Montfort Associação Cultural

6 de janeiro de 2005

Download PDF

Proprietário da casa onde foi realizada a última ceia

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Francisco
  • Idade: 67
  • Localizaçao: Florianópolis – SC – Brasil
  • Religião: Católica

Há uma passagem na biblia que diz que Jesus mandou Pedro e João a Jerusalém a fim de preparar o local da Última Ceia, estes perguntaram a Jesus onde seria realizada a ceia e Jesus respondeu que eles seguissem um homem com uma bilha com água no ombro e na casa em que ele entrasse seria o local.

Tenho pesquisado tanto em livros religiosos como procurado conversar com padres teólogos e a resposta recebida me é dada com cautela, sem que a resposta tenha respaldo definitivo. Das versões que mais me foram explicadas diz respeito ao Jovem Marcus que teria sido seguido por soldados quando se dirigia, a noite, nu e envolto num lençol se dirigindo ao local em que Jesus se encontrava no referido lugar da ceia. Ao tentar agarrar o jovem Marcus, este soltou o lençol e saiu correndo sem ser pego, indicando com isso que ele residia naquela casa.

Ficaria muito agradecido se me tirassem esta dúvida que me assalta, dirimindo de uma vez por toda a minha curiosidade.

Prezado sr. Francisco, salve Maria!

O texto a que o senhor se refere é do Evangelho de São Lucas , no qual se lê: “Jesus enviou a Pedro e João, dizendo: “Ide, preparai-nos a refeição pascal. Eles perguntaram: “Onde queres que a preparemos? Ele lhes disse: “Logo que entrardes na cidade, sair-vos-á ao encontro um homem levando uma bilha de água; segui-o, até à casa em que ele entrar. Direis ao pai da família da casa: “O mestre manda-te dizer: “onde está o aposento em que hei de comer a Páscoa com os meus discípulos ?”. Ele vos mostrará uma grande sala toda ornada; preparai aí o necessário”. Indo eles, encontraram como Jesus lhes dissera; e prepararam a Páscoa” (Luc. XXII , 8- 13).

A história que o sr. me conta sobre o jovem Marcos que teria chegado nu, envolto apenas num lençol, no local da Santa Ceia, não está na Sagrada Escritura. Fala-se no Evangelho de um jovem que fugiu, largando a capa daqueles que quiseram prendê-lo com Jesus, no horto das Oliveiras. Aliás, não teria cabimento o dono da casa onde se realizou a Santa Ceia chegar e sair dela só com um lençol.. Como é que o dono da casa sairia nu, de sua casa, e voltaria daquele modo para a sua residência?

O que se conta, no evangelho de São Marcos, é que, quando Jesus foi preso no horto das Oliveiras “um jovem seguia a Jesus coberto somente com um lençol, prenderam-no. Mas ele, largando o lençol, escapou-lhes nu” (Mc. XIV, 51-52).

Comentando essa passagem do Evangelho, alguns disseram o que São Jerônimo comentou do seguinte modo: “Parece provável que este jovem fosse da casa na qual se havia se celebrado a Páscoa. Alguns dizem que era Santiago parente do Senhor, chamado o justo, o qual depois, depois da ascensão de Cristo recebeu dos Apóstolos a cátedra de Jerusalém. (São Gregório, XIV, Morales). Ou então era São João, o qual, ainda que voltasse a cruz para ouvir as palavras do Redentor, antes, entretanto, fugira apavorado” (São Tomás de Aquino, Catena Áurea, Comentário ao Evangelho de São Marcos).

E a expressão fugiu nu, possivelmente é uma mera hipérbole, para significar que ele fugiu sem a sua túnica, largando-a nas mãos dos que iam prendê-lo. Ora, esse fugir largando a túnica, repete o que fez José do Egito ao fugir da mulher de Putifar que queria seduzi-lo.

É que comenta também São Jerônimo ao escrever: “Assim como José que, abandonando a capa, fugiu nu daquela mulher impudica (Gen. XXXIX), assim aquele que quer fugir das mãos dos inimigos dele, deve, abandonado tudo o que é mundano, fugir após Jesus” (São Jerônimo apud São Tomás, Catena Aurea, idem).

Desse modo deve ser interpretada a passagem que você me submete a comentário, dando mais importância ao sentido moral e místico dela do que a um sentido puramente literal, o qual pode e deve ser entendido de modo não escandaloso.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Santa Comunhão - Orlando Fedeli

Oração e Vida Espiritual: Sub tuum praesidium

Cartas: O inferno existe mesmo? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais