por enquanto, ele ainda dá para responder a seu sofisma.
     E não sou astuto. A astúcia não é lá muito virtuosa. Astutos fazem sofismas para enganar ineptos. Isso não é leal.
     Graças a Deus, não quero ser astuto. Que Deus me dê prudência que é bem melhor que a astúcia.
     Depois, caridosamente você me deseja a excomunhão:

Cismaticos como o senhor deviam ser excomungados devido a periculosidade para a manutenção da fé cristã e da unidade do projeto de construção do reino de deus“.
  
      Você está brabo mesmo!
      Curioso que o Papa Bento XVI não está tão brabo como você. Ele está recebendo Dom Fellay — que é um contestador do Vaticano II bem mais importante e com mais força e poder que eu, — e consta que vai levantar a excomunhão de Dom Lefebvre e de Dom Mayer como nulas ou injustas. E o Cardeal Castrillón Hoyos declarou que os lefrevistas não são nem hereges e nem cismáticos, apesar de eles se oporem a Nova Missa e ao Vaticano II.
      Aliás Dom Lefebvre e Dom Mayer nunca foram excomungados por combaterem vigorosamente os erros do Vaticano II.
      Como é que você explica isso?
      Será que você é mais inteligente que o Papa Bento XVI? Ou só é mais brabo? Será que você sabe melhor do que ele quem merece ser excomungado?
       Finalmente, me vem você com um jorro de ofensas:
 
Atitudes como a sua não são melhores que de Lutero, Calvino e outros cujo o maior pecado é a desobediência a autoridade da igreja de Cristo“.
 
     Você me julga tão mau quanto Lutero, Calvino e outros…
     E me acusa de pecar contra a autoridade da Igreja de Cristo.
     Se você considera que Lutero e Calvino foram maus, como aceita que o Vaticano II mande dialogar com luteranos e calvinistas e os elogie por sua “devoção” à Bíblia?
     Se sou tão rebelde contra a Igreja como Lutero e Calvino, como me pergunta você, com a solenidade de Caifás a Cristo, se sou católico?

Gostaria então que o senhor me dissese com toda sinceridade se é católico ou não???”
   
     Sim. Tu o disseste. Sou Católico Apostólico Romano, graças a Deus
     E você encerra sua carta, não com chave de ouro, mas com um absurdo, dizendo-me :
    
sem obdiencia e submissão não existe Igreja“.

     Ainda que eu e você tivéssemos a desgraça de ser desobedientes e insubmissos, a Igreja continuaria a existir.
     A existência dela não depende de nossas virtudes e nem de nossos pecados.
     Que bobagem!  A raiva o perturbou,
     Que Deus o ilumine, e lhe dê mais mansidão e mais juízo.
     É o que lhe deseja este velho professor, bem pouco astuto, e que só quer servir a Deus, à Igreja, servindo a você também in Corde Jesu, semper,
  
Orlando Fedeli

Replica

Caro Orlando Fedeli

Desculpe pelo tom ofensivo de minha ultima carta, não convém a um cristão se expressar de tal forma como disse Santo Agostinho”não há verdade sem caridade”, peço que o senhor me perdoe escrevi a carta pelo impulso.
Gostaria que se fosse possivel o senhor respondesse mais uma vez a meus questionamentos dessa vez de forma amigavel, cristã e humana, principalmente de minha parte, dialogando como se fossemos amigos afinal somos da mesma Igreja e religião.
Abaixo segue as perguntas:

1-O senhor disse que o concilio é valido, que eu saiba até agora nada foi questionado pelo Vaticano relativo ao concilio, pelo contrario o propio Bento XVI disse que vai em seu pontificado vai reafirmar e buscar aplicar na pratica as decisões do concilio. Então porque não devemos seguir o concilio, não estariamos ajudando o Papa a cumprir sua missão???

2-Com relação a missa de Paulo VI tenho uma grande ressalva, o senhor diz que essa missa está errada, que a missa antiga era a certa, se não me engano a missa de São pio, no entanto tenho uma pergunta bem séria, se a missa está errada o sacrificio de Cristo parou, mas o sacrificio não pode parar”tu és sacerdote eterno segundo a ordem de Melquisedec” não replica o salmista???Como então essa nova missa é errada???Qual documento pastoral, enciclica, ou documento, assinado pelo Papa João paulo II ou por Bento XVI que nos leva a crer na correção da missa de Paulo VI???

3-Quais são os documentos, enclicas pós-concilio que dizem algum erro referente ao concilio para que eu possa aprofundar meus conhecimentos e em comunhão com Igreja de Cristo quem sabe ser até um parceiro para mostrar os erros do concilio.

4- O ecumenismo é outro ponto que gostaria de citar. O propio Papa João Paulo II queria uma maior dialogo com as outras religiões, o ecumenismo não é abandonar a fé católica mas dialogar para construir o reino de Deus. João Paulo II o fez, ele era a imagem de Pedro não deviamos seguir seu exemplo??? O ecumenismo foi colocado no concilio mas não é intenção de sincretismo religioso, mas de dialogo religioso. Essa foi uma das decisões do concilio, que eu saiba até agora nenhum Papa revogou essa decisão pelo contrario aprofundaram tem até um monumento no vaticano acho que uma corrente sobre o ecumenismo e dialogo religioso foi fundado, então porque não aprofundar esse dialogo???

5-Com relação a nossa função dentro da igreja de cristo não é acatar as decisões do Vaticano, se for decidido que o altar deve ter uma toalha vermelha não devemos como bom catolicos colocar a toalha vermelha no altar?? Mesmo que achemos errado??? Quando a Igreja decide sobre algo, não devemos nós seguir as ordens da igreja??? Não deveriamos nós se esforçar para implementar as decisões do concilio na nossa comunidade, na nossa paroquia??Essa não deveria ser nossa postura catolica??

6-Gostaria de que o senhor explicitasse melhor sua opinião a respeito do concilio, e que sempre que possivel o senhor mostrasse quem o apoia nessa decisão, se é sua opinião, ou se tem algum documento que valide as suas ideias. Gostaria de poder discenir quando o senhor fala por si mesmo ou tem apoio de alguma enciclica ou documento.

Acho que quando o senhor emite alguma opinião sobre o concilio, muita gente tem sua opinião como certa e inquestionavel e esse site tem um numero banstante de grande de visitas. Isso pode ser um perigo pois essas pessoas podem agir depois contra a igreja, seria uma divisão, elas acreditam mais no senhor que na igreja por isso durante as perguntas insisti para que o senhor me cite então textos demonstrando que a igreja está a seu favor. Acho que sobre questões tão dificeis como essas do concilio somente o Papa tem poder de decisão e é ele que deve dizer se a regra do jogo mudou.
Essa é minha opinião, espero que possamos dialogar sobre esses temas e chegar a um concenso.

Obrigado pela atenção.

Um abraço

Fique com Deus e com o amor de Maria.

Muito prezado Wellington ,
Salve Maria.
     
     Claro que me apresso a abraçá-lo e dar-lhe a minha amizade. Seu ato revela grandeza de alma e firmeza de caráter. Que Deus Nosso Senhor nos una na defesa da Santa Igreja. Tenho em você mais um amigo em Curitiba. Mas, logo voltarei lá. E para dar-lhe meu abraço pessoal.
     Repondo com prazer e alegria suas perguntas:

1 — Sobre o Vaticano II
     O Papa Bento XVI já condenou o chamado “espírito do Concílio”
     Agora, fundando o Instituto Pontifício do Bom Pastor, o Papa incumbiu seus membros de fazer uma crítica ao texto do Concílio para corrigir tudo o que propiciou interpretações erradas. Logo, podemos e devemos colaborar com o Papa Bento XVI, fazendo críticas apropriadas aos textos ambíguos ou errados do Vaticano II.
     Bento XVI permitiu isso.
 
2 – Sobre a Missa Nova de Paulo VI.
    Noticia-se que o próprio Bento XVI vai reformar a Nova Missa de Paulo VI.
    Dá-se como certo que essa Nova Missa será com o sacerdote dando as costas ao povo, e voltado para Deus; que será toda ela em latim e com canto gregoriano. Ora, se o próprio Papa afirma que é preciso reformar a Missa Nova, isto significa que nela há coisas erradas.
    Não é à toa que ela foi feita com a ajuda de seis pastores protestantes, e que Monsenhor Bugnini, seu principal fabricador, tenha dito que tirou da Missa antiga tudo o que podia desgostar os hereges protestantes. E assim ele desgostou a Deus e a todos os católicos conscientes. Isso não significa que a Missa nova seja de si inválida, mas ela permitu abusos erros doutrinários graves. Portanto, o sacrifício prepétuo não cessou. Eu sempre assisti a Missa de São Pio V em São Paulo.
    Dom Lefebvre e Dom Mayer tiveram o enorme mérito, diante de Deus e da Igreja, de ter mantido perene o santo sacrifício da Missa. Logo mais– é o que se noticia– a excomunhão deles será declarada nula por Bento XVI.
 
3 – Sobre os erros do Concílio Vaticano II, recomendo que você leia, inicialmente, o Discurso de Bento XVI de 22 de Dezembro de 2.005, condenado o chamado “espírito do Vaticano II”.
    Hoje mesmo, o Papa Bento XVI fez um discurso condenando a Telogia liberal dos séculos XIX e XX. Ora, foi essa Teologia liberal a base do Modernismo e do Vaticano II.
    Recomendo muito que leia as encíclicas Pascendi de São Pio X, o Syllabus de Pio IX, a Mirari Vos de Gregório XVI, a encíclica Libertas de Leão XIII,  que condenaram a liberdade de religião,assim como a encíclica Mortalium Animos de Pio XI, que condenou o Modernismo.
    Recomendo que você leia o livro Jota Unum de Romano Amerio criticando o Vaticano II, e o livro O Reno Flui no Tibre do padre Wiltgens. Por fim, se você tiver a paciência de ler meus artigos, veja o artigo Resposta a Brescia e Eclesiologia do Vaticano II.

4 – Sobre o Ecumenismo.
    Leia a Mortalium Animos de Pio XI, que condenou o ecumenismo, assim como a Testem benevolentiae de Leão XII que condenou o ecumenismo dos hereges americanistas, no final do século XIX. 
    Ainda hoje, o Cardeal Ivan Dias, falando aos Bispos de terras de missão, declarou que o diálogo ecumênico não significa a defesa ou a aplicação do evangelho do relativismo. E o Cardeal Ratzinger discordou do encontro ecumênico de Assis, e pediu, nessa ocasião, demissão de seu cargo em protesto contra a jornada ecumênica organizada por João Paulo II, em 1986, em Assis.
    O ecumenismo relativista pregado após o Concílio Vatcano II e como fruto desse Concílio, só fez desunir os católicos, sem que ninguém se convertesse. Pelo contrário, se o Espírito Santo atua em todas as religiões, muitos católicos se bandearam para as seitas protestantes, porque lá a vida é mais fácil. Veja você como isso aconteceu no Brasil.
    Cristo não disse aos Apóstolos: “Ide e dialogai
    Cristo mandou; “Ide e ensinai“. 
    A Igreja Católica ensina. Não dialoga.
 
5 – Obediência à Igreja
 
    Você tem toda a razão. devemos obedecer a Igreja. Por isso, obedeço ao que sempre a Igreja ensinou. Foi o Concílio Vaticano II que desobedeceu ao que sempre os Papas mandaram.
 
6- Opinião minha ou doutrina da Igreja.
    Minha opinião pessoal não vale nada.
    Tudo o que repito é o que aprendi nas encíclicas papais e com os doutores da Igreja.
    Minha opinião jogue-a fora.
    “Opinião” é palpite de “intelectual”, isto é, besteira.
    O site Montfort tem ajudado, graças a Deus, muitas pessoas a se converterem à Igreja Católica, e tem aberto os olhos dos fiéis para que sigam, não a opinião de pessoas, mesmo clérigos, que colocam suas opiniões acima da doutrina Católica, e o Vaticano II, concílio cheio de erros, mas o que a Igreja sempre ensinou.
    Por exemplo, ainda na semana passada soube de um Padre que atacou o Concílio de Trento, que é infalível, para defender o Vaticano II que é falível. Soube de outro padre que afirmou para um rapaz: “Nossa diferença não é o Vaticano II.  É Trento. Sou contra Trento” Esse padre é um herege. Ele não é mais católico.
    Terminando, quero lhe dizer senão que anseio encontrá-lo para abraçá-lo como um verdadeiro irmão na Fé. Que isso possa ocorrer o quanto antes.
    Enquanto espero por esse dia, escreva-me.
    Tenha-me como seu amigo, no Coração de Jesus, sempre. No Coração de Jesus de quem espero o perdão de meus pecados e misérias.
    Reze por mim.
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais